Assentos nos aviões vão mudar para atender a segurança sanitária
   Mozart  Luna  │     1 de maio de 2020   │     18:10  │  0

Nosso blog tem se aventurado em expor cenários de como será a atividade turística, quando retornar mesmo com a presença ainda do vírus circulando, fato que vai exigir das empresas do setor adequação a nova realidade. Aqui já abordamos a necessidade do setor de hospedagem criar um certificado (selo) de garantia de sanitária, e ainda noticiamos que a plataforma Airbnb saiu na frente com esse carimbo de “Clean and Safe”( limpo e seguro), indo mais além exigindo dos anfitriões (locatários), que realizem curso de higienização de ambientes, dentro dos padrões da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Agora chegou a vez das companhias aéreas iniciarem o debate sobre as normas de seguranças sanitárias. Algumas como a Emirates está realizando testes rápidos no chek in nos aeroportos. Mesmo assim as exigências serão maiores dentro dos aviões.

Um exemplo está vindo da Itália, país que mais sofreu com perdas de vidas nesta pandemia do coronavírus. A Aviointeriors, empresa italiana fabricante de assentos para aviões, propõe dois novos modelos de assentos para a classe econômica.

O primeiro é o sistema que leva o nome do deus romano “Janus”, que tem duas faces, o primeiro modelo apresentado pela empresa Aviointeriors consiste numa fila de três assentos, sendo que o banco do meio vai ficar voltado para a direção oposta à dos demais.

Isto para garantir a distância social exigida entre os passageiros sentados à janela e do lado do corredor. Os assentos são feitos com materiais de limpeza fácil e equipados com um escudo, feito de material blindado e transparente, reforçando ainda mais a proteção de todos os lados.

No entanto, este modelo apresenta um senão, para além de não poder ser adotado na fila de saída, por não respeitar os regulamentos de segurança, exigiria uma reconfiguração das cabinas dos aviões.

Um segundo modelo também foi apresentado com o modelo “Glassafe” que consiste apenas na colocação de um escudo entre os assentos, não alterando a sua posição padrão. Neste modelo a distância social não é mantida o que pode causar, problemas entre os passageiros, principalmente se um deles tiver problemas de saúde com tosse, ou gripe. Apesar disso, a Aviointeriors assegura que o escudo impõe uma barreira segura entre os passageiros sentados lado a lado.

A empresa italiana revelou que várias companhias aéreas já estão fazendo consultas e segundo seus diretores acreditam poder lançá-los dentro de oito a onze meses, após concluídas todas as fases de design.

Todos estão já se preparando para nova realidade na atividade turística, já que todo terão que enfrentar o perigo de contágio, pois a quarentena não pode durar a vida toda. A solução é criar normas de segurança, para fazer a atividade econômica volta a funcionar.

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *