Quando se deve aplaudir os pilotos do avião
   Mozart  Luna  │     3 de junho de 2018   │     6:35  │  0

 

O momento mais tenso vamos dizer assim durante uma viagem aérea e quando o avião decola e pousa. Neste momento os passageiros avaliam a a habilidade dos pilotos. Tempos atrás uma aterrissagem “macia” era aplaudida pelos passageiros. Atitude que pouco se nota atualmente nos voos.

A maioria do trabalho durante um voo é feita pelo piloto automático. Em um voo regular, o piloto automático faz cerca de 90 por cento do voo. A descolagem e a aterragem são os momentos que exigem, de longe, a maior atenção por parte do piloto.

Isto significa dizer que uma boa aterragem reflete a habilidade de um piloto, de acordo com Joe D’Eon, um ex-comandante, que trabalhou em companhias aérea na Europa: “Se quiser dizer algo simpático a um piloto quando está a sair do avião, diga ‘boa aterragem!’. Nós gostamos de ouvir isso por parte dos passageiros”.

E como funciona a aterragem? Depois de fazer todos os cálculos em relação à sua velocidade (muito rápido – mau; muito lento – mau) e altitude, é altura do “flare” (quando o avião deixa a trajetória de descida e passa a voar rente à pista em linha reta, sem motor), que é o mais importante.

Inicio da aterrisagem

 

“A manobra de aterragem começa com o flare”, conta Mark Vanhoenacker, co-piloto da British Airways e autor do livro How to Land a Plane. “As técnicas variam, mas geralmente, quando o avião está em flare, o piloto aponta o nariz um pouco para cima enquanto começa a reduzir a força. Subir o nariz reduz a taxa de descida, permitindo que aterre de forma ligeira na pista. O flare é uma manobra difícil e que os pilotos continuam a ir refinando ao longo de suas carreiras”, disse ainda ele.

A perspectiva de que uma boa aterragem tem de ser suave é, no entanto, um mito. “Uma aterragem firme é, se for caso disso, preferível a uma mais suave se a pista for curta, estiver molhada ou coberta de neve, ou se estiver muito vento”, conta Mark Vanhoenacker. “Como diz nos poderosos manuais do 747: ‘Uma aterragem suave não é o critério para uma aterragem segura’”.

Patrick Smith, piloto dos Estados Unidos e autor do Cockpit Confidential, concorda. Segundo ele embora os passageiros liguem muito à suavidade de uma aterragem, isso dificilmente é uma referência precisa da habilidade de um piloto. Uma aterragem firme ou “torta” normalmente é aquela para a qual o piloto está a apontar. Em pistas de curta distância, a prioridade é conseguir colocar o avião de forma segura no chão dentro da zona de aterragem, sem ligar ao fato de ser ou não suave.

Na verdade, os pilotos adoram uma aterragem complicada.Uma pesquisa realizada por revistas especializadas em aviação civil questionou vários pilotos sobre os seus aeroportos favoritos onde aterraram no ano passado. Nápoles, Madeira, Innsbruck e Gibraltar foram os mais escolhidos – e todos têm uma coisa em comum: estão entre os mais difíceis da Europa, e os pilotos necessitam de treino especial antes que possam enfrentá-los.

Devemos bater palmas depois de uma aterragem bem-sucedida?

Aplaudir depois de uma aterragem ainda está tão generalizado como no final dos anos 70 e início dos anos 80, mas que deixou de ocorrer. Atualmente é um fato raro. Mas um piloto gosta de um bom aplauso.

 

Tags:

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *