Turistas reclamam da demora dentro de ônibus em Maceió
   Mozart  Luna  │     4 de julho de 2019   │     19:20  │  0

 

Para quem trabalha o ano todo, as férias é um momento para descansar e sair da rotina estressante, que se passa geralmente no trânsito nas cidades. Contudo, se o turista contratar os serviços de algumas agências de viagens em Maceió, o passeio pode se tornar uma volta ao ritmo de trabalho, como tem sido o caso de dezenas de turistas, que chegam a passar horas dentro de um ônibus circulando na cidade até embarcar o último passageiro.

O número reclamações cresceu bastante nos últimos anos, chegando ao ponto de alguns turistas desistirem de irem ao passeio, ainda quando estão embarcando os outros passageiros. Cansados de passar horas dentro de coletivo, que faz um verdadeiro city tour. Aqueles que estão em Alagoas pela segunda vez,  evitam contratar as agencias de viagens e optam por contratar um taxi, alugar um carro, ou simplesmente não fazer passeios.

Segundo o analista de sistemas paulista, Antonio Cupertino Arache, que contratou os serviços de uma grande agência de viagens em Maceió, embarcar em dos ônibus para fazer passeios foi a continuidade de sua rotina na capital paulista. “Embarquei junto com minha esposa e dois filhos menores, às 7:15 horas no hotel, onde estava hospedado na Pajuçara, mas só iniciamos a viagem com destino ao passeio em Maragogi, às 8: 29 horas”, relata ele.

“Uma hora e meia dentro de um ônibus, enfrentando um trânsito terrível e ouvindo o buzinar dos outros veículos, que estavam atrás, já que parávamos em locais proibidos por falta de local de estacionamento para embarque dos passageiros”, disse ainda ele.

O problema é antigo, diz um guia de turismo, que trabalham há 6 anos conduzindo grupos. “As reclamações são muitas e nós não temos culpa, embora os turistas nos procurem para protestar contra essa forma de operação”, disse ele, que pediu para não se identificar por temer sofrer retaliação da empresa que presta serviço.

Segundo o profissional de turismo, as empresas querem economizar o máximo, lotando os veículos e fazendo uma logística de embarque “que é uma loucura que castigar o turista”, acrescenta ele.

“Já cheguei a passar duas horas e meia embarcando passageiros até iniciarmos nossa viagem rumo a Maragogi. Foi um dos piores momentos da minha vida. Todo mundo me xingando, chorei e quase desisti de conduzir o grupo”, relatou o guia de turismo, que pediu para que os órgãos públicos que cuidam do turismo tomem providencias.

Procon

O diretor do Procon Maceió, Leandro Almeida, disse que os turistas que se sentirem prejudicados de alguma forma nos serviços contratados, pode comunicar o fator ao órgão pelos telefones 0800 082 4567 ou 98882 8326 e fazer a reclamação. Entretanto ele recomenda que primeiro os passageiros busquem se munir de documentos e provas necessárias como recibos, contratos e até mesmo gravação de vídeo em aparelhos celulares mostrando que estão passando horas dentro dos ônibus de turismo.

“Confirmado os abusos ou falta do cumprimento dos serviços contratados a empresa terá que fazer um abatimento dos valores pagos”, disse Leandro Almeida. Segundo ele o órgão já tinha conhecimento de problemas desse tipo, mas não sabia que estava se agravando.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *