Febre “amarela” carnaval do Rio e EUA emite alerta no Brasil
   Mozart  Luna  │     30 de janeiro de 2018   │     9:00  │  0

 

O desfile das escolas de samba no carnaval do Rio de Janeiro pela primeira vez sofre com a crise financeira e organizadores está preocupados por não ter conseguido vender todos os ingressos e camarotes. A preocupação foi externada pelo coordenador da Liga Independente das Escolas de Samba, Heron Scheider, que comentou a situação classificando com histórica e que nunca ocorreu. Segundo ele estão a sobrar ingressos e camarotes faltando apenas duas semanas do Carnaval. Segundo ainda ele a situação é pior que 2017, que foi muito ruim.

Apenas as cadeiras que têm ingressos mais baratos (R$ 190,00) foram todos vendidos. Nas Arquibancadas ainda estão disponíveis lugares em nove dos 11 setores. Os preços vão de R$ 220,00 a 320,00, apenas os mais baratos de R$ 145,00 a R$ 220 foram vendidos.

O mais incrível são os camarotes que estão sobrando três e que sempre já se esgotavam no inicio das vendas. As fantasias que são vendidas para aqueles, que gostam aparecer na passarela, também encalharam e muitas estão no armário, sendo um momento histórico do carnaval do Rio do Janeiro.

Febre Amarela e Violência

Para os organizadores um motivos mais forte para a queda na venda foi a crise financeira e a data do Carnaval desse ano, que par eles ficou muito próximo das festas de final de ano. Entretanto todos evitam comentar o surto de febre amarela, que assola o Rio de Janeiro e o aumento da violência, graças ao crescimento do poder dos traficantes em todo estado.

Os países da Europa estão recomendando as pessoas que vem para o Brasil, para avaliarem bem os riscos com relação à Febre Amarela e pedem que todos se vacinem antes de viajar. Alguns governos estão praticamente recomendando que ninguém venha para o Brasil por motivos menos importantes, só em casos de estrita necessidade.

Depois da Zika, a Febre Amarela chega para prejudicar o fluxo de turistas e colocar o Brasil entre os países que não se deve viajar por causa de risco de contrair doenças tropicais e também por oferecer risco de vida pela violência nas ruas.

EUA emitem alerta amarelo

 

Em Recife a embaixada dos Estados Unidos emitiu aos funcionários alerta amarelo, para todos que ficam trabalhando depois das 18 horas, devido ao grande número de assaltos com vítimas fatais. O alerta amarelo é só emitidos para os funcionários em países onde há ameaça terrorista.

Diante desse cenário crítico os empresários de turismo pensam em pedir socorro ao Governo Federal para realizar uma campanha de marketing na Europa, para melhorar a imagem do Brasil que hoje além de ter uma imagem de nação corrupta, agora também como celeiro de doenças tropicais contagiosas e comandada pelos narcotraficantes.

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *