Morador acha moeda mais antiga no tesouro encontrado na Praia do Peba
   Mozart  Luna  │     3 de setembro de 2017   │     13:31  │  0

 

Um Morador da Praia do Peba, litoral sul de Alagoas, fez uma grande descoberta hoje pela manhã no local onde foram encontrada dezenas de moedas e joias: uma moeda de 1753, que era usada pela Inglaterra em suas colônia como nos Estados Unidos. Trata-se de dez (X) guinés.

Com a mudança da maré o solo lamacento, também chamado de massapé, onde foram encontradas as moedas na semana passada, ressurgiu nesta manhã de domingo fazendo aparecer mais moedas e joias que estavam no subsolo.

Desta vez foi encontrada uma das moedas mais antigas data de 1753. Trata-se de dez (X) Guinéus, moeda usada pela Inglaterra nas Colônias norte-americanas, onde hoje é os Estados Unidos. O morador que achou a moeda ficou surpreso ao ser informando por nossa reportagem que se trata de uma das moedas mais antigas já encontradas em Alagoas e possivelmente no Brasil e que era usada nas colônias inglesas. Temendo ser procurado, o morador pediu para não informar seu nome e guardou a moeda a sete chaves.

Como surgiu o tesouro

As moedas começaram a surgir na Praia do Peba, terça-feira dia 28 de agosto, depois que o mar mudou sua correnteza com o chamado vento Leste, fazendo surgir um solo argiloso na areia. O brilho do metal chamou a atenção dos moradores que passavam na Praia que passaram a cavar o local e cada momento encontravam moedas e joias, além de conchas de crustáceos que não são originários da região.

Os moradores mais antigos relatam que disseram que só lembram de que no local havia uma ponta de mangue, quando ainda o mar não havia avançado tanto sobre a praia. Segundo esses moradores a faixa de areia era maior, mas com o recuo das águas do rio São Francisco, o mar avanço sobre o continente e engoliu tudo que estava nesta local.

Um exemplo foi o povoado do Cabeço, que existia do outro lado do rio São Francisco, no estado de Sergipe. Lá o mar avançou sobre o a igreja, o cemitério e levou para dentro para o meio do Oceano o farol de do Barão Cotegipe, todo em cobre e encontra-se abandonado e hoje é conhecido como o “fantasma” da Foz do Velho Chico. Finalmente todo povoado Cabeço foi “devorado” pelo mar, que avança cada vez mais dentro da calha do rio.

O surgimento dessa área na Praia do Peba é fruto do movimento da maré e poderá volta a desaparecer a qualquer momento. O solo só voltou a surgir hoje (domingo) pela manhã com a troca da maré.

 

 

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *