Mudanças ambientais propicia criação de camarões em cativeiro na Foz do São Francisco
   Mozart  Luna  │     13 de julho de 2017   │     23:18  │  1

O aumento da salinidade das águas do Rio São Francisco principalmente na região de sua Foz vem causando danos a várias atividades econômicas devido às alterações ambientais. Uma das culturas agrícolas que mais vem sofrendo é a cultura do coco, seguido do arroz e até mesmo da criação de gado e animais de pequeno porte.

Diante dessa problemática ambiental refletida diretamente na atividade produtiva naquela região os ministros do meio ambiente, José Sarney Filho e do Turismo Marx Beltrão, prefeito de Piaçabuçu, Djalma Beltrão  e o presidente do Instituto Chico Mendes para Preservação da Biodiversidade (ICMBio), Ricardo Soavinski discutiram o projeto de criação de camarões em cativeiro, como uma alternativa de substituir as outras atividades econômicas prejudicadas pelo aumento da salinidade das águas do rio São Francisco.

No entendimento dos técnicos o projeto de criação de camarões em cativeiros cai como uma luva dentro da nova realidade ambiental vivida pela população de Piaçabuçu, cidade que vem sofrendo com o problema principalmente no abastecimento de água. O prefeito Djalma Beltrão disse que é preciso realizar mudanças na atual legislação ambiental que proíbe implantação de empreendimentos desse porte na região que integra a Área de Preservação Ambiental (APA) do Peba.
Os assuntos relacionados às licenças ambientais para esse tipo de atividade em APA’s, a atualização do plano de manejo e o desenvolvimento da carcinicultura em Piaçabuçu e região, foi abordado pelo presidente do ICMBio, Ricardo Soavinski. “Centenas de famílias estão sendo afetadas pela salinidade do rio São Francisco nas culturas do coco, arroz e criação de gado, por exemplo. Essa alternativa é a esperança que buscamos para dias melhores e a retomada de geração de renda”, disse o prefeito.

O ministro Marx ponderou o desenvolvimento da atividade para região sul de Alagoas. “Com a regularidade, a unidade de criação de camarão teremos mais uma fonte geradora de emprego e renda. Estamos empenhados em trabalhar para que ela cresça cada vez mais em nossa região”, declarou Beltrão.  Considerando os problemas sociais que o município vive em função das alterações ambientais que ocorreram, a atividade de carcinicultura é uma alternativa para econômica da região.

>Link  

COMENTÁRIOS
1

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Carlos Pereira Gomes

    Boa noite! Na verdade nós que pertencemos a associação Ecoturismo de Piaçabuçu Al, queremos a liberação dos passeios de turismo na região do Pontal do Peba, miai de cima e outras regiões onde abrange o turismo do nosso município, turismo com sustentabilidade e compromisso com com a defesa do nosso meio ambiente, queremos ter o direito de ganhar o nosso pão de cada dia sem medo de ser apreendidos por fiscais do Ibama ou ICMBIU, fica aí o nosso apelo ao nosso Prefeito Djalma Beltrão. O ministro. Max Beltrão e o ministro do meio ambiente. Carlos Gomes. Diretor de operações da associação Ecoturismo de Piaçabuçu Al.

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *