Alagoas retoma voos diretos Maceió/Buenos Aires
   4 de dezembro de 2022   │     22:34  │  0

O voo direto da companhia aérea Gol ligando a capital alagoana a Buenos Aires aconteceu neste domingo (4) voltando a operar em Alagoas. A Argentina tem sido o principal mercado emissor internacional do Estado, os voos partem do Aeroporto Internacional Ministro Pistarini (EZE), o principal aeroporto da Grande Buenos Aires, localizado a 35 km do centro da capital Argentina.

A aeronave modelo Boeing 737 MAX 8, com capacidade para até 186 passageiros, desembarca no Aeroporto Internacional Zumbi dos Palmares no domingo (04) às 9h; e parte de Maceió com destino a Buenos Aires sempre aos sábados, às 16h55. A operação começou a acontecer em 2016, o que posicionou a Argentina como a principal fonte de turistas estrangeiros para o estado, e retoma agora, após um período suspenso, em virtude da pandemia da Covid-19.

De acordo com a secretária de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo, Caroline Balbino, essa é uma grande conquista do Destino Alagoas.

“A retomada do voo partindo de Buenos Aires é essencial para aumentar o fluxo de turistas internacionais no nosso estado. O Governo de Alagoas, através da Sedetur/AL, vem implementando ações promocionais na América Latina, com a realização de roadshows, capacitações, rodadas de negócios, além da participação em feiras de turismo, para garantir um aumento do fluxo do público latino-americano para Alagoas. Além disso, estamos em constante articulação com as companhias aéreas para expandir a nossa malha”, destaca a secretária.

Recentemente, gestores da superintendência de Turismo da Sedetur/AL participaram de um roadshow pela Argentina, em parceria com a B2Live e a Gol Linhas Aéreas, capacitando mais de 600 agentes de viagens argentinos sobre o Destino Alagoas – o evento passou pelas cidades de Buenos Aires, Mendonza, Rosário e Córdoba.

Turismo Seguro

A atividade turística em Alagoas conta com o selo Safe Travels da WTTC (World Travel & Tourism Council), entidade de turismo internacional que reconhece destinos ao redor do mundo que tenham implementado protocolos sanitários em padrão mundial.

No total, onze municípios alagoanos já foram contemplados com a certificação internacional – Pilar, Penedo, Maragogi, Porto de Pedras, Piranhas, Japaratinga, Delmiro Gouveia, Marechal Deodoro, Roteiro, Passo de Camaragibe e Maceió.

O estado também registra cerca de 2.308 empreendimentos turísticos com o selo do Turismo Responsável do Ministério do Turismo, ocupando o primeiro lugar do Nordeste em emissão de selos. As duas certificações levam em consideração a prática de condutas que tragam segurança para turistas, trabalhadores e moradores das regiões turísticas.

Comentários 0

Bandeira Azul no Patacho é uma realidade e gera ciúmes políticos
   1 de dezembro de 2022   │     11:33  │  0

Prefeito Henrique Vilela diz que tentar passar informações falsas com interesses políticos

A Prefeitura de Porto de Pedras investiu em infraestrutura na Praia do Patacho, transformando o local em referência com o objetivo de consolidá-la na conquista da certificação Bandeira Azul, com destaque internacional.

O prefeito Henrique Vilela lamentou, contudo, algumas críticas realizadas por empresários do trade, que desejam “privatizar” praia, impedindo que o povo tenha acesso. Nossa redação conversou com o prefeito que classificou a tentativa de disseminação de informações de que a praia estava sofrendo com a ocupação desordenada de bares e também do grande fluxo de veículos.

Segundo o prefeito o acesso a praia é um direito de todos garantido em lei e que o município tem tido todo cuidado para disciplinamento e também preservação do bem público e creditou as denúncias a interesses políticos eleitorais, já visando as eleições de 2024.

Henrique Vilela aproveitou para anunciar que vai solicitar à coordenação nacional a inclusão de mais uma praia da cidade no programa. A praia é a única de Alagoas ao lado de outras três  nordestinas a ter a certificação que reconhece, através de rígidos critérios, todo o trabalho com foco em gestão ambiental, qualidade da água, educação ambiental, segurança e serviços, turismo sustentável e responsabilidade social .

O que é Bandeira Azul

Com critérios rígidos, o programa Bandeira Azul estabelece que praias com sua certificação devem ter atividades de educação ambiental a moradores e turistas, informações sobre a qualidade da água disponíveis aos usuários, além de dados dos ecossistemas locais e fenômenos naturais, incluindo código de conduta que reflita as leis e normas relativas ao uso da praia.

O programa estimula as autoridades locais e os gestores de praia a alcançarem altos padrões de qualidade em quatro temas: qualidade da água, gestão ambiental, educação ambiental e segurança. Ao longo dos anos, o programa tornou-se um rótulo ecológico altamente respeitado e reconhecido, trabalhando para reunir os setores de turismo e meio ambiente em níveis local, regional e internacional.

GALERIA DE FOTOS:

Comentários 0

Animais silvestres resgatados precisam de ajuda
     │     7:00  │  0

Os animais silvestres resgatados em operações pelos órgão ambientais estão precisando de doações para sua sobrevivência no Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas), que possui administração compartilhada pelo o Instituto do Meio Ambiente do Estado de Alagoas (IMA/AL) e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e do Recursos Naturais Renováveis (Ibama). A maioria são vítimas de maus tratos e precisam de medicação para se recuperar antes de serem reintroduzidos em seu habitar. Outros não poderão voltar para natureza e dependeram de ajuda para sempre.

A população pode doar jornais, revistas e folhas de papel, que são usados para forrar o chão das baias e gaiolas, pois auxiliam na limpeza dos alojamentos. Outros objetos que são necessários no Cetas são toalhas, lençóis e panos de modo geral, que servem principalmente para os animais debilitados e filhotes que precisam ser aquecidos.

Semanalmente, 400 a 500 animais vitimas de maus tratos, cativeiro, caça e comercio ilegal chegam ao Cetas, onde passam por triagem e tratamento e, após isso, é verificado se há condições de soltura na natureza. Ainda, animais silvestres podem ser entregues de maneira voluntária e sem quaisquer penalidades, ao Centro.

As doações dos materiais citados acima podem ser deixadas na sede do IMA, localizado na avenida Fernandes Lima, n° 670, Shopping Cidade, 2° andar, de segunda-feira a sexta-feira das 08h00 às 14h00. E, no Ibama, na avenida Fernandes Lima, n° 4023, no bairro Gruta de Lourdes, de segunda-feira a sexta-feira das 08h00 às 17h00.

Texto: colaboração Assessoria IMA

Fotos IMA

Comentários 0

Obra de posto de combustível pode ameaçar base peixe boi marinho em Porto de Pedras
   30 de novembro de 2022   │     11:13  │  0

Segundo um dos moradores que pede para não ser identificado, temendo represálias, a legislação determina que a construção do posto de combustível só poderia ser realizada com 100 metros de distância. Contudo, de acordo com imagens realizadas por Dorne sobre a obra, aponta para uma distância de menos de 15 metros.

Os moradores pedem uma ação órgãos de fiscalização ambiental, para as dúvidas sejam tiradas, já que o riacho Patacho é o recursos hídrico ameaçado e é o manancial que alimenta a base peixe-boi marinho, de responsabilidade do Instituto Chico Mendes para Preservação da Biodiversidade (ICMBio).

Procuramos o Instituto do Meio Ambiente (IMA) para se posicionar sobre o assunto que nos enviou uma nota através da assessoria de imprensa.

“Sobre as denúncias de construção irregular de um posto de combustível, a situação será repassada para a equipe de fiscalização do Instituto para que seja averiguada”.

Tentamos localizar os responsáveis pela obra e não conseguimos. Estamos à disposição para esclarecimentos.

Comentários 0

Vereador volta a denunciar irregularidade no aterro sanitário de Maceió
   29 de novembro de 2022   │     21:28  │  0

O aterro sanitário de Maceió volta a pauta da imprensa desta vez através de um relatório técnico fruto de uma ação de fiscalização do vereador  Delegado Fábio Costa, que constatou mais uma vez uma série de inconformidades na operação do aterro sanitário de Maceió. Para o vereador  a situação com gravíssima e cobra apuração urgente devido aos danos ambientais ao município.

O vereador é o presidente da Comissão de Defesa do Meio Ambiente e Direitos dos Animais da Câmara de Maceió e por isso solicitou a inspeção no local, que ocorreu no dia 19 de outubro deste ano, sob e teve o acompanhamento do engenheiro agrimensor Ramon Salgueiro Cruz.

O objetivo era descrever, detalhar e avaliar as condições técnicas operacionais do aterro sanitário de Maceió, bem como identificar a ocorrência de irregularidades e danos ambientais. O espaço é administrado pela empresa concessionária V2 Ambiental, que vem descumprindo o Contrato de Concessão n. 85.2009, firmado em 05 de junho de 2009, situação que, reiteradas vezes, está sendo denunciada pelo vereador.

Relatório

Célula de resíduos domiciliares sem nenhuma triagem preliminar

Entre as inconsistências detectadas na fiscalização estão recebimento de resíduos inertes misturados com resíduos domiciliares, com descarte na célula destinada aos domiciliares; grande quantidade de material seco (reciclável) junto aos resíduos domiciliares e inertes; ausência de manutenção nos taludes (plano de terreno inclinado que limita um aterro e tem como função garantir a estabilidade do aterro); ausência de tratamento, reaproveitamento, captação, queima e geração de energia do biogás; e ausência de controle de entrada de resíduos.

O relatório ainda aponta que a Central de Tratamento de Resíduos de Maceió tem ausência de operação de Usina de Beneficiamento de Resíduos da Construção Civil e Inertes; apresenta construção de célula clandestina para recebimento de resíduos da construção civil; ausência de Unidade de Tratamento e Compostagem de Resíduos resultantes de Podação; comprometimento da vida útil do aterro sanitário; e supressão de vegetação para ampliação e criação de Célula de Resíduos Inertes.

“É extremamente nítido o descumprimento de diversas cláusulas contratuais e é visível o descaso com deveres e obrigações assumidas por meio do contrato, o qual jamais foi cumprido na íntegra. Estamos diante de uma ocorrência gravíssima, à qual a administração pública deve apurar com máxima urgência, tendo em vista o enorme risco de prejuízo ambiental ao município de Maceió”, analisou o Delegado Fabio Costa.

Os ofícios com pedido de providências e apuração dos fatos foram encaminhados ao prefeito, a órgãos da prefeitura, aos Ministérios Público Estadual e Federal, além da Comissão de Meio Ambiente da Ordem dos Advogados do Brasil em Alagoas (OAB) e ao gabinete do presidente da Mesa Diretora da Câmara Municipal, vereador Galba Neto.

“Há um comprometimento do tempo de vida útil do aterro sanitário de Maceió, que diminuiu consideravelmente e foi prejudicado devido à ausência de cuidados, manutenções preventivas e não cumprimento das etapas estabelecidas na operação”, diz o engenheiro agrimensor Ramon Salgueiro Cruz, no relatório que elaborou.

Procuramos contato com a V2, mas não conseguimos. Esclarecemos que estamos à disposição.

 

Comentários 0