Category Archives: Meio ambiente e turismo

Gratuidade de bagagem pode ser sancionada com restrições
   Mozart  Luna  │     16 de junho de 2019   │     13:00  │  0

 

Bolsonaro pretende manter gratuidade da bagagem em aviões, mas em companhias que barateiem as passagens nos voos domésticos ela será cobrada, como por exemplo, as low cost, que estão chegando ao Brasil. O presidente disse que ainda está estudando a Medida Provisória (MP) que foi aprovada pelo Congresso Nacional e aguarda a sanção presidencial.

A proposta é controvertida e gerou muitas divergências dentro do próprio trade turístico brasileiros. Para as lideranças empresárias a gratuidade prejudica a vinda das low cost. Segundo eles, se a gratuidade for aprovada sem restrições essas empresas podem não vir operar no Brasil.

80% dos turistas usam o transporte aéreo para chegar aos seus destinos turísticos e atualmente a passagem no Brasil é muito cara devido a vários fatores como combustível, taxas aeroportuárias, excesso de peso com bagagem que incide sobre o consumo das aeronaves e aumento os custos com pessoas de terra e toda logística necessária para controle das malas transportadas.
A volta da franquia de bagagem foi aprovada no mês passado pelo Congresso Nacional, na análise da Medida Provisória (MP) 863/2018, que permite 100% de participação de capital estrangeiro em empresas aéreas que atuam no Brasil.

Bolsonaro disse que pode sancionar o texto na íntegra e enviar uma nova MP só para estabelecer regras diferenciadas para as empresas as low cost. “Sanciona [o texto] e depois envia uma MP para a criação de um exceção para as low cost“.

O presidente não soube detalhar como essa distinção entre companhias aéreas de baixo custo e convencionais seria feita, mas ressaltou que o tema está em estudo no governo. Bolsonaro deixou claro, no entanto, que ainda não descartou vetar a franquia gratuita. “Politicamente é bom sancionar, mas temos que pensar na economia”, disse.

O texto do projeto de lei de conversão das aéreas precisa ser sancionado pelo presidente até está segunda-feira (17) para entrar em vigor.

 

 

>Link  

Uma pousada para esquecer o carro e caminhar na praia
   Mozart  Luna  │       │     10:53  │  0

 

Japaratinga é um município litorâneo que fica a pouca mais de 135 quilômetros de Maceió, no Litoral Norte, vizinho a Maragogi. Há quem diga que as praias são mais bonitas e com pousadas maravilhosas como a Coqueiro Verde, que fica de frente para o mar, e no centro urbano daquela pequena cidade.

Quem deseja descansar e esquecer o trânsito das cidades grandes, o local com certeza é a Pousada Coqueiro Verde. Lá você esquece o carro, porque não precisa dele para se deslocar para conhecer as praias, bares e restaurantes, além de poder tomar seus drinks, sem se preocupar em dirigir, ou com as operações bafômetros.

 

Tudo está bem próximo. Basta vestir a bermuda, a camiseta e as sandálias e sair pelo calçadão da orla marítima, e “bater pernas” para conhecer os atrativos de Japaratinga.

Para quem gosta de praticar longas caminhada a rota são pelas areias douradas da praia e escolher entre o Sul e Norte, que dão em lugares lindíssimos e incríveis como nas Barreiras do Boqueirão (Sul), onde se pode saborear deliciosos pratos de frutos do mar, como lagostas, peixes, marisco e tomar uma deliciosa caipirinha de frutas tropicais ou uma cerveja bem gelada.

Equipamento

A pousada Coqueiro Verde, tem amplos e confortáveis apartamentos e suítes com hidromassagens e uma piscina maravilhosa de frente para o mar. O café da manhã é impecável com os quindins regionais, pães e frutas além da deliciosa tapioca, além da alegria e hospitalidade do pessoal da pousada.

 

E se você não pode ficar desconectado, não se preocupe a internet na pousada é grátis disponível para você postar belíssimas fotos desse lugar maravilhoso que é a Pousada Coqueiro Verde e a linda aconchegante cidade de Japaratinga. Agora pegue o telefone ligue para fazer sua reserva ou passar um e-mail. Não perca tempo porque a Coqueiro Verde é bastante procurada. Ligue Já!

RESERVAS -82 – 9.8755-5612/3297-1473/3297-1426

e-mail – [email protected]

 

 

>Link  

O frio e as bebidas da Serra de Água Branca
   Mozart  Luna  │     14 de junho de 2019   │     11:23  │  0

 

FullSizeRender

O inverno chegou com frio  no Sertão e junto com ele as férias de julho. Mais para onde viajar em Alagoas neste período de chuvas? Alagoas é um estado abençoado por Deus. Possui uma diversidade muito grande de roteiros. Entre eles está o circuito de inverno, como as cidades de Água Branca.

Água Branca vem se revelando como um roteiro de viagem de inverno para visitantes de Alagoas, Pernambuco e Bahia. A temperatura média, neste inverno, no município tem sido de 20º pelo dia e à noite tem atingido a 10º, no alto da serra, que fica localizada a 730 metros de altitude. Um lugar perfeito para se agasalhar, tomar chocolate quente, vinho e as tradicionais bebidas da serra.

 

Pegando a estrada

Nossa equipe pegou a rodovia AL 220 para Água Branca, localizada a cerca de 300 quilômetros de Maceió. Quem desejar pode também chegar a Água Branca, através da BR 316 e 423.

 

A história do povoamento da região começa por volta do século 17, com famílias de portugueses e espanhóis, que fugiam do Litoral para evitar a ação dos corsários franceses. Os novos habitantes do Brasil buscavam lugares que com temperaturas amenas, diferente do calor dos trópicos.

Arquitetura colonial

Água Branca possui um acervo arquitetônico colonial muito rico muito bem preservada. Atualmente essa riqueza arquitetônica está ameaçada, já que até hoje não foi tombada pelo Patrimônio Histórico Estadual. Nos últimos dias, um casarão com mais de 300 anos foi demolido, sem que as autoridades se manifestassem.

Os casarões se concentram no centro da cidade, em volta da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição, considerada uma das mais bonitas e imponentes de Alagoas. No seu interior existem pinturas lindíssimas, realizadas por artistas portugueses trazido pelo Barão de Água Branca.  Uma obra prima de deixar qualquer surpreso.

A construção da igreja foi um marco na época, chegando a ser reconhecido pelo próprio imperador D.Pedro II, que visitou a cidade se hospedando no Casarão pertencente ao Capitão Faustino Vieira Sandes. O prédio é do século 19,  considerado um dos mais bonitos e conservados de Água Branca. Seus moveis são da época do seculo 19,  trazidos da Europa.

Outra referência arquitetônica em Água Branca é o sobrado da Baronesa, que data de 1860, construído por Joaquim Antonio de Siqueira Torres, o Barão de Água Branca. O prédio atualmente se encontra necessitando de reparos e todo seu mobiliário foi retirado. Os historiadores defendem que o Sobrado da Baronesa, seja o mais rápido possível, tombado pelo patrimônio histórico estadual, para evitar a sua demolição.

Frio da noite

À noite o centro histórico oferece opções de lazer como barzinhos, onde se pode saborear um tradicional pastel e comer carne de bode assada, além de tomar chope de vinho, no Restaurante Aconchego, que oferece uma grande variedade de frutos do mar, como filé de siri e camarão. Isso mesmo! Frutos do mar no Sertão de Alagoas, e da melhor qualidade. Escolhido pelo por Seu Val, um dos donos do restaurante. Funcionário federal aposentado, Seu Val   deixou a boemia em Massagueria, para ficar curtido o frio da Serra, ao lado de sua esposa, Maria Aparecida Barros neta do lendário Coronel Ulisses Luna.

Também em Água Branca existe outra opção para alimentação. Trata-se do Engenho Lourenço, que possui um cardápio bem regional e o delicioso sorvete de rapadura frita patenteado pelos donos do restaurante.

As bebidas da Serra

 

Depois de um banho de história visitando os casarões históricos de Água Branca e realizar uma boa refeição é hora de subir a serra e curtir o frio da região. Lá no alto, a 730 metros de altitude,  chegamos ao mirante onde encontramos a Tia Dora em seu quiosque. Um ponto de parada obrigatória para quem deseja passar o final de tarde, curtindo o frio  tomando licores dos mais variados sabores, começando  pelo de rosas vermelhas. Nas prateleiras de Tia Dora tem também os licores de murici, jenipapo e jabuticaba. Tudo isso acompanhado de tripa de porco assada com farofa crocante.

A fabricação dos licores é da própria Tia Dora, que cultiva as rosas e deixa as pétalas de molho, por três meses dentro de vodca, para apurar o sabor e adquirir o buquê, que se confunde com um perfume. Já os licores de jenipapo e murici são feitos com cachaça. O preço de uma garrafa é de R$ 30,00 e a produção é limitada.

Os licores da Tia Dora fazem parte de uma tradição dos moradores de Água Branca, em produzirem bebidas, a partir do uso de frutos e ervas da região. Esse costume vem da necessidade da população de encontrar formas de se aquecer, principalmente no inverno. Entre os produtores de bebidas da serra, se destaca o professor José Silva, que possui uma confortável casa no alto da serra.

Zé Silva com é chamado nos recebeu em seu sítio, onde realizamos a degustação de vários tipos de bebidas produzidas a partir da cachaça, misturada as frutas, raízes e ervas. Uma das mais saborosas é o licor puro de jabuticaba, que não leva nenhum tipo de outra bebida alcoólica. Segundo Zé Silva, o licor de jabuticaba é feito através do mesmo processo produção de vinho. Hoje o licor de jabuticaba é uma das bebidas mais procuradas pelos visitantes. Por enquanto, a produção não está à venda, devido a pouca produção.

Na apresentação das bebidas da serra estão a de cravo /murici, rosas vermelhas, boldo/canela e jabuticaba, que apresentam diversas tonalidades de cores e sabores, que vão do vermelho vinho escuro encorpado até o dourado champanhe. A degustação das bebidas da serra acontece na frente de uma lareira, na sala de estar da casa do professor José Silva, que faz questão de mostrar o termômetro afixado na parede, marcando 10º cravados. Este é o nosso inverno na serra de Água Branca, um roteiro de inverno que recomendamos em Alagoas.

Como chegar, onde ficar e fazer

A cidade de Água Branca está localizada no alto Sertão de Alagoas, a pouco mais de 300 quilômetros de Maceió. As condições das rodovias estaduais (AL 220 e 145) são boas, assim como as BRs (316 e 423), que dão acesso a Água Branca.

Água Branca fica próxima a cidade baiana de Paulo Afonso e Delmiro Gouveia e faz parte do roteiro turístico chamado “caminhos do São Francisco”. Em sua na região, bem pertinho existem vários outros roteiros de passeio, como os passeios aos cânions com a empresa MF TUR   Se quiser contratar os serviços de uma agência especializadas no turismo da região existe a agencia de viagens Cactur. Também tem o restaurante Castanho que oferece um lugar lindíssimo para passar o dia fazer passeios e praticar esportes radicais e Pousada Virgulino em Olho D’ Água do Casado.

PASSEIOS

 CACTUR – RESERVA E CONTATOS – 079 98878-9012/99962-8774

EMAIL – [email protected]

ONDE SE HOSPEDAR

HOTEL BRISTO ALINE – 82-3641-5660/98149-0945- [email protected]

POUSADA VIRGULINO – 82 – 98729-6483/3643-1182

– HOTEL ACONCHEGO DO VELHO CHICO  EM PIRANHAS– 82-3686-3497/98736-939

ONDE COMER EM ÁGUA BRANCA

RESTAURANTE ACONCHEGO – NO CENTRO DA CIDADE

QUIOSQUE DA DORA NO ALTO DO CRUZEIRO

RESTAURANTE ENGENHO LOURENÇO

 

 

>Link  

Passageiros pede terminal de desembarque próximo ao Arapiraca Garden Shopping
   Mozart  Luna  │       │     8:21  │  0

O presidente da Agência Reguladora de Serviços de Alagoas (Arsal), Ronaldo Medeiros recebeu está semana a superintendente do Arapiraca Garden Shopping, Fernanda Cabral para analisar a reivindicação dos usuários de transportes complementares da região Agreste sobre mudanças do roteiro dos veículos, têm assuntos a tratar na Central JÁ de atendimento ao Cidadão e Detran/AL, que funciona dentro do Shopping.

Segundo a superintendente do Arapiraca Garden Shopping, os órgãos que oferecem os serviços dos poderes públicos estadual, municipal e também do Poder Judiciário estão localizados no bairro Santa Edwiges. “ No shopping temos a Central JÁ de atendimento, além do Detran/AL e em breve estaremos com uma agência dos Correios”, relatou ela.

Ao lado do Arapiraca Garden Shopping estão localizados também o Centro Administrativo Municipal, o Ministério Publico Estadual e do Trabalho e a Justiça Federal, além de uma agencia da Caixa Econômica Federal.

Os passageiros dos transportes complementares reclamam que têm que pagar mototaxi do Centro onde atualmente estão os pontos de desembarque. Uma grande reclamação vem principalmente dos idosos, que procuram os serviços dos órgãos públicos que estão todos no bairro Santa Edwiges.

“Deveriam ter um terminal rodoviário de todas as linhas de transportes coletivos próximo ao Centro Administrativo de Arapiraca. Porque tudo se resolver naquele bairro e não no Centro que fica muito longe”, declarou Francisco Barbosa Cupertino, 65 anos, que todo mês tem que ir a Prefeitura para recolher o pagamento do ISS de seu pequeno negócio.

Arsal

O presidente da Arsal, Ronaldo Medeiros, disse que o pedido tem fundamentação principalmente porque objetiva atender aos passageiros, principal preocupação do serviço de transportes. Segundo ele será realizado estudos para mudanças da rota, objetivando atender as necessidades, que são legitimas.

Ronaldo Medeiros, pediu que se apontasse o local para se estabelecer como ponto de embarque e desembarque. Dois lugares foram sugeridos, um deles só depende da autorização do prefeito Rogerio Teófilo.

>Link  

Licença do Aterro Sanitário de Maceió está vencida desde 2016
   Mozart  Luna  │     12 de junho de 2019   │     21:10  │  0

 

Os prazos para renovação da licença ambiental do Aterro Sanitário de Maceió, estão vencida de 2016, segundo a ata da reunião realizada em 29 de novembro de 2018, realizada na Secretaria Municipal de Desenvolvimento Territorial e Meio Ambiente.

Sem a licença atualizada, o local deveria ser interditado imediatamente, por não atender as normas ambientais exigidas para o seu funcionamento, como determina a legislação ambiental regulamentada pela lei federal 12.305/10.

O documento obtido (foto) por nosso blog, informa que das oito condicionantes exigidas para o Aterro Sanitária continuar funcionando, a empresa que operacionaliza o local, só cumpriu três e assim mesmo estão sob análise da equipe técnica da Prefeitura.

Entre os itens está a apresentação de relatório de atendimento das condicionantes de Operação, que deveria ser renovada em 2016 e venceu em 11 de janeiro desse ano. Também está pendente a apresentação da consolidação dos monitoramentos realizados na CTR/Maceió, (17.01.19); Laudos de monitoramento do processo de nanotecnologia pós declaração de liberação para lançamento do chorume em recursos hídricos (11.01.19); Plano de Recuperação da Área Degradada do antigo Lixão em Jacarecica e que hoje representar um perigo de desabamento sobre a AL 101 Norte e empreendimentos próximos (11.01.19) e apresentação de estudo hidrogeológico da área do aterro contemplado e a locação dos poços de monitoramento de água subterrânea vencida desde 28 de dezembro de 2018.

Vale lembrar que a empresa que operacionaliza o aterro havia pedido renovação da licença em 2016, mas não conseguiu obter porque não atendeu as condicionantes exigidas pela legislação ambiental.

Laudo IMA

A situação se agrava a cada momento e o Instituto Meio Ambiente (IMA) também já emitiu laudo laboratorial que atesta que :“ a) QUE o sistema de tratamento de efluentes do Aterro Sanitário de Maceió, NÃO atende as condições de tratamento de chorume produzido no Aterro Sanitário, no que estabelece a Resolução do CONAMA nº 430/2011 para as Condições e Padrões de Lançamento de Efluentes, principalmente em cumprimento a Resolução nº 357/2005, Arts 15, 18 e 42”.

Os testes pelo IMA no Instituto de Tecnologia e Pesquisa, em Aracaju/SE apontam que a estação de tratamento não está conseguindo tratar os metais pesados, existentes no chorume do Aterro Sanitário de Maceió.

Os testes laboratoriais constataram que a presença de metais pesados como Arsênio, Cádmio, Ferro, Manganês e Níquel que estão fora do padrão exigidos pela legislação para serem descartado e mesmo assim estão sendo jogados no riacho Jacarezinho que desagua nas praias de Guaxuma, Riacho Doce e Garça Torta.

Ministério Público

O Procurador Geral de Justiça, Alfredo Gaspar de Mendonça Neto, ao tomar conhecimento do fim dos prazos exigidos, na última segunda-feira, determinou a abertura de procedimento investigatório com prioridade através da coordenação de meio ambiente, que tem a frente do Promotor de Justiça, Alberto Fonseca, que terá a responsabilidade de analise com brevidade da situação, diante dos riscos existentes e tomada de providências.

Enquanto isso a população residente próximo ao Aterro Sanitário se preparam, na próxima segunda-feira (17), para protesto com bloqueio dos caminhões de coleta ao local, assim como foi realizado no inicio dessa semana.

Os moradores das comunidades do Carminha, Adraújo, Alto do Cruzeiro de Riacho Doce e Poeirão em Garça Torta, cerca de 100 mil pessoas se uniram e cobram do Ministério Púbico Estadual, Federal, Prefeitura de Maceió e órgão de proteção ao meio ambiente, uma solução para poluição aérea causada e afirmam que não há mais como manter funcionando o aterro, que já chamam de Lixão e clamam por Justiça.

 

>Link