MTur lança projeto cultural/histórico no Sul e gera descontentamento
   Mozart  Luna  │     9 de fevereiro de 2019   │     19:06  │  1

O ministério do turismo, já deu seu primeiro passo errado na nova gestão do presidente Bolsonaro, lançando semana passada, o Projeto Patrimônio Cultural do Sul, com o objetivo de desenvolver o turismo nas cidades históricas sulistas. O Ministério do Turismo escolheu o Rio do Grande do Sul, para comemorar os 30 do governo Bolsonaro lançando um projeto naquela região.

O ato gerou descontentamento entre os empresários de turismo de várias regiões como o Nordeste e Sudeste, que possuem na verdade um grande apelo cultural, já que o Brasil foi descoberto se desenvolveu a partir dessas regiões e estão as raízes da formação da Nação brasileira.

No Nordeste e Sudeste se iniciou a colonização e lá estão as cidades mais antigas do Brasil como Salvador, Rio de Janeiro, Olinda e São Luiz do Maranhão. Até o nascimento do Exercito Brasileiro se deu em Pernambuco, em Jaboatão dos Guararapes, onde existe um sitio histórico do Exercito Brasileiro sinalizando: “Aqui Nasceu o Exercito Brasileiros”. Sem comentar que o Brasil Porto Seguro na Bahia, onde o Brasil foi descoberto.

Já o Rio de Janeiro foi a capital do Reino Unido Portugal, Brasil e Algaves e sede do Rei D. João VI e depois da Independência, a sede do Império e da Republica Brasileira. Negar esse apelo histórico para o lançamento da campanha foi no mínimo uma enorme gafe.

Alguns empresários chegaram a creditar o lançamento do projeto no Rio Grande do Sul, como retaliação do governo Bolsonaro ao Nordeste, que não deu a vitória a ele na região.

Festa gaúcha

O lançamento do projeto da MTur reuniu o secretário nacional de Desenvolvimento e Competitividade do Turismo, Aluizer Malab, o governador do Estado, Eduardo Leite, o ministro da Cidadania, Osmar Terra, a presidente do Iphan, Kátia Bogéa e dirigentes nacionais e superintendentes do instituto da região.

O MTur tenta legitimar o lançamento da campanha na região gaúcha, alegando que região muito pontos históricos e chegou a relacionar as poucas  edificações, conjuntos urbanos, reconhecidos como referências culturais.

 

 

>Link  

COMENTÁRIOS
1

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *