Monthly Archives: março 2020

Faça aqui curso on line de marketing para agentes de viagens neste período de pandemia
   Mozart  Luna  │     29 de março de 2020   │     6:00  │  0

Nosso blog está disponibilizando a oportunidade de você realizar um curso on line para agentes de viagens, durante esse período de pandemia, para fidelizar seus clientes e retomar as vendas.

 

Apesar do confinamento, a Central de Receptivos continua a trabalhar e lançou uma nova ferramenta para os agentes de viagens, concretamente ao nível da formação.
Ángela Fernández, responsável de Te lo Cuento de Camino, preparou um curso online de Marketing Turístico em agências de viagens, no qual vão ser partilhadas estratégias para cultivar a médio e longo prazo e “poder colher frutos de forma mais constante e repartida no tempo”. A Central de Receptivos considera importante que a agência de viagens tenha “uma estratégia a longo prazo, que seja constante e que comece a colocar em prática o mais cedo possível”.
O curso vai realizar-se a partir de 31 de março, às terças e quintas-feiras, das 15h30 às 17h30. As incrições podem ser efetuadas aqui.

>Link  

Atividade turística volta a normalidade em julho
   Mozart  Luna  │     28 de março de 2020   │     15:01  │  1

O presidente do Maceió Convention & Vistors Bureau, o executivo dos Grupos Tropicalis, Tropicana e Hotéis Salinas, Glênio Cedrin, desenhou um cenário de perspectivas que exigem muito planejamento. Segundo ele será um momento duro com recuperação mês após mês, a partir de julho, com a retomada de confiança das pessoas para viajar. “Teremos no segundo semestre, segundo dados, até o momento, uma boa agenda de eventos importantes em Maceió, que ajudará nesta recuperação a partir de agosto e setembro”, disse ele.

Em agosto, o turismo de eventos, traz para Alagoas três grandes atividades do segmento em Maceió. Segundo ele vai lotar a hotelaria. Em final de agosto, seguido por setembro e outubro é a vez do retorno do turismo de lazer.

Segundo ainda Glênio Cedrin,  a maior operadora da América Latina, que tem Alagoas como um dos seus principais produtos, já confirmou reservas para agosto, setembro e outubro.  Essa garantia é dada também, graças ao pacote casado com as companhias aéreas, que já estão bem mais otimistas, com relação a passagem da tempestade.

Contudo, Glênio Cedrin, enfatiza que todo esse cenário foi montado, tendo como base as decisões tomadas pelo Governo do Estado. “Foram medidas acertadas e tomadas rápido para evitar a propagação do coronavírus”, disse ele.

Cendrin disse ainda, que concorda com a prorrogação da quarentena por mais dez dias em Alagoas. Para garantir, que a chamada curva de contaminação, comece a cair rapidamente como já demonstra. “Esse fator é essencial”, disse ele.

O executivo é conhecido por ser um grande observador de cenários e também por ser um dos mais bem informados executivo de turismo do Nordeste.

Suas colocações são ouvidas com respeito e credibilidade, já que tem raízes familiares e empresarias, em um dos maiores grupos de hoteleiro, receptivo e de eventos de Alagoas, o Grupo Tropicalis e Amarante (Hotéis Salinas).

O cenário montado pelo executivo, traz um alento de esperança e afasta o desespero de pequenos empresários, que buscam informações para também traçar planos para travessia da pandemia criada pelo coronavírus.

“É bom lembrar que de qualquer maneira estaríamos, neste momento, passando pela chamada baixa temporada, com poucos turistas”, disse ele. “O detalhe é que essa situação sazonal foi agravada por dois fatores: primeiro a presença das manchas de óleo nas praias e agora o coronavírus”, relata ele.

“Por isso o setor precisamos da ajuda dos governos para se manter vivo até volta da normalidade sanitária no país”, disse ainda ele.

São Paulo: polo emissor

O principal polo emissor de turistas para Alagoas é o Estado de São Paulo. “De lá vem cerca de 70% dos turistas que recebemos, sendo 20% da capital e 50% do interior e 30% de outras regiões do Brasil”, declarou Glênio Cedrin. “A capital paulista, local mais atingidos pela coronavírus, representa apenas uma fração. Já cidades como Campinas tem mais importância, por ter um volume emissor de turista muito maior”, lembra ele.

Segundo ele, o Estado de São Paulo vai surpreender o mundo com sua capacidade para vencer essa pandemia. “Para começar é o maior centro médico da América Latina e referencial no Mundo, pela excelência de seus profissionais, além de ter um parque industrial fabuloso com muitas riquezas”, enfatiza ele, arrisca dizer que em julho e agosto, os paulistas estarão comemorando uma grande vitória.

Projeto TAP

O presidente do Maceió Convention também comentou o Projeto de Internacionalização do destino Alagoas, numa parceria com a companhia aérea TAP. Segundo ele, o projeto está preservado. “Acredito que deverá ser adiado para o segundo semestre e terá uma grande aceitação”, disse ele.

“No início o volume será pequeno, como todo projeto iniciante, mas que é de grande importância para Alagoas que foi lançada na Europa e deve conquistar os corações dos europeus”, declarou Cedrin.

Coronavírus vai salvar empresas

Segundo o presidente do Maceió Convention, a pandemia teve um efeito rápido na atividade do turismo, com cancelamentos de reservas e voos. Diferentemente do problema gerado pela mancha de óleo, no ano passado, que assustou, mas foi possível administrar sem risco a vida.

Segundo ainda ele muitas empresas já estavam com problemas financeiros, abaladas com o problema da mancha de óleo. “O cenário das reservas com as operadoras, alteradas de abril a junho para o segundo semestre foi fortalecido com a MP, que salvou as Cias Aéreas neste momento de caos, concedendo um prazo para o ressarcimento das passagens para 12 meses da data da alteração.  Dando um importante fluxo de caixa para vendas futuras e aliviando este momento de parada total da malha aérea. Está medida indiretamente ajudou as operadoras nacionais que tinham também uma quantidade significativa de vendas futuras que seriam canceladas e com esta medida redirecionou os clientes a remarcarem as suas viagens”, disse ele.

Glênio Cedrin voltou a recomendar a prorrogação da quarentena, mas com algumas exceções disse “que vencermos juntos esse problema de saúde pública mundial e voltou a recomendar que, no momento a melhor atitude é ficar em casa, para impedir a propagação do vírus”, finalizou.

 

 

 

 

 

 

>Link  

Hora de relaxar: vamos visitar o Oceanário de Lisboa
   Mozart  Luna  │       │     10:00  │  0

 

Hoje nosso blog lhe convida a relaxar um pouco e fazer uma viagem virtual por um dos lugares mais interessantes para turistas que é o Oceanário de Lisboa, sem sair de casa é claro. Nosso objetivo é amenizar a guerra de informação sobre a pandemia e fazer você mergulhar no Oceano de beleza e cores.

Final de semana em casa, junto da família e com as crianças bem pertinho de você, um momento único para ficar para sempre na memória de nossos “miúdos”, como dizem os portugueses.

Prontos? Então só clicar abaixo no link do https://www.oceanario.pt/

>Link  

Comunidade internacional se manifesta em apoio aos governadores no Brasil
   Mozart  Luna  │       │     6:00  │  0

Depois do presidente do Brasil, declarar que a pandemia do COVID-19 é uma “gripezinha”, ou “resfriadinho, vários segmentos políticos internacionais se manifestaram em apoio as decisões dos governadores e prefeitos brasileiros em manter a quarentena em seus Estados e municípios.

Uma dessas manifestações é do  partido politico portugês PAN (Pessoas, Animais e Natureza) que exige que o Governo “proceda à suspensão dos voos de todas as companhias aéreas, comerciais ou privados, com origem do Brasil ou destino para o Brasil”, reivindicação que surge depois de Jair Bolsonaro, presidente do Brasil, ter desvalorizado a pandemia de COVID-19, comparando a doença a “uma gripezinha” ou “resfriadinho”.

Segundo o PAN, “ a postura irresponsável do Presidente da República Federativa do Brasil não só demonstra um enorme desprezo por aquelas que têm sido as orientações da Organização Mundial de Saúde, como demonstra uma falta de estratégia no combate à pandemia e um total desprezo pela saúde e bem-estar do povo brasileiro, por isso para além de merecer o repúdio inequívoco da Assembleia da República, exige a ação do Governo”, defende o PAN, num comunicado enviado à imprensa esta quinta-feira à noite, 26 de março.

O presidente do Brasil disse que o país deve retornar à “normalidade” e defendeu o fim das restrições de circulação em curso nos estados brasileiros mais afetados pela pandemia, como São Paulo e Rio de Janeiro, que decretaram uma série de medidas para combater a pandemia, como o confinamento em massa ou o encerramento de escolas e vários estabelecimentos comerciais.

Para o PAN, “atendendo à atual situação epidemiológica no Brasil, à necessidade de conter as possíveis linhas de contágio para controlar a situação epidemiológica em Portugal e à atual postura irresponsável do Presidente da República Federativa do Brasil, o atual momento exige que o Governo, no exercício das suas competências, proceda à suspensão dos voos de todas as companhias aéreas, comerciais ou privados, com origem do Brasil ou destino para o Brasil, com destino ou partida dos aeroportos ou aeródromos portugueses”, lê-se na informação divulgada.

“O Brasil é um dos poucos países de fora da União Europeia a que Portugal não impôs qualquer suspensão de voos”, defendendo, no entanto, que “os acontecimentos recentes exigem uma reponderação de tal exceção em nome da proteção da saúde pública”, diz partido político lembra que, por força do Despacho n.º 3427-A/2020

“Nestes termos, a Assembleia da República, nos termos do n.º 5 do artigo 166.º da Constituição, por intermédio do presente Projeto de Resolução, recomenda ao Governo que, como medida de prevenção e em nome da proteção da saúde pública, proceda à suspensão dos voos de todas as companhias aéreas, comerciais ou privados, com origem do Brasil ou destino para o Brasil”, justifica o partido, que propõe, no entanto, algumas exceções, como os voos de Estado, de carácter humanitário ou de repatriamento.

No mesmo comunicado, o PAN diz ainda que o seu posicionamento “pretende, simultaneamente, assumir uma manifestação institucional de solidariedade para com o povo brasileiro e principalmente para com os Governadores dos Estados brasileiros que se opuseram a esta postura do seu Presidente da República e que corajosamente seguiram e implantaram as recomendações da Organização Mundial de Saúde”.

O PAN não é, no entanto, o primeiro partido político português a manifestar preocupação com os voos vindos do Brasil, uma vez que também Rui Rio, presidente do Partido Social Democrata (PSD), manifestou a sua preocupação com a postura assumida pelo presidente brasileiro, logo após o discurso de Jair Bolsonaro, a 24 de março, no qual pediu a reabertura das escolas e estabelecimentos comerciais nos estados que decretaram o seu encerramento por causa da COVID-19.

“Se isto vier a acontecer, nós vamos ter de nos proteger de forma redobrada e de imediato, relativamente aos voos vindos do Brasil. Desta vez não pode haver atrasos”, defendeu Rui Rio, no Twitter.

 

 

>Link  

MTur anuncia medida de ajuda de empresas, mas que não atende a maioria
   Mozart  Luna  │     27 de março de 2020   │     21:16  │  0

O Ministério acaba de divulgar uma medida de ajuda as empresas de turismo, mas que na opinião dos representantes do setor só atende aos grupos hoteleiros e esquece os milhões de empresários donos de pousadas, restaurantes, bares e pequenos hotéis e receptivos de turismo. Veja na íntegra as medas através do press-release da MTur:

“Uma nova linha de crédito permitirá que pequenas e médias empresas quitem suas folhas de pagamento por dois meses durante a pandemia do coronavírus. O anúncio foi feito nesta sexta-feira (27.03) pelo presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, e é mais uma medida econômica do governo federal para o momento de crise. O dinheiro será emprestado pelos bancos para empresas com faturamento anual entre R$ 360 mil e R$ 10 milhões.

A medida atende uma demanda importante do setor do turismo, um dos mais afetados pela situação. Cerca de 80% do setor de turismo é formado por micro e pequenas empresas. Quem receber o empréstimo não poderá demitir funcionários pelos dois meses e o dinheiro será depositado direto na conta do trabalhador, limitado a dois salários mínimos. O valor total da linha de crédito será de $ 40 bilhões, sendo 85% (R$ 34 bilhões) subsidiados pelo Tesouro Nacional.

Para as empresas, será oferecida uma carência de seis meses e o pagamento poderá ser feito em até 36 meses, com uma taxa de juros de 3,75% ao ano. A operação será feita pelo BNDES, mas conta com a participação de bancos privados e do Banco Central (BC). Segundo o presidente do BC, Roberto Campos Neto, será preciso aprovar uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC) para permitir ao Banco Central emprestar direto às empresas. A expectativa é atingir 12,2 milhões de empregados de 1,4 milhão de empresas no país.

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, reiterou o empenho do governo federal em apoiar todos os afetados pela crise. “A sobrevivência dos trabalhadores de todo o país, incluindo os que dependem do turismo para sustentar suas famílias, está inserida nas principais medidas que vêm sendo anunciadas pelo nosso governo, sob a liderança do presidente Jair Bolsonaro. Essa linha de crédito, que garante o pagamento dos funcionários e auxilia as empresas neste momento de dificuldade, é mais uma delas”, destacou o ministro.

Álvaro Antônio ressalta, ainda, que o Ministério do Turismo tem trabalhado com afinco para garantir a manutenção dos milhares de empregos que vêm do turismo, além de assegurar condições para que o setor volte a crescer igual observado ao longo de 2019.

APOIO – Nesta quinta-feira (26), a Câmara dos Deputados aprovou Projeto de Lei que prevê o pagamento de R$ 600 para os trabalhadores informais impactados pela pandemia do coronavírus. O benefício será pago pelo período de três meses e poderá ser acessado por trabalhadores do turismo que cumpram os requisitos. O texto segue agora para apreciação do Senado Federal”.

Edição: Lívia Nascimento

 

>Link