Empresários reagem a concorrência da CVC na hotelaria
   Mozart  Luna  │     19 de maio de 2020   │     20:19  │  5

Empresários do setor hoteleiro alagoano, procurados por nosso blog, se manifestaram com relação a postagem sobre a entrada da operadora CVC nas atividades de hospedagens, com o uso de uma plataforma semelhante ao Airbnb. Os empresários foram unanimes em dizer que é o começo de um novo cenário, pós covid-19, quando as atividades turísticas começarem a retornar à normalidade.

O presidente da Associação Brasileira da Indústria Hoteleira em Alagoas (ABIH), André Santos, disse que a informação atinge, a princípio, o segmento de luxo, que são as pousadas de charme. Segundo ainda ele isso é uma indicação do novo cenário pós pandemia covid-19, que preocupa aos empresários que esperavam mais apoio, principalmente de quem sempre esteve ao lado dos hoteleiros.

O representante dos hoteleiros em Alagoas disse ainda participou de uma reunião, via vídeo conferência, com representantes da Operadora dias atrás, mas que eles sequer colocaram o assunto em pauta. Para ele, a busca de hospedagem que ofereçam mais segurança e distanciamento social, será uma tendência no mercado e a CVC identificou esse mercado e está trabalhando para atendê-lo.

André Santos disse que o setor já tentou também criar uma plataforma de vendas, mas que não deu certo, porque exige muito investimento em pessoal especializado e muita publicidade.

Entretanto, segundo um empresário, que pediu para não revelar seu nome porque trabalha com a CVC há mais de 10 anos, a notícia foi um verdadeiro golpe para o setor. “’Foi um golpe ver a CVC anunciar sua entrada na atividade de hospedagem, principalmente esta empresa que cresceu graças a parceira com o setor hoteleiro brasileiro. É uma notícia preocupante para todos, embora muitos tentem dissimular a gravidade dela”, lamenta ele.

O empresário disse que já está na hora do empresariado hoteleiro se unir e se “libertar” da CVC. “Temos que encontrar alternativas começando pela construção de uma plataforma própria do setor com preços até melhores, já que seríamos os donos dela”, disse ele, dizendo que pretende levar a proposta de volta para a ABIH.

“Vamos nos organizar em sistema de cooperativa, que possui muitas vantagens no sistema de organização empresas”, disse ele lembrando que com certeza vai contar o apoio dos Governos.

Já para Júnior Lisboa, o presidente do Conselho Municipal de turismo de Piranhas, que também é agente de viagens e trabalha com vendendo produtos da CVC em sua loja, não só a notícia de que a operadora vai iniciar atividade de venda de hospedagem em imóveis particulares choca o trade, como também o anuncio de que vão também abordar os clientes diretamente.

Para o empresário a tendência de monopolizar o mercado de turismo não só no Brasil, mas na América Latina é um problema que todos devem ficar rejeitar. Segundo ele os hotéis e as outras empresas não podem ficar dependentes apenas de uma empresa, que dita preços e até normas nos estabelecimentos.

“A concorrência é sempre saudável”, diz Júnior Lisboa, que destacou a pesquisa realizada pela American Airlines e a Delta, postada também aqui em nosso blog e que aponta o agente de viagens como um importante ator na retomada das atividades do turismo. “Seria interessante formamos uma rede de colaboradores agentes de viagens para fortalecer a todos”, enfatiza ele.

Em Portugal, operadores e agentes de viagens reagiram a entrada da CVC no país se organizaram para lutar contra as ações da empresa  (nos mesmos moldes que age no Brasil) buscando monopolizar a atividade turística. Os empresários portugueses estão buscando apoio do Governo para impedir, por exemplo, bloqueios de voos e hotéis acima de 50% , durante o ano tudo, por uma só empresa. Em Portugal, os empresários despertaram a tendência de monopólio das atividades turísticas e parte agora criar mecanismos legais para impedir.

 

 

 

>Link  

COMENTÁRIOS
5

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

    1. Moris Litvak

      Já se discute no congresso dos Estados Unidos a repartição das mega empresas de tecnologia em várias empresas menores, a exemplo do que foi feito nos anos 80 com a AT&T, que detinha cerca de 80% do mercado americano de telefonia (fixa) na época.

      Reply
  1. Moris Litvak

    A CVC quer tudo e mais um pouco. Já é dona da Trend, de uma empresa de intercambio, de uma consolidadora aérea, de empresas de tenologia, etc. O gigantismo de uma única empresa em qualquer setor, gera inúmeras distorções, prejudiciais a todos.

    Reply
  2. Sari anne jacoba van Hoeve

    A prefeitura em Amsterdam proibiu poucos anos passado de alugar os Homeboats -tipo B&B -nos canais para proteger o setor d hoteleiros
    Prefeitura de Ouro Preto MG proíbe alugar casas para o período d carnaval ,;atravez pedido dos hoteleiros tambem

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *