Monthly Archives: junho 2019

Iniciadas obras no aeroporto Zumbi dos Palmares para conquistar categoria Delta
   Mozart  Luna  │     26 de junho de 2019   │     13:52  │  0

 

Gostaríamos de corrigir a informação sobre as obras que estão sendo realizadas no Aeroporto Zumbi dos Palmares. O trabalho está sendo realizada por exigência da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

As obras de adequações tem por objetivo melhorar as condições operacionalização do aeroporto e também, faz parte das etapas para conquistar a categoria Delta, que possibilita a colocação de voos regulares internacionais, com aeronaves maiores com o A 330 e assim viabilizar o aumento do fluxo de turistas, principalmente da Europa.

Há mais de 7 anos o trade turístico alagoano aguarda com ansiedade a reclassificação do aeroporto da categoria Charles ( C ) para Delta (D), viabilizando que as operadoras de turismo possam iniciar a venda de pacotes turísticos, usando companhias aéreas internacionais com voos regulares para Alagoas.

Atualmente aparelhos como A 330, só pousam no aeroporto Zumbi dos Palmares mediante autorização especial, mas que chega a tramitar por até oito meses, nas mesas da burocracia da Infraero, Anac e DAC em Brasília. Um desses casos é o caso da companhia portuguesa Hi Fly, que todos ano realiza um voo fretado (charter) de Lisboa/Salvador/Maceió/Lisboa/Maceió, numa operação considerada estressante para os empresários que viabilizam charter.

Houve situações da demora em conceder a autorização foi tanta, que o operador do voo pensava em descer o A 330 em Recife e levar para lá, mais de 150 alagoanos que haviam comprado o pacote de réveillon em Portugal.

Entraves do município

Para o aeroporto Zumbi dos Palmares conquistar a categoria Delta é necessário também, que sejam removidos obstáculos que foram construídos e instalados ilegalmente, no lado externo e próximo à pista de pouso e aterrisagem. Essas construções ferem as normas de segurança de aeroportuárias, prevista pelo Ministério da Defesa, DAC e Anac.

A retirada desses obstáculos depende da ação da prefeitura de Rio Largo, onde o aeroporto Zumbi dos Palmares está localizado. O prefeito Gilberto Gonçalves chegou a assinar um documento, se comprometendo a fazer as adequações, mas nunca cumpriu, e a situação de segurança dos voos continua ameaçada.

Entre os obstáculos que colocam em risco os voos e impedem a reclassificação do aeroporto para categoria Delta estão uma rede elétrica da Equatorial; uma torre de telefonia celular e alguns imóveis com dois andares, erguidos colados ao muro da pista de pouso e aterrisagem.

 

Abaixo listamos as exigências feitas pela ANAC para o SBMO – (Aeroporto de Maceio)

1 – Existência de objetos não frangíveis na faixa de pista.

2 – Existência de valas de drenagem na faixa de pista.

3 – Faixa preparada não apresenta o alargamento na região central requerido para operação IFR precisão.

4 – Ondulações na faixa preparada.
5 – Desnível entre acostamento e faixa preparada.

9 – Ausência de sinalização vertical – Implantação da sinalização vertical.

10 – Trechos da faixa preparada apresentam declividade transversal > 2,5%.

>Link  

Turistas morrem misteriosamente na Republica Dominicana
   Mozart  Luna  │     25 de junho de 2019   │     13:10  │  0

O ditado “o barato pode sair caro” pode caber bem nos pacotes que estão sendo vendidos para Republica Dominicana, ilha localizada no mar do Caribe. O saldo de 19 turistas que morreram misteriosamente, todo norte-americanos, gerou uma investigação do FBI,

Atraídos pelos baixíssimos preços cobrados pelos luxuosos resorts, com regime de tudo incluído, e pelas praias paradisíacas com areia branca e mar cálido, a República Dominicana tornou-se há muito num dos principais destinos turísticos das Caraíbas. Mas aquele que é considerado um destino de sonho para muitos turistas tem-se transformado nos últimos meses num autêntico pesadelo para alguns turistas norte-americanos.

O assunto virou manchete em vários veículos internacionais e gerou um alerta para quem deseja viajar para a República Dominicana.

Os 19 cidadãos dos EUA estavam alojados em hotéis de luxo na República Dominicana sendo oito este ano e 11 em 2018. O país recebe cerca de dois milhões de turistas norte-americanos por ano e o receio face às ameaças deste destino poderão afundar o sector.

Apesar de não haver certezas quanto à causa das mortes, nem mesmo se há uma correlação entre elas, certo é que estes episódios fizeram disparar os alarmes nos Estados Unidos. O FBI já enviou uma equipa para o país com vista a investigar os casos e averiguar se existe uma relação direta entre eles.

A primeira suspeita caiu sobre a água e do gelo servido e até dos petiscos servidos no sistema all inclusive. Entretanto as investigações agora recai sobre a possibilidade de bebidas falsificadas poderem servidas também no sistema all inclusive aos turistas em resorts localizados em vários pontos do país. Sobre a veracidade desta hipótese, só os exames toxicológicos a poderão comprovar. Por enquanto, persistem muitas dúvidas até a investigação estar concluída.

As vítimas têm idades compreendidas entre os 41 e os 67 anos e estavam hospedas em vários hotéis de luxo localizados em diferentes regiões da República Dominicana. As circunstâncias das mortes também não são comuns.

Vittorio Caruso, um cidadão nova iorquino, de 56 anos, é a vítimas mais recente da onda de mortes repentinas no país, confirmaram esta segunda-feira as autoridades norte-americanas. Entre as mortes está a do conhecido empresário norte-americano antigo sócio de uma pizzaria na cidade de Glen Cove, em Long Island, que morreu na última quarta-feira após ter tomado uma bebida num resort em Santo Domingo.

Vittorio Caruso começou-se a queixar-se com dificuldades respiratórias assim que ingeriu a bebida, acabando por morrer já no hospital, na sequência de um ataque cardíaco. Este indivíduo não teria problemas de saúde, de acordo com o seu médico, e estava aposentados  e recentemente tendo decidido passar uma temporada na República Dominicana, um dos seus destinos de eleição. O resultado da autópsia só deverá ser conhecido daqui a uma semana.

Logo em seguida, precisamente seis dias antes morrera Joseph Allen, outro turista norte-americano, de 55 anos, após ter-se sentido indisposto quando se encontrava na piscina com um grupo de amigos no resort Terra Linda, em Sosúa, que se retirou para o apartamento onde foi encontrado morto no outro dia caído no chão

Governo dominicano esconder laudos.

Em 2018 no dia 10 de junho foi Leyla Cox, de 53 anos, também faleceu num quarto do hotel Excellence Resorts, em Punta Cana, aparentemente devido a um ataque cardíaco. Em declarações *a CBS, o filho Will Cox disse duvidar da validade da autópsia realizada no país, sublinhando acreditar que a mãe ainda hoje estaria viva se estivesse em qualquer outro país com exceção da República Dominicana.

Um casal morreu morte foi registrada quando faziam o chekout do hotel. Nathaniel Holmes, de 63 anos, e Cynthia Day, de 49 anos, também morreram enquanto aguardavam que o staffdo hotel Grand Bahia Principe, em La Romana, fizessem o checkout. Depois de falhar o horário de saída, este casal do estado norte-americano de Maryland teve que esperar muito tempo até os funcionários da recepção lhes efetuarem o checkout. Quando chegaram ao local, os dois turistas já estavam mortos com hemorragias internas, nomeadamente no pâncreas.

Os relatórios forenses realizados no país indicaram ainda que as duas vítimas tinham líquido nos pulmões e no cérebro, assim como cirroses nos fígados. Mas as autoridades norte-americanas aguardam mais resultados de testes toxicológicos.

Incrivelmente cinco dias antes, morreu Miranda Schaup-Werner, de 41 anos, que estava a comemorar o aniversário de casamento com o marido no mesmo hotel em que esteve alojado o casal de Maryland. Esta turista norte-americana, natural da Pensilvânia, caiu abruptamente inanimada no chão após ter tomado uma bebida do minibar. O resultado preliminar da autópsia refere como causas da morte um ataque cardíaco, edema pulmonar e falha do sistema respiratório.

O norte-americano John Corcoran, de 60 anos, foi por sua vez encontrado morto no seu quarto noutro hotel da República Dominicana, cujo nome não foi avançado pela imprensa. Supostamente, este cidadão – que viajava com regularidade para o país – tinha problemas cardíacos, mas os resultados da autópsia revelaram-se igualmente inconclusivos.

Bebidas adulteradas

Uísque falsificado pode ter sido a causa da morte também em meados de abril, Robert Wallace, de 67 anos, morreu após ter bebido um uísque escocês que se encontrava no minibar do Hard Rock Hotel & Casino, em Punta Cana.

Em julho de 2018, David Harrison, de 45 anos, também faleceu quando se encontrava hospedado no mesmo hotel Hard Rock & Casino, em Punta Cana. De acordo com a mulher, o marido sofreu um ataque cardíaco um dia depois de ter feito snorkeling, mas terá tomado também uma bebida do minibar do quarto do hotel.

Yvette Monique Sport, de 51 anos, estava a passar férias no hotel Bahia Príncipe, em Punta Cana, com o seu noivo em junho de 2018, tendo-se sentido indisposta também após ter ingerido uma bebida que se encontrava no minibar do quarto do hotel. Durante a noite, o noivo diz ter ouvido um ruído estranho, mas na altura estava com sono e desvalorizou. Quando acordou, na manhã seguinte, deparou-se com a noiva sem vida ao seu lado na cama.

As autoridades dominicanas garantem estar a cooperar com as norte-americanas na investigação destes casos, que contam ainda com a colaboração dos familiares das vítimas, ainda que insistam que se trata de situações pontuais. O Ministro do Turismo dominicano, Francisco García, afirmou que estes episódios são um “fenómeno estatístico normal” ainda que constituam exceções. “Queremos que prevaleça a verdade. Mas posso dizer que não temos nada a esconder aqui. A causa mais provável é sempre a morte natural “, declarou o governante na passada sexta-feira.

A presidente da Associação Hoteleira da República Dominicana, Paola Rainieri, assegurou, por seu turno, que o país continua a ser um destino seguro para os turistas. Mas embora a administração norte-americana não tenha emitido qualquer aviso para os cidadãos norte-americanos evitarem a República Dominicana, os receios são evidentes entre os turistas nacionais.

Esta situação está também a preocupar as autoridades dominicanas, uma vez que poderá contribuir para a quebra do sector do turismo, que envolve mais de 332 mil empregos diretos e 650 mil indiretos, representando cerca de 8% do PIB do país. Só em 2017, a República Dominicana recebeu 2,7 milhões de turistas norte-americanos, um dos seus principais mercados.

>Link  

Baleia surge nadando dentro da enseada de Maragogi
   Mozart  Luna  │       │     7:23  │  0

 

Uma baleia provavelmente da espécie jubarte (baleias cantoras), surgiu ontem dentro da enseada de Maragogi, em frente ao Hotel Salinas, na zona urbana da cidade, por volta das 16 horas. Segundo os pescadores que também viram dizem que se trata de uma baleia ainda jovem, provavelmente 8 anos de idade.

O mamífero fez vários movimentos fazendo questão de chamar a atenção dos turistas, que realizavam passeio de lancha pela orla de Maragogi. Segundo os pescadores nunca uma baleia atravessou o paredão de corais para dentro da enseada, fato que preocupa a todos, já que se a maré baixar, como está previsto para as 14 horas ele poderá morrer.

A presença de baleias no mar de Maragogi não novidade e nós mesmo já realizamos a reportagem registrando a cardumes desses mamíferos a 3 milhas da costa. Segundo Alemão pescador que realizar passeios turísticos, para observação de baleias no Litoral Norte, a baleira já teria ido embora. Entretanto a partir de agora pode ser que outras possam voltar a entrar na enseada o que é perigoso para elas.

Alemão disse ainda que as jubartes são dóceis e geralmente não causam problemas nem ameaças. “Essa época elas estão chegando, passam por aqui bem perto da praia vindas do polo Sul”, disse o experiente pescador.

Segundo ainda os pescadores atualmente o mar vive o período do que se chama “maré morta”, ou seja, o nível da água não sobe, nem desce muito se mantendo estável o que poderá ajudar a fazer o que a baleia possa sair da enseada.

 

 

>Link  

O luxo de viajar na primeira classe
   Mozart  Luna  │     24 de junho de 2019   │     12:00  │  0

 

Viajar é uma das melhores da vida, já que você pode conhecer pessoas e culturas diferentes, mas para viajar é preciso usar um transporte e geralmente, que deseja conhecer regiões ou países mais afastados, se usa o avião porque é mais rápido, confortável e se pode aproveitar o tempo e porque não descansar e aproveitar o voo usufruindo dos mimos oferecido aos passageiros.

Pensando nisso as companhias aéreas oferecem serviços de luxo nas cabines especial das classes especiais. Para isso se desenvolveu bastante em termos de tecnologia e conforto dentro da aviação civil. Há companhias aéreas que surpreender em termos de conforto que chegar a ser impressionantes.

Tudo isso é uma questão de opção e disponibilidade financeiras. Na Primeira Classe existe mais espaço e privacidade, um serviço da tripulação ainda mais atencioso, bar à disposição, refeições criadas por chefs com estrelas Michelin.

O preço é proporcional ao luxo oferecido, mas não deixe de sonhar e veja na galeria aquelas que são, provavelmente, as cabines mais luxuosas onde se pode viajar.

>Link  

Serviços de bordo em aviões podem ser cobrados
   Mozart  Luna  │       │     6:00  │  0

As passagens aéreas no Brasil continuam sendo muito caras e reduzir o preço é um objetivo buscado pelos empresários, que trabalham na atividade turística. A estratégia é aumentar o fluxo interno oferecendo pacotes turísticos populares e viabilizando a viagem de milhões de brasileiros, para que possam desfrutar das belezas e serviços do turismo nacional.

O esforço pretende  fazer com que os brasileiros viagem mais vezes durante o ano, dentro do território brasileiros, evitando a fuga de capital para outros países. Muitos juntam dinheiro durante o ano todo para fazer apenas uma viagem e parte desses turistas, optam em ir para fora do país, já que em algumas vezes os preços são até mais convidativos que os nacionais.

Nosso país tem dimensões continentais e o combustível ainda é muito caro (embora sejamos um grande produtor de petróleo), se comparamos a outros países, também com território ainda maiores como nos Estados Unidos e Canadá, onde as passagens são baratíssimas.

A passagem aérea tem um custo de 60% em pacotes turísticos nacionais, enquanto isso em outros países o peso do bilhete aéreo tem um custo médio de 40%. A hotelaria tem feito sua parte reduzindo, ou até mesmo congelando suas tarifas, como em Maceió, onde os preços praticamente é o mesmo de cinco anos.

As recentes conquistas obtidas, graças a mobilização dos empresários, foram a abertura para que companhias aéreas internacionais atuem no espaço doméstico e o fim da gratuidade da bagagem. Esses são alguns passos importantes para aumentar o fluxo de turistas no mercado nacional.

Cobrança de serviços

O reconhecimento veio esta semana com a declaração da Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata), elogiando as recentes medidas tomadas pelo governo federal brasileiro de permitir entrada de 100% de capital estrangeiro, nas companhias aéreas nacionais e do veto à franquia de bagagem despachada.

Peter Cerda, vice-presidente da entidade para Américas, Peter Cerda, chama a ação de “alinhamento aos padrões internacionais do setor”.

Contudo, segundo Peter Cerda é preciso que o Brasil continue se aperfeiçoando na busca de seguir os padrões internacionais. Esses serviços citados pelo vice-presidente da Iata, dizem respeito aos serviços opcionais oferecidos pelas companhias aéreas, como marcação de assentos, pagamento de taxas para uso de equipamentos eletrônicos a bordo, fones de ouvidos, uso da internet e alimentação. Os passageiros estão comprando a passagem e esses serviços devem ser uma opção para comodidade dos passageiros para seu uso.

Entretanto a cobrança desses “opcionais” encontra entraves no Código Nacional do Consumidor, que é fiscalizado pelos Procons. Para isso será mudanças na legislação para dar garantias jurídicas, para que as companhias aéreas possam cobrar pelos serviços a bordo, como é realizado nos Estados Unidos e Europa.

“É essencial continuar nessa direção para que o setor atinja todo o seu potencial e contribua para o desenvolvimento econômico do País”, afirma Cerda.

O grande desafio continua sendo baratear os preços dos combustíveis, que tem encontrado principalmente no valores do Imposto sobre Circulação de Mercadorias (ICMS) cobrado pelos Estados, que pontualmente tem reduzido os valores.

“Custos operacionais, fórmula de precificação do combustível, gerenciamento de capacidades e marco regulatório dos direitos dos passageiros são exemplos de áreas que também devem ser alinhadas aos padrões internacionais, criando o ambiente correto para que a aviação ultrapasse a atual contribuição de US$ 18,8 bilhões para o PIB brasileiro, além de criar um mercado onde os passageiros terão mais opções, melhores experiências e um nível competitivo de preços.”

 

 

>Link