Delmiro realiza ações ambientais para garantir Piracema no São Francisco
   Mozart  Luna  │     8 de janeiro de 2019   │     17:44  │  0

 

O São Francisco vive o momento da piracema, época de migração dos peixes para se acasalarem e desovarem subindo o rio. Esse fenômeno da natureza persiste até hoje, mesmo com todos dos danos causados ao meio ambiente pelo homem, com a construção das barragens das hidrelétricas.

A prefeitura de Delmiro Gouveia, através da secretaria municipal de meio ambiente, uma das mais atuantes de Alagoas, vem desenvolvendo ações de limpeza do rio e de suas margens, principalmente nos pontos mais críticos, como é a prainha do Povoado Cruz, onde nos finais de semana e principalmente neste período de férias é bastante frequentado.

A iniciativa compreende a retirada do lixo de algumas áreas do rio e o monitoramento do período da piracema, bem como a conscientização da população para que não jogue lixo no rio, principalmente nas localidades conhecidas como áreas de banho.

No combate a pesca predatória, a equipe da Secretaria esteve reforçando aos pescadores das margens do rio, os danos causados ao meio ambiente com a prática da pesca nesse período do ano, além de solicitarem a ajuda dos mesmos, na conscientização dos banhistas para não jogarem lixo na água.

“Desde de novembro de 2018, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente vem promovendo diversas ações de monitoramento, nesta época do ano é importante que diariamente nossa equipe esteja presente em açudes, barragens e principalmente no nosso rio, que vem sofrendo tanto com as ações do homem”, frisou o técnico da secretaria Felipe Ferreira.

Na maior parte do Brasil, o período da piracema teve início no dia 01 de novembro de 2018 e se estende até 28 de fevereiro de 2019. O período de defeso contribui para a sustentabilidade e para a reprodução dos peixes.

Divida da Chesf

A Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf) tem uma divida ambiental, que até hoje não foi paga, que é a construção das escadarias e passagens molhadas para os peixes que sobe o rio, com o objetivo de se reproduzirem. A existência desse equipamento estava no projeto de construção de Xingó, mas até hoje não foi realizada, nem ação de captura dos peixes para serem levados ao lago para se reproduzirem.

Pelos menos a Chesf anunciou o aumento da vazão da barragem para 800m/s, melhorando as condições de oxigenação das águas neste período da piracema.

 

 

 

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *