Casal diz que cumpre o contrato em Arapiraca e envia direito de resposta
   Mozart  Luna  │     25 de fevereiro de 2019   │     20:05  │  1

Nossas matérias sobre a falta de água em Arapiraca e todo Agreste, despertou para a discussão de um problema que atinge a cerca de 400 mil pessoas na região. O debate democrático sempre o melhor caminho para solução dos problemas e assim continuamos nosso trabalho a serviços da população e junto às instituições como o Ministério Público, reduto e fortaleza das garantias da cidadania
Nosso blog recebeu da assessoria da Casal o pedido de direito de resposta para postar o texto abaixo :
Prezado jornalista Mozart Luna (Blog Meio Ambiente e Turismo – Gazetaweb),
Em virtude da postagem intitulada “Cobrança das contas de água em Arapiraca pode ser suspensa”, publicada em seu blog no neste domingo, 24 de fevereiro, a Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal) vem solicitar espaço para direito de resposta e, desse modo, fazer alguns esclarecimentos aos leitores do referido blog:

– O contrato de concessão entre Casal e Prefeitura de Arapiraca vem sendo cumprido, bem como os investimentos, dentro da capacidade da Companhia, estão em execução. Somente em 2019 serão aplicados cerca de R$ 14 milhões em obras de setorização, ou seja, instalação de registros, Distritos de Medição e Controle (DMCs), substituição e readequação de redes, que vão equalizar a pressão da água na rede, melhorar a chegada do líquido nas residências dos bairros onde o abastecimento é mais irregular e reduzir o surgimento de vazamentos nas ruas. Todas essas informações foram detalhadas pelo presidente da Casal, Clécio Falcão, nesta segunda-feira (25), durante reunião com o procurador-geral de Justiça, Alfredo Gaspar, na sede do Ministério Público Estadual (MPE), em Maceió.

– Não existe nem nunca existiu situação de pré-colapso no abastecimento de Arapiraca. As irregularidades no abastecimento de água atingem somente algumas áreas da cidade, normalmente aquelas situadas em finais de rede, onde a pressão da água diminui. Nenhuma região fica três meses sem água, conforme dito na postagem.

– Não há deficiência permanente no abastecimento de todos os municípios do Agreste e o número de pessoas que, eventualmente, ficam com o abastecimento irregular não chega nem perto de 400 mil pessoas, conforme dito no texto da publicação.

– A Casal ressalta que cobra somente pelo que distribui, ou seja, não existe cobrança por água não distribuída. Já a tarifa mínima, por sua vez, é feita para um consumo residencial que vai até 10 metros cúbicos por mês. Para as famílias de baixa renda, a Companhia oferece a tarifa social, que é 50% do valor da tarifa normal.

– Na reunião desta segunda-feira (25), no MPE, não foi pedido nem determinada a suspensão do faturamento”.

Esperamos que todos envolvidos possam encontrar uma solução para os problemas da falta de abastecimento de água não só em Arapiraca, como em toda região Agreste de Alagoas.

 

>Link  

COMENTÁRIOS
1

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. PrivatizaçãoJá

    Privatiza logo essa desgraca de empresa. Ninguem aguenta mais essa conversa fantasiosa desse presidente dessa Casal. Empresa só serve de trampolim politicos inescrupulosos e para dar privilegios e mordomias aos seus preguiçosos funcionários aposentados que ainda estão na companhia espalhados por todos os setores mamando do dinheiro de nossa tarifa paga, que é exorbitante

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *