Anac “trava” aeroporto Zumbi dos Palmares e prejudica turismo
   Mozart  Luna  │     14 de junho de 2018   │     12:33  │  0

 

O trade turístico alagoano continua aguardando a conclusão do processo de reclassificação do aeroporto Zumbi dos Palmares, localizado entre Maceió e Rio Largo. A solicitação é para o aeroporto passe da categoria Charles (C) para Delta (D), o que facilita a colocação de Alagoas, na rota de voos regulares internacionais das companhias aéreas.

Atualmente para aterrisagem de aparelhos A 330, vindo principalmente da Europa é preciso uma licença especial da Infraero, o que demora para ser concedida devido ao tramite burocrático.

Essa situação preocupa o Governo de Alagoas, já que em parceria com o trade turístico está desenvolvendo ações em Portugal, junto aos operadores turísticos, para reconquistar o mercado luso. Este ano uma missão oficial mista participou da Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL), onde importantes contatos foram realizados com o objetivo reconquistar o mercado Português.

Entretanto os operadores turísticos portugueses apontam o aeroporto Zumbi dos Palmares como um problema a ser resolvido para viabilizar as operações, começando pela reclassificação para categoria Delta (D).

Anac complicou

A situação ficou mais complicada em março quando a Anac publicou uma portaria restringindo os voos internacionais nos aeroportos de Gilberto Freire em Recife, Zumbi dos Palmares em Rio Largo e Santa Maria em Aracaju. Com isso os as companhias aéreas, que têm interesse de trazer mais voos internacionais para estes aeroportos, têm até agosto para solicitar a Infraero.

Nos bastidores o comentário é que essa portaria da Anac tem o objetivo político de pressionar o Governo Federal para investir nos aeroportos, que vão ser privados e já estão em fase de leilão. Dessa forma seriam realizados investimentos de infraestrutura para valorização dos equipamentos no leilão.

Aeroporto Zumbi dos Palmares

Entretanto a situação aeroporto Zumbi dos Palmares é mais delicada em relação aos outros, já que além da portaria da Anac restringindo os voos internacionais, existe também outras exigências para que sejam realizadas como várias adequações internas e principalmente externas. Esta ultimas de competência da prefeitura de Rio Largo.

Essas adequações dizem respeito a retiradas de postes de rede elétrica, torres de operadoras de celular e até imóveis que construíram um segundo piso próximo ao aeroporto, constituindo obstáculos e riscos a pousos e aterrisagem de aeronaves de grande porte.

As últimas informações são que a prefeitura já teria notificado as empresas e proprietários de imóveis para que realizassem a retiradas desses obstáculos.

Com relação a Portaria da Anac, restringindo voos internacionais, a informação é de que foi elaborado um Termo de Ajusta de Conduta (TAC), que propõe um cronograma de obras de infraestrutura para atender as exigências da portaria e suspendendo sua validade.

Segundo o ex-ministro dos transportes e deputado federal Mauricio Quintella, o TAC deverá ser apresentado em uma reunião do Conselho da Anac, para concordância e assinatura, ato que até agora não se concretizou, causando grande expectativa no trade turístico alagoano.

 

 

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *