Novo Conselho Curador para o Desenvolvimento do Turismo toma posse e cobra investimentos
   Mozart  Luna  │     21 de fevereiro de 2018   │     0:03  │  0

 

A posse da nova diretoria do Conselho Curador da Fundação para o Desenvolvimento do Turismo em Alagoas foi marcado pelo reconhecimento da atividade turística como geradora de emprego e renda para o estado, mas que necessita de mais investimentos em obras de infraestrutura como em saneamento básico, rede de abastecimento de água e melhoria da qualidade da energia elétrica.

O presidente da Associação Brasileira da Indústria dos Hotéis (ABIH), secção Alagoas Milton Hênio Vasconcelos, destacou a união dos empresários do setor, fato que comprova que todos estão juntos sem bandeiras partidárias ou posicionamentos políticos, mas em prol do desenvolvimento da atividade turística.

Milton Hênio disse que urgentemente investimentos em obras de saneamento com as estações elevatório de esgoto e o aproveitamento de locais com grande potencial turísticos, que poderiam estar gerando emprego e renda, como as dunas existentes na Foz do São Francisco, através de um trabalho ecologicamente correto respeitando o meio ambiente e gerando emprego e renda.

O presidente da ABIH Alagoas também cobrou das autoridades um posicionamento fiscal com relação aos imóveis que estão sendo alugado por temporada a turistas. Segundo ele essa atividade não gera emprego e não paga imposto, como os estabelecimentos hoteleiros.

“ Um empreendimento hoteleiro com 160 apartamentos contribui com R$ 1,5 milhões por ano com os cofres públicos. “Enquanto os imóveis por temporada não geram nada para o fisco”, declarou Milton Hênio. Segundo ainda ele essa atividade em Alagoas já abocanhou cerca de 8% dos turistas que chegam a Maceió, gerando prejuízos aos fiscais.

Glênio Cedrin e Milton Hênio

Portugal

Milton Hênio disse ainda que é preciso que se busque conquista mercados na Europa e citou Portugal como um dos países em se deferia investir em marketing para atrair o público. Ele também lembrou a necessidade de ter uma negociação constante com as companhias aéreas para negociar tarifas e voos que transforme o destino Alagoas competitivo, com outros mercados que concorrem com o Brasil.

O presidente da Associação Brasileiro de Agência de Viagens (ABAV), Afrânio Lages, também reforçou a necessidade de investimentos em obras de infraestrutura e divulgação fora do Brasil e lembrou o mercado europeu, quando Alagoas recebia um grande fluxo de italianos.

O empresário Glênio Cedrin presidente do Convention & Visitors Bureu, disse que nos próximos anos serão criados cerca de 2.500 leitos. Segundo ainda ele 2018 será um anos difícil, para o turismo em Alagoas devido à realização da Copa do Mundo, além das eleições que geralmente seguram as pessoas em seus estados.

Glênio Cedrin fez também um apelo para que sejam realizadas melhorias no aeroporto Zumbi dos Palmares, e lembrou que este ano deverá ocorrer a reclassificação para Classe Delta (D), embora o ministro dos transportes tivesse prometido para dezembro de 2017, fato que não ocorreu.

O secretário de desenvolvimento e turismo (Sedetur), Rafael Brito, destacou a união dos empresários do setor turístico e reconheceu a necessidade de investimentos em obras estruturantes que viabilizem o aumento do parque hoteleiro em Alagoas. Segundo ele o governo vem se esforçando para resolver os problemas existentes, mas que é preciso recursos para isso.

O evento foi marcado pelo otimismo com o desenvolvimento do turismo em Alagoas, mas com a preocupação de diversificar o mercado emissor buscando na Europa essa alternativa evitando com que a o setor tenha seu lastro de captação de turistas, apenas na América Latina.

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *