Governador propõe união do Nordeste na promoção do turismo
   Mozart  Luna  │     20 de outubro de 2018   │     10:04  │  0

 

 

O Nordeste possui todas os referencias para ser um produto no mercado internacional do mesmo nível do Caribe, que é vendido como um dos principais destinos turísticos no chamado primeiro mundo. O tema foi abordado na JPA Travel Maket, que está sendo realizado desde do dia 19 em João Pessoa. Quem levantou a questão foi o anfitrião, o Governador Ricardo Coutinho que também apontou a estratégia a ser seguida: pensar o Nordeste como um produto turístico brasileiro único.

Outra colocação realizada por Coutinho e que defendemos a muito tempo aqui em Alagoas é buscar mercados internacionais estáveis como é a Europa. Atualmente as ações de marketing e vendas se limita ao mercado interno, tendo como público alvo as regiões dos estados de São Paulo, Minas Gerais e todo Centro Oeste e Sul do Brasil. Essas ações também se estendem a Argentina e Chile que tem demonstrado um sucesso, mas que assim como toda América Latina suscetível as tempestades políticas e financeira do terceiro mundo, transformando o fluxo em uma gangorra que hora sobe hora desce.

Dentro da estratégia de buscar mercados sólidos, vale destacar o trabalho que vem sendo desenvolvido por empresários do Sertão e do Governo Municipal de Penedo, que vem trabalhando em conjunto em um projeto de venda dos “Caminhos do Imperador”, em Portugal. O objetivo é iniciar um trabalho de prospecção de um fluxo constante de turista europeus, tendo como perspectiva consolidar a atividade  longe de risco das tempestades políticos, que sempre está propenso a América Latina, no caso a Argentina e o Chile, assim como o Brasil.

“Nordeste Único”

A proposta do Governador da Paraíba é trabalhar a promoção de um destino único. Segundo ele os estados nordestinos têm uma grande proximidades entre os pontos turísticos, levando poucas horas de carro dividindo seus diversos atrativos, seja de praia ou cultura. “Unir uma região inteira para vender em conjunto, e não mais competir entre si: este é o sonho do governador da Paraíba, Ricardo Coutinho, para a região Nordeste”, disse Ricardo Coutinho.

No discurso de abertura do JPA Travel Market declarou que o único meio de um destino “tão rico como o Caribe quando se pensa em praias paradisíacas e águas cristalinas” é a unificação. A promoção em conjunto nos países estrangeiros. É tornar uma variedade de destinos em um só: o Nordeste brasileiro. Do mesmo modo que as ilhas do Caribe acabam se vendendo para o mundo – e com sucesso.

“Me parece que falta muito na região uma articulação de seus diversos, diferentes e próximos Estados, para que se crie um produto unificado, um tipo de ‘Nordeste Turismo’. Precisamos acordar para isso!”, enfatizou Ricardo Coutinho. “Não adianta pensar em competir com Pernambuco, com Rio Grande do Norte… Queremos criar um produto só. É só usar o exemplo do Caribe, e os milhões e milhões de turistas que eles atraem todo ano”, declarou ele.

América Latina
“Quase metade dos turistas internacionais do Brasil vem da Argentina. E eles vêm em busca de quê? De praias, é claro! E que lugar melhor para achar isso que no Nordeste?”, disse Coutinho.

Por isso pela primeira vez estavam presentes a JPA Travel Market, uma comitiva de buyers argentinos veio fazer negócios na feira. “A oportunidade está aí. O Nordeste tem que se unir para abocanhá-la”, encerra o governador da Paraíba.

 
E a expectativa do evento era de 3,5 participantes. Desta vez, dentre os participantes aparecem 12 buyers da Argentina, além de agentes de viagens de 25 Estados, que virão em 22 caravanas aéreas e rodoviárias.

O crescimento é observado também no espaço voltado para exposição – 35% maior que no ano passado -, e principalmente no número de expositores internacionais, com aumento de 33% em relação à edição do ano passado.

 

Um dos prováveis motivos disso é o aumento da conectividade para o Nordeste, já que novos voos para o Exterior foram inaugurados nos últimos dois anos a partir da região – entre eles trajetos para Europa, Estados Unidos e América do Sul partindo de Fortaleza (Copa, LatamGol e Air France-KLM), Recife (Azul e Latam) e Salvador (Copa Airlines).

Palestras, fóruns, rodadas de negócios e 12 salas de capacitações fazeram parte da programação do evento. Ao todo, são previstos 123 treinamentos, sendo 40% apenas de destinos internacionais; apenas no pré-agendamento para eles, 2,7 mil inscrições já tinham sido concluídas dias antes do evento.

 

O Nordeste possui todas os referencias para ser um produto no mercado internacional do mesmo nível do Caribe, que é vendido como um dos principais destinos turísticos no chamado primeiro mundo. O tema foi abordado na JPA Travel Maket, que está sendo realizado desde do dia 19 em João Pessoa. Quem levantou a questão foi o anfitrião, o Governador Ricardo Coutinho que também apontou a estratégia a ser seguida: pensar o Nordeste como um produto turístico brasileiro único.

 

Outra colocação realizada por Coutinho e que defendemos a muito tempo aqui em Alagoas é buscar mercados internacionais estáveis como é a Europa. Atualmente as ações de marketing e vendas se limita ao mercado interno, tendo como público alvo as regiões dos estados de São Paulo, Minas Gerais e todo Centro Oeste e Sul do Brasil. Essas ações também se estendem a Argentina e Chile que tem demonstrado um sucesso, mas que assim como toda América Latina suscetível as tempestades políticas e financeira do terceiro mundo, transformando o fluxo em uma gangorra que hora sobe hora desce.

 

Dentro da estratégia de buscar mercados sólidos, vale destacar o trabalho que vem sendo desenvolvido por empresários do Sertão e do Governo Municipal de Penedo, que vem trabalhando em conjunto em um projeto de venda dos “Caminhos do Imperador”, em Portugal. O objetivo é iniciar um trabalho de prospecção de um fluxo constante de turista europeus, tendo como perspectiva consolidar a atividade  longe de risco das tempestades políticos, que sempre está propenso a América Latina, no caso a Argentina e o Chile, assim como o Brasil.

 

“Nordeste Único”

 

 

A proposta do Governador da Paraíba é trabalhar a promoção de um destino único. Segundo ele os estados nordestinos têm uma grande proximidades entre os pontos turísticos, levando poucas horas de carro dividindo seus diversos atrativos, seja de praia ou cultura. “Unir uma região inteira para vender em conjunto, e não mais competir entre si: este é o sonho do governador da Paraíba, Ricardo Coutinho, para a região Nordeste”, disse Ricardo Coutinho.

No discurso de abertura do JPA Travel Market declarou que o único meio de um destino “tão rico como o Caribe quando se pensa em praias paradisíacas e águas cristalinas” é a unificação. A promoção em conjunto nos países estrangeiros. É tornar uma variedade de destinos em um só: o Nordeste brasileiro. Do mesmo modo que as ilhas do Caribe acabam se vendendo para o mundo – e com sucesso.

“Me parece que falta muito na região uma articulação de seus diversos, diferentes e próximos Estados, para que se crie um produto unificado, um tipo de ‘Nordeste Turismo’. Precisamos acordar para isso!”, enfatizou Ricardo Coutinho. “Não adianta pensar em competir com Pernambuco, com Rio Grande do Norte… Queremos criar um produto só. É só usar o exemplo do Caribe, e os milhões e milhões de turistas que eles atraem todo ano”, declarou ele.

América Latina
“Quase metade dos turistas internacionais do Brasil vem da Argentina. E eles vêm em busca de quê? De praias, é claro! E que lugar melhor para achar isso que no Nordeste?”, disse Coutinho.

Por isso pela primeira vez estavam presentes a JPA Travel Market, uma comitiva de buyers argentinos veio fazer negócios na feira. “A oportunidade está aí. O Nordeste tem que se unir para abocanhá-la”, encerra o governador da Paraíba.

 
E a expectativa do evento era de 3,5 participantes. Desta vez, dentre os participantes aparecem 12 buyers da Argentina, além de agentes de viagens de 25 Estados, que virão em 22 caravanas aéreas e rodoviárias.

O crescimento é observado também no espaço voltado para exposição – 35% maior que no ano passado -, e principalmente no número de expositores internacionais, com aumento de 33% em relação à edição do ano passado.

 

Um dos prováveis motivos disso é o aumento da conectividade para o Nordeste, já que novos voos para o Exterior foram inaugurados nos últimos dois anos a partir da região – entre eles trajetos para Europa, Estados Unidos e América do Sul partindo de Fortaleza (Copa, LatamGol e Air France-KLM), Recife (Azul e Latam) e Salvador (Copa Airlines).

Palestras, fóruns, rodadas de negócios e 12 salas de capacitações fazeram parte da programação do evento. Ao todo, são previstos 123 treinamentos, sendo 40% apenas de destinos internacionais; apenas no pré-agendamento para eles, 2,7 mil inscrições já tinham sido concluídas dias antes do evento.

 

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *