MP notifica Frigovale, IMA, Adeal e Seduma e determina providencia para o fim da poluição aérea
   Mozart  Luna  │     25 de abril de 2019   │     21:41  │  0

 

O Promotor de Justiça Rogério Paranhos visitou a Escola Cleonice Barbosa na tarde de quinta-feira (25) e constatou a situação de insalubridade a que estão submetidos os alunos e professores com o mau cheiro que exala do frigorífico FrigoVale, fazendo que eles usem máscaras cirúrgicas para assistirem as aulas.
“Visitei a Escola, ouvindo informalmente alunos, mães, vice-diretora, diretora, e um professor. Realmente, pelo q ouvi, conclui que o mau cheiro tem chegado a escola, por vezes”, declarou o representante do Ministério Público, que também visitou o frigorífico.

“Terminei as visitas no fim da tarde e amanhã (sexta-feira) despacharei e expedirei ofícios ao Instituto do Meio Ambiente e à Seduma, e à Adeal, solicitando documentos e informações sobre o caso e as providencias já adotadas, por tais órgãos, inclusive em relação as licenças (Seduma e IMA)”, declarou o promotor.

“Expedirei recomendação à Frigovale para adotar medidas no sentido de por fim ao mau cheiro, no entorno da mesma, notadamente na Escola sob comento”, declarou o ainda, que ficou surpreso com a notícia de que os alunos e professores da Escola Cleonice Barbosa, usavam máscaras para assistir aulas, devido ao odor de carniça que toma conta de toda região.

O problema é antigo, mas só depois de levarmos o assunto ao conhecimento do Ministério Público através de reportagens, que o promotor tomou conhecimento da gravidade da situação, vivida pelos alunos e professores da Escola Cleonice Barbosa, que estudam em tempo integral.

Moradores

O problema também atinge aos 2.900 moradores do Conjunto Brisa do Lago, que já haviam denunciado a situação inclusive em uma audiência pública na Câmara de Vereadores. O Instituto do Meio Ambiente (IMA) também foi informado da poluição aérea, mas se manifestou alegando que “tudo estava bem”, pelo menos para eles (IMA), confirmando que as licenças ambientais estão em dia.

Entretanto a Câmara Municipal de Arapiraca recebeu a denuncia durante a audiência pública de que o tanque de recepção de dejetos líquidos, estaria recebendo também tecidos dos animais, fato que estaria provocando o apodrecimento orgânicos e por consequência produzindo o mau cheiro em toda região. Fato que não verificado pelos técnicos do IMA.

 

Com a entrada do Ministério Público no caso, os moradores do Conjunto Brisa do Lago e os alunos e professores da Escola Cleonice Barbosa têm a esperança e ao mesmo tempo a certeza, que agora o assunto será resolvido, se fazendo cumprir a lei e preservando a saúde dos cidadãos mais humildes de Arapiraca, que até então tinham o direito a uma melhoria qualidade de vida.

 

O Procurador Geral de Justiça, Alfredo Gaspar de Mendonça também foi procurado por nossa reportagem e disse que o Ministério Público estará sempre em defesa dos direitos da população, fiscalizado o cumprimento da Lei. “Estamos de mãos dadas, povo e Ministério Público”, disse ele também agradecendo a imprensa por colaborar fiscalizando e apontando os problemas.

 

 

 

 

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *