Monthly Archives: agosto 2018

Últimos dias de inscrições para o Prêmio Braztoa de Sustentabilidade
   Mozart  Luna  │     27 de agosto de 2018   │     12:31  │  0

Um time de peso vai compor a bancada de jurados do Prêmio Braztoa de Sustentabilidade 2018/2019, que recebe inscrições até o dia 31 de agosto no site www.braztoa.com.br.

O júri é formado por profissionais que representam instituições de expressão no Brasil e exterior, selecionados com máxima minúcia e critério pela BRAZTOA, para garantir não apenas total isenção da associação, bem como altíssimo rigor na avaliação das iniciativas.

Até o momento, estão confirmados: Alexandre Garrido (ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas), Caco de Paula (Agência Auá Brasil), Fernanda Daltro (ONU Meio Ambiente), Fernando Kanni (SENAC), Helena Costa (Universidade de Brasília), Mariana Aldrigui (Universidade de São Paulo), Paul Dale (Secr. do Meio Ambiente do Estado de SP) e Ronald Sanabria (Especialista em Turismo Sustentável, Costa Rica).

Criado em 2012, o Prêmio Braztoa de Sustentabilidade é o primeiro do mundo a ter a chancela da OMT (Organização Mundial do Turismo) e já possui mais de 270 projetos cadastrados e 61 iniciativas premiadas, provenientes de todas as regiões do Brasil. Todos os projetos vencedores podem ser encontradas no site Turismo Sustentável no Brasil. Iniciativas Sustentáveis. O endereço dá acesso ao Mapa do Turismo Sustentável no Brasil, iniciativa da BRAZTOA em parceria com o Ministério do Turismo, que mostra todas as ações premiadas na categoria Top Sustentabilidade desde 2012. Além disso, o MTur produz vídeos institucionais desses ganhadores.

A BRAZTOA ainda promove a divulgação dos premiados no Anuário Braztoa, onde dá visibilidade aos vencedores do Prêmio e mostra detalhes das suas ações, para que elas sirvam de exemplo para outros e sejam replicadas. A publicação está disponível no site www.braztoa.com.br.

Podem se inscrever:

  • Associados Braztoa: Operadoras de turismo, representantes, colaboradores e convidados;
  • Agências de Viagem: Empresas que comercializam produtos e serviços turísticos diretamente para o cliente final;
  • Meios de Hospedagem & Resorts: Hotéis, resorts, hotéis fazenda, cama & café, pousadas, flats, entre outros (Ex.: albergues e campings);
  • Parceiros do Turismo: Abrangem operadoras de turismo não associadas à Braztoa, companhias aéreas, locadoras de veículos, fundações, associações e organizações do terceiro setor, bem como as instituições governamentais, entre outros;
  • Projetos Inovadores: Projetos submetidos por grupos de alunos representando instituições de ensino técnico e superior.

O anúncio dos finalistas desta edição acontecerá em 28 de setembro, durante a 46 Abav Expo & 50 Encontro Comercial Braztoa, em São Paulo.  A cerimônia de premiação será em 26 de outubro, em Ilhabela, no litoral Norte de São Paulo, destino anfitrião da Convenção Braztoa 2018.

Quer saber mais sobre as inscrições, categorias e premiação? Acesse:  http://braztoa.com.br/premio-braztoa-de-sustentabilidade-20182019-abre-inscricoes/

Saiba mais sobre a Pousada Piuval, vencedora do prêmio 2017/2018: https://www.pousadapiuval.com.br/pt-br/premio-braztoa-de-sustentabilidade

Sobre o Prêmio Braztoa de Sustentabilidade

Desde 2005, a Braztoa tem realizado fortes investimentos em ações de sustentabilidade, buscando estimular e auxiliar seus associados a promover boas práticas do turismo sustentável, tornando-o cada vez mais responsável e voltado aos aspectos sociais, econômicos e ambientais.

Esse posicionamento fez com que a entidade também se tornasse membro da OMT (Organização Mundial do Turismo), tornando o Prêmio Braztoa de Sustentabilidade o primeiro do mundo a ter a chancela do órgão.

Em 2011 a Braztoa criou o Programa Braztoa de Sustentabilidade (PBS), buscando demonstrar os benefícios de incorporar a sustentabilidade à gestão das empresas, dando ênfase aos pilares sociocultural, ambiental e, sobretudo, econômico. Deste programa, que permeiam todas as ações da associação, nasceram importantes ações como o Prêmio Braztoa de Sustentabilidade, que está em sua sexta edição; Projetos de Inovações; a parceria com a ONG Colmeia, que visa promover ações de capacitações entre estudantes e operadores Braztoa, com o intuito de inserir esses jovens no mercado de trabalho com mais experiência e expertise em turismo.

Sobre a Braztoa

A Braztoa (Associação Brasileira das Operadoras de Turismo) reúne operadoras de turismo, colaboradoras e empresas de representação de produtos e destinos, além de convidados, responsáveis por estimados 90% das viagens organizadas de lazer, comercializados pela cadeia produtiva no Brasil.

Em 2017, as operadoras associadas à Braztoa faturaram R$ 12,22 bilhões e embarcaram 5,52 milhões de passageiros durante todo o ano. Essas mesmas empresas geraram um impacto econômico de R$ 10,8 bilhões para a economia nacional, neste mesmo período (quantia que contempla a soma do valor dos pacotes comercializados para destinos nacionais, com o gasto médio diário com extras do turista nos destinos).

Entidade de vanguarda e sem fins lucrativos, a Braztoa promove ações e parcerias que valorizam as atividades empresariais dos associados, apoiando o desenvolvimento do mercado turístico de forma sustentável.

>Link  

O maior evento de turismo da América Latina: ABAV EXPO São Paulo
   Mozart  Luna  │     26 de agosto de 2018   │     16:37  │  0

 

Um dos maiores e mais importantes eventos do turismo na América Latina acontece no em setembro de  26 a 28, na cidade de São Paulo, promovido pela Associação Brasileira das Agências de Viagens (Abav), denominado Expo Internacional de Turismo ABAV Expo 2018. O evento será reúne mais de 2,4 mil agências de viagens, operadoras e consolidadoras que movimentam 80% das vendas de mercado.

O mercado de turismo brasileiro é auto suficiente, graças a imensa população que adora viajar pelo país, proporcionando a sustentabilidade da atividade, independentemente do fluxo externo. Mesmo com o déficit de R$ 13 bilhões na balança comercial de turismo, a indústria hoteleira brasileira não tem parado de crescer, provando que o brasileiro é capaz de manter o setor independente do fluxo exterior.

Por outro lado, a evasão de dólar e euro para o exterior através dos turistas brasileiros que viajam, precisa ser equacionada, buscando implantar uma política de divulgação do Brasil no exterior, principalmente em países com a economia sólida. Essa ação também traz estabilidade ao mercado de turismo brasileiro, que vez por outra sofre com os ventos políticos que sopram sobre a frágil economia da América Latina.

Importância
Em um mercado cada vez mais competitivo, participar da Expo Internacional de Turismo/ABAV é estar em contato direto com os diferentes players do setor, no ambiente propício à realização de negócios, à aquisição de conhecimento e ao relacionamento.

O sucesso da ABAV Expo resulta do diferencial de ser uma feira idealizada por agentes de viagens e para os agentes de viagens. 46ª ABAV Expo internacional de Turismo & 50º Encontro Comercial Braztoa

Atuar na indústria do turismo no Brasil significa estar em contato direto ou indireto com as agências de viagens. A ABAV Expo tem o público formado por compradores e tomadores de decisão das principais agências de viagens dos mais variados segmentos, além de gestores de viagens corporativas, as mais importantes operadoras emissivas e receptivas e demais profissionais do setor. A presença maciça da mídia, nacional e internacional, garante uma visibilidade adicional, ultrapassando os limites físicos do pavilhão de exposição.

Grandes negócios

Segmentos que expõem na ABAV Expo: Destinos nacionais e internacionais, operadoras emissivas e receptivas, companhias aéreas, consolidadoras, hotéis e resorts, cruzeiros, fornecedoras de tecnologia e sistemas, locadoras de veículos, empresas de ecoturismo e aventura e de representantes do turismo rural, entre outros.

 

O mercado brasileiro de turismo mais conectado do que nunca. Esse é o conceito que inspira a organização da 46ª ABAV Expo Internacional de turismo e 50º encontro comercial BRAZTOA, que em setembro volta a reunir em São Paulo toda a cadeia produtiva deste grande vetor econômico que impulsiona nada menos que 52 diferentes setores da indústria nacional.

Ao lado de expositores tradicionais, entre companhias aéreas, hotéis, locadoras, cruzeiros marítimos, equipamentos turísticos, destinos nacionais e internacionais, e das operadoras reunidas no encontro comercial BRAZTOA, a ABAV expo 2018 abrirá espaço para que os visitantes se conectem também com representantes das áreas de infraestrutura, esportes, educação e hospitalidade, entre tantas outras que, direta ou indiretamente, são impactadas pelo turismo.

 

 

>Link  

As pontes inglesas no Sertão de Alagoas
   Mozart  Luna  │     24 de agosto de 2018   │     5:19  │  0

IMG_8987

Um tesouro deixado pelos ingleses está abandonado dentro da caatinga do Sertão de Alagoas há mais de 100 anos. Trata-se de cinco pontes de aço puro fabricadas na Inglaterra, no século 19 e trazidas desmontadas em navios, pelo rio São Francisco e montadas nos municípios de Piranhas e Olho D´Água do Casado em 1881. Esse patrimônio da história de Alagoas está à mercê da ação de vândalos e caçadores de metal, que vendem no peso, peças como essas. Uma tentativa já ocorreu ano passado, quando um grupo cortava com maçarico, uma das pontes. O crime não foi consumado graças à ação do ambientalista e pesquisador Elizeu Gomes (Leleu), que foi avisado por moradores das proximidades. Leleu colocou o bando para correr.

IMG_8658

Na opinião de Leleu as pontes são verdadeiras obras de arte e testemunhas de um período importante do desenvolvimento do Sertão Nordestino. Esse achado necessita urgentemente de uma ação de preservação e guarda por parte das autoridades estaduais. Leleu aproveitou para cobrar das secretarias estaduais de cultura e também de turismo, uma ação rápida para restaurar e sinalizar esse patrimônio histórico e cultural que é visitado por turistas que realizam as trilhas na região.

IMG_8995

As cinco pontes têm mais de 100 anos e são muito bonitas. Algumas poderiam até ser desmontadas e colocadas no Centro Histórico de Piranhas ou de Olho D águas do Casado, para ser visitação dos pelos turistas, que não têm condições de caminhar pela caatinga. Seria uma grande atração para essas cidades.

 

IMG_8668

Trilha ecológica

 

IMG_8989

O guia de turismo e ambientalista Adalberto Inácio é um dos profissionais da região credenciados, que faz a “trilha do Imperador”, na caatinga. Graças a ele as pontes inglesas também permanecem sob vigilância voluntária.

O passeio realizado é uma volta no tempo, através do resgate da história do funcionamento da linha de transporte ferroviário, que era realizado entre a cidade de Piranhas e Jatobá, em Pernambuco. A linha férrea foi construída pela empresa inglesa Great Western em 1881.

A chegada da ferrovia no Sertão de Alagoas se deu graça à determinação do imperador Dom Pedro II, em levar o desenvolvimento para essa região tão castigada do Nordeste. A criação da linha de transporte à vapor, entre Penedo e Piranhas foi o primeiro passo para chegada da ferrovia no Sertão. O Transporte de  passageiros e mercadorias, que se destinavam a várias cidades do Sertão da Bahia e Pernambuco eram a justificativa econômica da época.

IMG_8990

Com a obra de construção da ferrovia Piranhas/Jatobá chegaram também os ingleses e também belgas, contratados para quebrar dormentes, já que segundo os historiadores, não havia mão de obra especializada na região. Com esses operários europeus trazidos, através de promessas ilusórias de ficarem ricos, veio também costumes e principalmente os traços da arquitetura inglesa, que hoje predomina em alguns prédios do Centro Histórico de Piranhas.

Essas características arquitetônicas estão presentes principalmente na antiga estação de passageiros, na torre da caixa d´água, transformada hoje no Café do Relógio e no casario do centro gastronômico de Piranhas. Esse traço da arquitetura britânica está presente em todas as estações de passageiros, que foram erguidas no século 19, ao longo do percurso da linha férrea Piranhas/Jatobá, como em Olho D´água do Casado, que está praticamente destruída e Delmiro Gouveia que foi transformada em Museu do Sertão e esta aberta à visitação pública.

Percurso

IMG_8991

 

O percurso é feito no verão logo pela manhã bem cedo, por volta das 8 horas, devido à alta temperatura. Os grupos formados são no máximo de 12 pessoas que parte do assentamento Nova Esperança e a duração são de 3 horas, com várias paradas para observação do bioma da caatinga e sítios de penduras rupestres.

Segundo o guia Adalberto Inácio durante o roteiro, o grupo tem a oportunidade de passar pelas cinco pontes inglesas de aço e fazer bonitas fotografias. Em trecho da trilha do Imperador, existe um riacho temporário muito bonito e é onde está a maior ponte. “É um dos lugares preferidos pelos turistas” disse ele.

Também há uma parada em uma agrovila para compra de mel e comidas típicas da região e o passeio termina no mirante da concha para o por do Sol.

Contatos para realizar a trilha – 98838-3504 – candeeiroecotur/

Agência de Viagens MF TUR (79) 99972-1320 / (82) 99986-2038
Fax: (79) 3346-1184

Onde ficar

Hotel Pousada Aconchego do Velho Chico – 82 98862-0599/

Hotel Dunen – 82 – 3686-1308/ 82 98808-2354

 

 

>Link  

Turistas fazem trilhas em veículo militar da Segunda Guerra Mundial
   Mozart  Luna  │     23 de agosto de 2018   │     6:12  │  1

 

IMG_7863

 

Nossa aventura pelo Litoral Sul de Alagoas continua no complexo de ecoturismo de Dunas do Marapé, desta vez realizando a trilha “pau de arara”, utilizando para isso um caminhão de transporte de tropas da Segunda Guerra Mundial. Trata-se um veículo para “qualquer terreno” (QT), que foi adaptado para realizar passeios pelos coqueirais da região.

Nossa saída é das margens do rio em Duas Barra com destino a cidade de Jequiá da Praia. O grupo embarca no caminhão e logo recebe orientações do guia Albanir Augusto, que pede para que todos fiquem sempre sentados durante o deslocamento do veículo, que dar partida.

IMG_7893

Nossa primeira parada é em frente à capela de Nossa Senhora do Pilar, em Jequiá da Praia. O templo católico foi erguido em 1762 e é um dos um dos mais antigos de Alagoas. A cidade é o mais novo município do estado. Sua povoação se deve a atividade pesqueira, que ainda é o lastro de sua economia, junto com a atividade turística.

IMG_7860

Nossa trilha continua rumo à praia de Jacarecica do Sul. Antes, porém, passamos por sítio de coqueiros. A estrada é terra e o QT balança, sacolejando a todos, que se divertem com o tranco provocado pelo veículo, mas logo chegamos à segunda parada, no alto de uma falésia, onde embaixo está a praia de Jacarecica do Sul.

IMG_7867

Os turistas desembarcam do caminhão e aproveitam para tirar fotos do alto das falésias de onde se tem um visual incrível da praia. Para se chegar à praia temos que descer por uma estrada pavimentada com cimento e conchas do mar, cercada de dois paredões formados pelas falésias.

 

IMG_7875IMG_7872

Ação de preservação

Ao chegar à praia, o guia Albanir Augusto faz uma explanação da importância da preservação daquele local, para reprodução de tartarugas marinhas. A Praia de Jacarecica do Sul é um santuário de desova desses animais dóceis e que estão ameaçados de extinção. No inicio desse ano, um vídeo postado nas redes sociais, registrou um crime ambiental terrível praticado por pessoas que pilotavam veículos, circulando pelas areias e matando os filhotes de tartarugas. Uma cena hedionda que chocou a milhares de pessoas.
IMG_7879

Imediatamente o Ministério Público determinou a proibição da circulação de veículos, pela faixa de areia e apreensão de dezenas de veículos, que eram alugados aos turistas que pilotavam buggys pelas praias daquela região, causando um grande dano ambiental. Atualmente todo aquele trecho de praia é fiscalizado pelos próprios moradores da localidade, que estão orientados a anotarem as placas dos veículos, que por acaso passem pelas praias e comunicarem as autoridades.

IMG_7882IMG_7878

 

 Falésias

Na praia as enormes falésias se erguem e chegam a 15 metros de altura. Todas se caracterizam pela cor avermelhada da argila, que contrasta com o azul do mar. A formas são as mais variadas possíveis, já que foram esculpidas a milhares de anos, pela ação do mar e dos ventos. O local não é apropriado para o banho, já que possui uma forte correnteza e muitas pedras, mas o visual é o grande atrativo. O complexo de ecoturismo realiza toda semana voluntariamente ações de limpeza da praia de Jacarecica do Sul, já que as marés trazem para as areias muito lixo jogado ao mar por navios que passam.

IMG_7883

 

“Lixo internacional”

Segundo Albanir Augusto, o lixo que chega à praia é jogado pelas tripulações dos navios que passam na costa brasileira.  Ele mostrar algumas garrafas pet de água mineral que trazem nos rótulos a origem dos países em que são fabricados como África do Sul, Indonésia, Paquistão e até da China. Ações ambientais e de limpeza das areias são realizadas pelos colaboradores do complexo Dunas do Marapé. Uma delas já está programada para ocorrer e conta com a participação de alunos da rede pública de ensino de Jequiá da Praia.

IMG_7876

Segundo Albanir essas ações de educação ambiental ocorrem todos os meses com a participação das crianças que passam o dia no complexo de ecoturismo, recebendo informações sobre a importância de preservação do meio ambiente.

Segundo ele ainda ele o resultado é bastante proveitoso, já que a maioria são filhos de moradores do município, que exercem a atividade de pesca, tanto na lagoa como no mar e no mangue. “Estamos formando agentes conscientes para preservação do meio ambiente e que serão com certeza os guardiões desse santuário ecológico chamado Jequiá da Praia”, finalizou ele.

IMG_7869

ASSISTA TODA REPORTAGEM EM VÍDEO NO LINK

 

Informações: 

Como Chegar: O acesso ao complexo de Dunas do Marapé pode se faz através da AL 101 Sul. A distância é de 69 quilômetros de Maceió. As condições da rodovia são boas.

Onde pernoitar:  Existem algumas pousadas simples, mas aconchegantes que possuem um bom serviço. Uma referência é a pousada Dunas do Marapé pelo telefone: 3235-1333/99926-1031/99639-0969/99639-0925

e-mail: [email protected]

 Onde comer: Bares e restaurantes não faltam com preços bons e uma qualidade excelente. O  cardápio sempre gira em torno de frutos do mar.

Referência também é o restaurante Dunas do Marapé. 3235-1333.

 

Tags:

>Link  

Maragogi precisa de recursos para obras de infraestrutura turística
   Mozart  Luna  │     21 de agosto de 2018   │     19:00  │  0

O município de Maragogi é dos destinos turísticos mais vendidos no Brasil e o segundo polo de turismo do Estado, graças as suas belezas naturais. Contudo o município apresenta problemas estruturais nos serviços essenciais, como saneamento básico, fornecimento de água e energia e urbanização, consequência da falta de investimentos em obras de infraestrutura.

Mesmo com a atividade econômica bastante aquecida, gerando emprego e renda, o poder público local, não tem conseguido ter recursos financeiros suficiente para realizar obras de médio e grande porte, como por exemplo, a construção de um reservatório regular de água para o abastecimento da cidade e principalmente dos empreendimentos hoteleiros.

Será necessária uma reforma tributária o âmbito da arrecadação própria. Medida administrativa não muito popular, mas necessária para o desenvolvimento. O primeiro passo será atualização dos valores cobrados, incrementar o recolhimento do Imposto Sobre Serviço de Qualquer Natureza (ISSQN), cobrar taxa pelo recolhimento do lixo tanto domestico como da construção civil.

Outra medida é fazer valer a lei federal que determina que os empreendimentos privados recolham e destine os resíduos produzidos com quantidade acima de 100 litros/dia.

A prefeitura deve também cobrar as empresas, como a Casal, pelos reparos nas vias públicas, onde realizam serviços. Buscar recolher tributos (ISSQN) das operadoras de telefonia celular que têm torres no município e outras medidas de incremento da receita. Essas são apenas algumas medidas financeiras para oxigenar a receita.

Só assim o poder público terá condições de investir melhorando a infraestrutura do município para fazer frente ao crescimento da atividade do turismo, que é atualmente o motor da economia em Maragogi.

 

Galeria de águas pluviais contaminadas com ligações clandestinas de residências  

Urbanização: um desafio

Um grandes desafios de Maragogi é melhorar sua urbanização, começando pelo acesso a cidade até sua orla, que é totalmente desarmonizada e sofre com a poluição, com o desaguar de esgotos na rede de galerias pluviais que chegam às praias.

Um problema antigo, que já deveria ter sido resolvida há muito tempo com o emprego da autoridade. Mas na atual gestão o assunto foi abordado com seriedade devido a gravidade da situação.

A prefeitura, através da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, iniciou uma operação de tamponamento de ligações residenciais, que estavam clandestinamente jogando suas águas servidas e até dejetos humanos, nessas galerias

Uma ação corajosa, mesmo enfrentando criticas de quem não tem compromisso com o meio ambiente, a saúde pública e muito menos com o turismo.


Graças a Superintendência do Patrimônio da União (SPU) pelo menos a urbanização da orla marítima terá ordenamento seguindo uma padronização com relação ao uso da área pública. Em setembro será publicado edital de licitação para ocupação dos espaços comerciais.

Objetivo essa ocupação o Poder Público Municipal iniciou uma seria de debates com a comunidade para discutir o projeto urbanístico. Uma dessas oficinas será realizada nesta semana, nos dias 20 e 21 no auditório da Cooperagro. Será um momento importante para população se manifestar sobre o assunto e assim dar sugestões ao novo projeto orla que será apresentado a SPU.

Maragogi precisa urgentemente de up-grade, para continuar sendo o polo de turismo importante e um cartão Postal de Alagoas e o momento é agora, antes que seja tarde demais.

 

Tags:, ,

>Link