MTur que incentivar produções cinematográficas nas cidades históricas
   Mozart  Luna  │     5 de novembro de 2018   │     18:06  │  0

 

Uma grande oportunidade surgiu para cidades como Penedo, Piranhas, Marechal Deodoro como cidades históricas e que possui ainda um grande acervo arquitetônico histórico, que podem servir de cenários para produção cinematográfica. A boa noticia é que o Ministério do Turismo (MTur) formalizou a criação do Grupo de Trabalho de Turismo Cinematográfico (GTT).

O objetivo do GTT é propor políticas e planejar ações para o desenvolvimento do segmento, impulsionando o Turismo nos destinos nacionais e a economia criativa relacionada a esse nicho de mercado. O GTT se reunirá a cada três meses em um colegiado técnico e consultivo discutir o apoio as “cidades cenários”.

Entretanto vale lembrar que só terá apoio quem está em destaque e para isso é preciso trabalhar o marketing na mídia, buscando sempre colocar em evidencia sua potencialidade.

A luta será dura já que as cidades como São Paulo e Rio de Janeiro contabilizam resultados positivos com locações de filmes, programas de televisão e vídeos publicitários. Em 2017, por exemplo, São Paulo autorizou 3,3 mil locações envolvendo mais de 1,1 mil produções audiovisuais. Mas nada é impossível, basta trabalhar bem também as redes sociais. Um exemplo foi a campanha do presidente eleito Jair Bolsonaro, que enterrou os marqueteiros e as poderosas redes de televisão do país.

 

“Na tela do cinema, na televisão ou mesmo no computador, os cenários das produções audiovisuais têm o poder de estimular o espectador a conhecer destinos ainda desconhecidos ou ampliar a divulgação e promoção de atrativos históricos, culturais e naturais, exibidos dentro e fora do Brasil. Esse trabalho amplia a economia criativa, além dos ganhos do turismo através da divulgação espontânea dos destinos”, afirma o ministro do Turismo, Vinicius Lummertz, que assinou a portaria instituindo o grupo de trabalho.

Com que falar
Segundo o MTur a coordenação do grupo ficará a cargo da diretora do Departamento de Marketing e Apoio à Comercialização do Ministério do Turismo, Vanessa Chaves de Mendonça. Com a formalização dos indicados, o GTT terá 60 dias para elaborar um plano de trabalho que servirá como instrumento de direcionamento das atividades.

“A ideia do grupo é trabalhar para ampliar as locações do cinema nacional em cenários que promovam tanto os tradicionais como também os novos destinos turísticos, além de atrair produções internacionais para filmagens no Brasil que divulguem o País lá fora”, complementa Vanessa.

Segundo ainda o MTur nos últimos dois anos foram gerados de 50 mil postos de trabalho e gastos da ordem de R$ 1 bilhão declarados pelas produtoras que trabalharam com locações na capital paulista. O GTT de Turismo Cinematográfico é composto por representantes de empresas e entidades como MTur, Ministério da Cultura, Embratur, Agência Nacional do Cinema (Ancine), entre outras.

 

 

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *