Falta de infraestrutura prejudica desenvolvimento do turismo
   Mozart  Luna  │     10 de fevereiro de 2018   │     20:45  │  0

 

A Falta de infraestrutura aliada ao grande número de veranistas e turistas nas cidades balneários e pólos de turismo em Alagoas causa o colapso em serviços essenciais como abastecimento de água, lixo, postos de saúde e até mesmo Unidades de Pronto Atendimento (UPA), além da segurança pública.

Estes problemas podem ser sentidos em cidades do Litoral Norte, como Japaratinga, Maragogi, São Miguel dos Milagres, Barra de Santo Antonio e Paripueira. Cidades turísticas como Piranhas no Sertão, também sofrem com o aumento da demanda de consumo, demonstrando a necessidade de investimentos em obras estruturantes como barragens, adutoras, aquisição de veículos coletores de lixo e contratação de pessoas de saúde e policiamento.

A prioridade deve ser os pólos turísticos que necessitam de investimentos para a consolidação dessa atividade geradora de emprego e renda. Entretanto a deficiência de serviços essenciais é um problema recorrente todos os anos em épocas como Carnaval, Páscoa e feriadões.

Municípios como Maragogi, segundo pólo de turismo de Alagoas, a situação é de pré-colapso total e segundo ambientalistas e técnicos é uma questão alguns anos, talvez dois ou três no máximo. Atualmente a cidade já vive problemas com localidades, que chegam há ficarem 15 dias sem abastecimento de água como Barra Grande em Maragogi.

Em Japaratinga o problema é igualmente sentido pela população. Este fato vem também prejudicando investimentos no setor hoteleiro, que não tem mais onde buscar água para abastecer. Um caso concreto é o do mais novo empreendimento hoteleiro que está praticamente pronto em Japaratinga, mas o município não tem capacidade hídrica de abastecer o hotel.

Solução

A solução foi pedir socorro a Prefeitura de Maragogi, que vai construir uma adutora exclusiva para abastecer o mais novo empreendimento hoteleiro de Japaratinga. O hotel está praticamente pronto e vai gerar mais de 300 empregos diretos e cerca de 200 indiretos. Sem contabilizar o ISS que vai gerar para prefeitura, que mal consegue recolher o lixo da zona urbana.

Recursos hídricos

Vale ressaltar que o problema desses municípios no Litoral Norte não é a falta de recursos hídricos, já que existem dezenas de rios. Maragogi e Japaratinga são destinos turísticos que já deveriam ter resolvido o problema da água, com a construção de barragens reguladoras. Essa proposta somente surge durante o período eleitoral, assim como o aeroporto de Maragogi, que continua no papel há 20 anos.

É preciso que todos comprometidos com o desenvolvimento de suas cidades e de Alagoas se debrucem sobre esses problemas estruturais e comecem a realizar esforços para solucioná-los, principalmente em um momento tão importante, quando o Nordeste se destaca na Europa, como o mais novo destino turístico no Brasil, devido à fuga de turistas do Rio de Janeiro, que mergulha cada vez mais profundo em problemas como tráfico de drogas e a violência, além das doenças tropicais como a febre amarela.

O Nordeste será um destino exposto com destaque na Europa, na Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL), que acontece de 28 de fevereiro a 04 de março. A perspectiva é que cerca de 5 mil negócios de turismo sejam fechados. O evento é um dos principais para venda de destinos da América Latina aos europeus.

Vale lembrar que os destinos que apresentam problemas estruturais em serviços essenciais serão rejeitados, mesmo oferecendo um grande potencial turístico, como é o caso de Maragogi.

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *