CVC Corp adquiri empresas Argentinas e amplia estratégia de internacionalização
   Mozart  Luna  │     6 de setembro de 2018   │     20:01  │  0

 

Luiz Eduardo Falco, presidente da CVC Corp, comemora as aquisições e anuncia outras no Chile, México e Portugal

O anuncio da compra de três empresas argentinas pela CVC Corp, causou comemorações no Brasil, por parte dos empresários brasileiros da atividade turística. A leitura que se faz é que fortalece o fluxo de turistas para o Brasil e fortalece os negócios das empresas adquiridas na Argentina e permite uma melhor sinergia operacionais e financeira. A operação custou U$S 19,5 milhões, mas trouxe para CVC Corp um valor agregado de US$ 500 milhões de reservas confirmadas.

No comunicado da CVC Corp “a empresa se posiciona afirmando que a administração considera uma boa oportunidade de crescimento e geração de valor alinhada com a estratégia de expansão regional, a despeito da volatilidade recente da economia argentina, fato que foi contemplado nos termos das duas transações. Além disso, o fluxo de Turismo entre Brasil e Argentina por si só representa uma grande oportunidade de sinergia”.

Juntas, a CVC, a Ola Transatlántica Turismo e a Biblos/Avantrip terão aproximadamente US$ 500 milhões de reservas anuais confirmadas, estando entre os três maiores grupos de viagens do mercado argentino, com bom balanceamento entre off-line (70% dos negócios combinados) e on-line (30%), “o que nos possibilitará trilhar a mesma estratégia omnichannel já delineada no Brasil”.

Em ambos os negócios, a CVC manterá a frente da condução das respectivas companhias as lideranças locais e sócios que porventura atuem como gestores da operação.

A Argentina tem sido o maior mercado internacional emissor de turistas para o Brasil, e o segundo para os Estados Unidos na América do Sul (1 milhão de turistas em 2017, contra 1,9 milhão de brasileiros nos EUA).

Mesmo com a crise financeira que se abate sobre a Argentina, os executivos da CVC Corp acreditam que é passageira, mas como todo país sul-americano, a Argentina sabe viver o sobe e desce da economia e o fluxo de turistas para o Brasil, Estados Unidos, Chile e Europa deve continuar forte.

Receptivos em festa

No Brasil, os parceiros da CVC comemoram já que podem ter um incremento do fluxo no verão, principalmente o Nordeste que tem o estado de Alagoas como o produto mais procurado, além do Rio de Janeiro e Santa Catarina. Essa capilaridade ajudará a fortalecer esse fluxo importante para os destinos brasileiros.

O fundador da CVC, Guilherme Paulus, comentou a aquisição das empresas argentinas dizendo que esse pode ser o gancho para melhorar o fluxo de estrangeiros, colocando os receptivos como principais destaques e peças de atração dos visitantes.

“A CVC pode ser uma dessas âncoras para aumentar o fluxo de estrangeiros no Brasil”, disse ele, repetindo ainda que seu sonho é ver a CVC Corp rivalizando com a gigante alemã Tui, maior operadora do mundo. Com o início da internacionalização, boa parte do caminho já está andado.

Estratégia internacional
A intenção de internacionalizar as ações da CVC foi anunciando no inicio do ano pelo presidente da CVC Corp, Luiz Eduardo Falco, havia prometido no final do ano passado que a empresa chegaria ao Exterior este ano.

Luiz Eduardo Falco deixará o posto em dezembro deste ano, em seu lugar será nomeado Luiz Fogaça, foi o responsável pela reestruturação da companhia, da abertura de capital à formação de uma equipe com antigos e novos nomes, e agora com a internacionalização.

Novas metas: Chile, México e Portugal

A CVC Corp negocia novas aquisições no Brasil e também no Exterior, com destaque para o foco no Chile, México e Portugal, essa é a informação que circula no mercado. Algumas delas podem se concretizar ainda este ano como por exemplo Portugal.

CVC: gigante como o Brasil

Vale lembrar que foi também na gestão de Falco que a CVC se transformou em CVC Corp e comprou as empresas Rextur Advance, Submarino Viagens, Experimento, Grupo Trend, Visual e Esferatur.

Outras aquisições virão, já que para chegar ao nível da Tui faltam ainda alguns bilhões de dólares de faturamento. A CVC Corp vendeu mais de R$ 10,2 bilhões em 2017 e a Tui 18,5 bilhões…de euros. A CVC Corp está avaliada em R$ 6 bilhões pelo mercado (baseando-se no valor de suas ações).

 

 

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *