Monthly Archives: maio 2019

Casa do Mestre Aurélio: acervo arquitetônico do Passo está “desmoronando”
   Mozart  Luna  │     24 de maio de 2019   │     8:52  │  0

 

Casa onde nasceu Mestre Aurélio Buarque de Hollanda, o maior dicionarista brasileiro, preste a ruir em Passo do Camaragibe, sob o olha omisso das autoridades e dos intelectuais alagoanos

O Litoral Norte é um dos destinos turísticos mais procurados pelos visitantes, graças as belezas naturais de suas praias e piscinas naturais, mas que poderia oferecer também atrativos culturais como museus, prédios históricos. A carência de opções culturais no roteiro da região poderia ser preenchida com visitas ao Passo do Camaragibe, única cidade daquele trecho e litoral, que ainda possui um acervo arquitetônico do período colonial e do inicio do século 20.

Entretanto a cidade vive um momento de desprezo pelo seu patrimônio histórico, com o abandono e até demolição de seus casarões.  Passo do Camaragibe é a cidade natal do maior dicionarista da língua portuguesa no Brasil: o Mestre Aurélio Buarque de Hollanda. A pequena casa onde ele nasceu e passou parte de sua vida está abandonada e preste a desabar. Até os vizinhos reclamam da situação já que o prédio centenário oferece perigo.

Foto antiga da principal avenida do Passo do Camaragibe, por onde passavam os viajantes para Recife 

O Governo do Estado, através da Secretaria de Cultura, informou que disponibilizou recursos para a recuperação, mas que o convênio prevê uma contrapartida da Prefeitura, que não pode celebrar o convênio porque o município está na lista negra de inadimplentes com a União, o famigerado Cadastro Único de Convênios (Cauc).

Segundo intelectuais e pesquisadores alagoanos a obra de recuperação não requer recursos volutuosos, pouco mais de R$ 200 mil bastaria para, pelo menos manter a casa de pé, e possibilitar que se transformasse em um local de visitação turística e a criação de uma pequena biblioteca. “O que falta é vontade politica para se recuperar esse patrimônio do Passo e que também pertence a Alagoas”, disse um morador cidade, que não quer se identificar temendo represálias política por ser também servidor municipal.

Segundo ele outros prédios históricos, que fazem parte do acervo de casarões antigos do Passo do Camaragibe estão desaparecendo ou perdendo suas características originais, devido a reformas sem qualquer orientação para preservação da herança clássica, que a cidade ainda possui do inicio do século, quando era um importante ponto de parada para os viajantes que iam para à cidade do Recife.

Ponte Fernandes Lima, um ícone da engenharia e da arquitetura alagoana do inicio do século 20. Proposta de interdição para sua preservação.  

A famosa Ponte Fernandes Lima, ícone da engenharia da arquitetura alagoana é outro equipamento urbano que está em péssimo estado de conservação. “A Ponte é uma obra de arte e referencial da construção de rodovias em Alagoas, que deveria ser protegida pelos profissionais de engenharia e arquitetura de Alagoas”, declarou o morador. Ele defende também que a Ponte seja interditada de que se construa outra paralelamente, para preservação dela. “Essa Ponte é um monumento que deve ser preservado e transformado em um ponto turístico e referencial para os cursos de engenharia civil e para arquitetura”, sugere ele.

Enquanto isso o pouco que resta da memória da história e do patrimônio arquitetônico no Litoral Norte, no Passo do Camaragibe está se acabando.

 

 

 

 

 

>Link  

Decreto das armas rebaixa o Brasil na aviação internacional
   Mozart  Luna  │     22 de maio de 2019   │     18:00  │  0

 

A liberação para se portar armas nos voos no Brasil deverá causar o rebaixamento do país em termos de segurança pela Organização de Aviação Civil Internacional (OACI) que já está sendo realizada na próxima semana.
O trabalho, segundo apurou nosso blog consiste em realizar inspeção de rotina onde serão analisados documentos e aplicações das normas internacionais de segurança nos aeroportos brasileiros, o que deverá mudar a visão da aviação global em relação ao País. Segundo técnicos e especialistas no tema ouvidos, a OACI pode emitir um alerta para seus quase 200 países membros informando sobre os potenciais riscos de voar no Brasil.

Atualmente, a nota brasileira no quesito “segurança contra atos de interferência ilícita” é de 97% na avaliação da organização internacional, cabendo à Agência Nacional da Aviação Civil (Anac) a definição e fiscalização de todos os processos de segurança relacionados aos terminais e voos operados no território nacional.

“Na atual regra, todos os anos transportamos dezenas de milhares de armas trancadas em cofres a bordo, embarcadas e entregues atendendo demandas das forças de segurança”, explicou o presidente da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear), Eduardo Sanovicz.

Porém, com o novo decreto, tal competência passa aos ministérios da Defesa e da Justiça. Deste modo, as pastas serão responsáveis pela regulamentação de situações em que policiais federais, civis e militares, além de integrantes das Forças Armadas e do GSI, poderão portar arma de fogo a bordo. Os procedimentos de restrição e condução de armas por pessoas com porte autorizado também serão dos ministérios.

“Somos radicalmente contrários a qualquer alteração dessas regras porque elas estão alinhadas a práticas internacionais. Qualquer alteração que cause diferenças entre o Brasil e o resto do mundo são prejudiciais ao nosso mercado e à aviação”, completou Sanovicz.

MAIS ARMAS, MENOS VOOS

Uma possível queda da nota do Brasil seria capaz de comprometer a operação de companhias internacionais no País, uma vez que elevados critérios de segurança deixariam de ser atendidos. Tal cenário geraria o cancelamento de voos e um desequilíbrio entre a oferta e a demanda no setor.

Liderada pelo senador Randolfe Rodrigues, da Rede, uma ação contrária ao decreto de Bolsonaro já foi apresentada no Congresso. O partido argumenta que a medida do presidente é inconstitucional, pois viola o princípio da separação dos poderes, adentrando em escolhas reservadas ao Legislativo.

 

>Link  

MP aprovada na Câmara pode baratear passagens de avião
   Mozart  Luna  │       │     9:00  │  0

 

 

A aprovação do da Medida Provisória (MP), pela Câmara do Deputados que permite a entrada de 100% de capital estrangeiros nas companhias aéreas no Brasil, vai possibilitar o barateamento dos valores das passagens de avião e também a oferta de mais rotas de voos, para todo país. A MP ainda vai passar pelo Senado e dai ser sancionada pelo Presidente da República.

O Brasil está entre as maiores economias do mundo, ocupa o 13º lugar e mesmo assim mantinha uma política nefasta de restrição a operação de companhias aéreas, num país de dimensões continentais. Poucas companhias aéreas atualmente operam no Brasil e oferecem um serviço deficiente com voos apenas a cidades que acham lucrativas e abandonando principalmente os aeroportos regionais, tão importantes para o desenvolvimento do agronegócio, grande alavanca econômica do Brasil.

A MP também proporcionou ao passageiro não pagar pela bagagem, de até 23 quilos, no porão do avião. Atualmente a bagagem despachada é cobrada, assim como ainda continua a marcação de poltrona, considerada pelos Procons com um abuso contra o cliente que tem o direito de escolher onde vai sentar, já que está comprando seu asseto na viagem, como fazem a empresas de ônibus intermunicipais. A forma da venda deveria se igual, já que a transação comercial é semelhante.

“Portas abertas ao capital estrangeiro para as companhias aéreas no Brasil. Aprovada no Congresso a MP que permitirá que empresas estrangeiras possam operar no País, aumentando a concorrência e, consequentemente, reduzindo o custo das passagens”, comunicou há instantes o chefe da pasta.

“É importantíssima essa medida para incentivar a vinda de novas empresas”, disse ainda o ministro.

Na verdade, a votação começou após o Plenário acatar um pedido do PSD para que fosse levado em conta o texto original da MP, isto é, desconsiderando o texto alterado pelo senador Roberto Rocha (PSDB-MA), que tentava negociar a volta da franquia mínima. Entretanto, ao final da sessão, após o texto-base ter sido aprovado, foi novamente incluído o item exigindo a inserção da bagagem gratuita. Os parlamentares alegaram que o preço dos bilhetes não caiu, que foi a prerrogativa da Anac quando a medida foi aprovada.

Air Europa

A Air Europa poderá atuar em voos domésticos no Brasil. A Anac acaba de outorgar a concessão para a prestação de serviços de transporte aéreo regular no Brasil da companhia aérea europeia.

Segundo o Ministério do Turismo, “a chegada da primeira empresa internacional no mercado doméstico tem tudo para reduzir o preço das passagens no País”. O MTur ressaltou também que “o aumento da competição beneficia o turista brasileiro”.

 

>Link  

Novo presidente da Embratur é o pernambucano Gilson Neto
   Mozart  Luna  │     21 de maio de 2019   │     18:39  │  0

O novo presidente da Empresa Brasileira de Turismo (Embratur) é o empresário pernambucano Gilson Machado Neto, que além de ser ex-dono de uma famosa pousada no Litoral Norte de Alagoas é também cantor da banda de forró Brucelose.

O novo presidente da Embratur é médico veterinário e amante da boa música nordestina. Gilson Neto, também fundou duas emissoras de rádios, sendo uma em Alagoas e outra em Gravatá, Pernambuco. O empresário e cantor foi um dedicado cabo eleitoral de Bolsonaro em Pernambuco e atualmente ocupava o cargo de secretário de Ecoturismo no Ministério do Meio Ambiente, já que sempre teve uma grande preocupação com a problemática das tartarugas marinhas, que morrem sufocada com rede de pesca no Litoral Norte de Alagoas.

Gilson Neto chegou a ser cotado para ser ministro do turismo, mas as reviravoltas nos bastidores terminaram tirando ele da relação. A nomeação dele era “cantada” desde semana passada pelos amigos mais próximos, que esperam também ter um espaço na Embratur.

Resta saber agora qual será a reação dos empresários que fazem o turismo no Brasil, já que esperavam serem ouvidos para indicação de um nome com mais experiência na atividade turística, principalmente nas operações internacionais.

Um empresário do setor, que pediu para não se identificar disse que Gilson Neto, não é um nome ruim para o cargo, mas que esperava que a Embratur tivesse alguém com um perfil mais técnico.

Uma das grandes bandeiras levantadas por Gilson Neto, foi a construção do aeroporto regional de Maragogi, prometido há 20 anos por várias lideranças politicas de Alagoas. Com ele agora na Embratur pode ser que essa promessa vire realidade.

Tira bota tira

Com nome publicado hoje no Diário da União, Guimarães Neto substitui o ex-presidente da Turisrio e do Rio CVB, Paulo Senise, que ficou exato seis dias no posto após ter sido escalado pelo presidente Jair Bolsonaro.

No hiato da saída de Teté Bezerra até a nomeação de Paulo Senise e, posteriormente no intervalo de cinco dias entre a saída de Senise e a confirmação de Gilson Machado Guimarães Neto, o presidente interino da Embratur foi Leônidas José de Oliveira, ex-presidente da Belotur.

Além da nomeação de Guimarães Neto para o cargo, os decretos presidenciais publicados no Diário Oficial da União de hoje tornam sem efeito a nomeação de Senise. Segundo a Agência Brasil, o Ministério do Turismo deve se pronunciar ao longo do dia sobre as mudanças na pasta.

 

>Link  

ABIH-AL se reúne com prefeitura para debater sobre a taxa do lixo
   Mozart  Luna  │     20 de maio de 2019   │     18:16  │  0

A taxa de lixo encaminhada este ano pela prefeitura de Maceió causou espanto a muitos empreendimentos hoteleiros, pelo valor muito acima do que sempre foi cobrado. A reclamação foi ouvida pela Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de Alagoas (ABIH-AL), que marcou uma conversa com o secretário de Economia do Município de Maceió, Fellipe Mamede.

O presidente da ABIH-AL, Milton Vasconcelos, afirmou que o encontro foi bastante positivo e serviu para entender e levar soluções para algumas distorções na cobrança da taxa. “Fomos entender a razão de grande alteração na taxa de lixo de alguns empreendimentos e solicitar as devidas mudanças. Durante o encontro, já conseguimos identificar as possíveis razões e o secretário se comprometeu em dar uma rápida resposta às demandas”, destacou o presidente.

Ele solicita que, os empreendimentos que estiverem insatisfeitos com o aumento da taxa de lixo, mostrando grande disparidade do valor, protocole na Secretaria de Economia de Maceió o caso. “É preciso que os hotéis que se sentiram prejudicados entrem com um pedido de revisão direto na secretaria relatando o aumento, explicando o caso e juntando os documentos necessários que identifique o estabelecimento”, orientou Milton Vasconcelos.

Aos associados que entrarem com o pedido de revisão administrativo devem enviar o protocolo à ABIH-AL pelo e-mail [email protected]  para que possamos acompanhar e cobrar solução célere.

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO DA ABIH

>Link