Prejuízo no turismo em março foi de R$ 14 bilhões
   Mozart  Luna  │     9 de abril de 2020   │     11:45  │  0

O prejuízo na atividade turística no Brasil, segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), é R$ 14 bilhões em março, consequência da pandemia de coronavírus, que paralisou as atividades do setor

A entidade divulgou os dados, mas não cita as fontes e o método de coleta e mesmo assim já havia divulgado durante o mês a perda de R$ 2,2 bilhões na primeira quinzena de março. Já na segunda quinzena, a perda aumentou drasticamente para R$ 11,96 bilhões com o avanço das medidas preventivas.

Segundo José Roberto Tardro a perda histórica acontece devido à elevada correlação positiva entre o fluxo de passageiros e a geração de receitas no Turismo. “As atividades econômicas que compõem os setores representados pela CNC dependem da circulação de mercadorias e consumidores e, por isso, são os que apresentam maior potencial de impacto negativo”, declarou ainda ele.

A CNC aponta ainda uma queda de 84% no faturamento em relação ao mesmo período de 2019 e um potencial de reduzir 295 mil empregos formais do Turismo nos próximos três meses.

“Historicamente, para cada queda de 10% no volume de receitas do setor, o nível de emprego no setor é impactado em 2%, ou seja, os prejuízos já sofridos pelo setor no mês passado têm potencial para reduzir o nível de ocupação em 295 mil postos formais em até três meses”, destacou o economista da CNC responsável pelo levantamento, Fabio Bentes. Ele ainda ressalta que o Turismo vinha liderando o processo de recuperação econômica, antes da crise, e tinha tudo para voltar ao nível pré-recessão até o fim deste ano. “Este cenário, agora, está descartado”, completou.

A taxa de cancelamento de voos nacionais e internacionais, nos 16 maiores aeroportos do Brasil, responsáveis por mais de 80% do fluxo de passageiros, saltaram de uma média diária de 4% nos primeiros dias de março para 88% até o final daquele mês. Já o número de voos confirmados diariamente recuou 91% – em relação à última semana de fevereiro.

 

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *