Chuvas dificultam acesso ao aterro de Maceió
   Mozart  Luna  │     22 de junho de 2017   │     21:29  │  0

 

 

As chuvas que caem há mais de 20 dias sobre Maceió provocou uma situação operacional muito difícil para o funcionamento do aterro sanitário da capital, dificultando a chegada dos veículos coletores a célula.  O solo argiloso e pouco compactado do acesso, somando a muita chuva transformou o serviço de coleta de lixo para o aterro numa ação difícil de ser feita.

Entretanto o superintendente de limpeza Urbana de Maceió (Slum), Davi Maia, disse que o atraso no recolhimento do lixo da cidade deverá se normalizar nos próximos 15 dias, com a implementação de uma rota alternativa de acesso dos veículos compactadores. Segundo ele, a empresa encarregada de operacionalizar o aterro sanitário de Maceió, a V -2, vai apresentar um plano de ação para resolver o problema do acesso dos veículos à célula, durante o período invernoso.

Davi Maia disse que as condições climáticas, onde se choveu bem acima da média normal, danificaram as estradas por onde circulam os veículos compactadores, deixando muitos deles atolados na lama e outros danificados. Esses veículos que passavam pouco mais de 10 minutos dentro do aterro, agora ficam até duas horas ou mais, porque não conseguem chegar a célula, tendo que serem rebocados por maquinas e tratores.

Segundo ainda o superintendente da Slum, não se pode impermeabilizar o acesso à célula, já que ela tem esta descoberta para exalar os gases que produz de forma natural. “A célula é como uma lasanha, estamos sempre cobrindo ela com resíduo e terra sucessivamente”, explicar Davi Maia, que tem se trabalhando dia e noite para encontrar uma solução na normalização do recolhimento do lixo da cidade.

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *