Postes “apodrecidos” da Equatorial colocam em risco vidas na Barra de São Miguel
   Mozart  Luna  │     1 de julho de 2019   │     8:49  │  0

 

Depois de deixar um dos polos de turismo mais importantes de Alagoas sem energia por quase 54 horas sem energia, no Litoral Norte, a empresa Equatorial continua ainda sem atender as expectativas da população e principalmente dos consumidores comerciais que têm tido grandes prejuízos. Desta vez as reclamações chegam do Litora Sul de outro importantíssimo destino turístico que é a Barra de São Miguel, região metropolitana de Maceió.

Os empresários e moradores de várias ruas da Barra de São Miguel. próxima a orla marítima denunciaram que vários postes estão com sua estrutura totalmente comprometida devido a corrosão provocada pela maresia. A situação mais critica está na rua São Francisco Dâmaso Sampaio, loteamento Barramar, onde o poste de número 38868, pode desabar a qualquer momento levando consigo toda rede de alta tensão.

O local é bastante movimentado, já que fica em frente um edifício de três andares, com mais de 100 apartamentos, além de pousada e várias residências e uma praça que é frequentada pela comunidade e turistas, que sempre estão tirando fotos no local já que é um ponto turístico da região.

Segundo o proprietário da Pousada Vivá Barra, Marcos Jacinto, a situação é de grande apreensão e também de revolta, já que por várias vezes comunicou o fato a Equatorial, que chegou a enviar uma equipe ao local, mas que só observou o poste há cerca de um mês e nunca mais voltou para solucionar o problema.

Segundo ele o temor é que a rede caia a qualquer momento e possa fazer vítimas além de causar prejuízos materiais. Os empresários e moradores já pensam em acionar o Ministério Público, a Defesa Civil e comunicar a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) .

Nosso blog falou com a assessoria de comunicação da Equatorial em Alagoas, que informou que estaria realizando contato com os reclamantes e providenciando a troca dos postes, mas até agora os denunciantes informaram que nada foi feito.

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *