Um museu de feras pré-históricas no Sertão de Alagoas
   Mozart  Luna  │     4 de outubro de 2017   │     5:41  │  1

IMG_6948

Alagoas possui um museu de paleontologia no Sertão, no município de Maravilha, localizado à 222 quilômetros de Maceió. O museu foi criado em 20 de maio de 2007 pela prefeitura, com a orientação do professor Jorge Luiz do Museu de História Natural da Universidade Federal de Alagoas (Ufal).

O Museu de Paleontologia da Maravilha é hoje referência para pesquisadores de várias Universidades do Brasil e do Mundo.  A falta de divulgação tem sido um dos grandes problemas, que o museu enfrenta para continuar aberto, já que depende da ajuda financeira da prefeitura que se encontra em dificuldades financeiras.

O Museu chegou a ficar fechado por três anos, por falta de recursos. Atualmente a instituição precisa de apoio para continuar aberto. A solução, segundo os representantes da prefeitura, seria o patrocínio de empresas privadas.

Preguiça gigante e tigre dente de sabre

IMG_6955 (1)

O Museu possui fósseis de animais que viveram naquela região há cerca de 10 mil anos. Um dos primeiro e principais achados foram os fósseis da preguiça gigantes (denissaras) que surgiram no período Oligocénico. A descoberta foi realizada em 1977, por acaso por agricultores do sito Ovo da Ema, em Maravilha, que acharam o formato das “pedras” diferentes das outras.

 

IMG_6957IMG_6944 (1)

Por coincidência se encontrava na região, pesquisando a existências de cavernas, o professor Jorge Luiz da UFAL, que foi informado sobe o achado. De imediato ele confirmou se tratar de fósseis de animais da era Pleistocênica, com idade aproximada de 10  mil anos.

As pesquisas começaram meses depois graças a um convênio com o  Centro de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Cnpq). O primeiro passo foi a sinalização do local e o seu isolamento para iniciar as escavações. Surgiram então outros achados, como fósseis do tigre dente de sabre (similodon), que era um animal carnívoro, com presas enormes e uma abertura de mandíbula muito maior que as de sua espécie atualmente.  Com o decorrer dos trabalhos de pesquisa foram encontrados fósseis de diversos animais, que vieram na época pleistocênica, que hoje enriquecem o acervo do museu.

IMG_6941IMG_6949

Lamentavelmente os trabalhos estão paralisados e os locais, onde foram encontrados os fósseis estão sofrendo com a invasão de curiosos e até de colecionadores.

Atração Turística

Objetivando desenvolver o turismo a prefeitura investiu na colocação de réplicas dos animais em tamanho natural nas praças públicas da cidade. Uma delas á a preguiça gigante, que assusta as crianças e chama a atenção pelo seu tamanho, que chega a cerca de 8 metros de altura, exibindo suas garras afiadas.

Outra réplica que também chama a atenção dos visitantes é o tigre dente de sabre, que foi colocado logo na entrada do museu.  Seu ar feroz e suas cores dão medo, mas que logo vira atrativo para fotos. Dentro do museu existem os fósseis de todos esses animais, que viveram na região há mais de 8 mil anos.IMG_6773

O programa Conheça Alagoas da TV Mar, canal 25 da net e também transmitido pelo site gazetaweb.com exibe no próximo sábado, às 19 horas, com reprise no domingo sobre essa reportagem.

Como chegar

O acesso a Maravilha se faz através da BR 316 e o museu funciona de terça-feira a domingo das 8 às 14 horas . A entrada é gratuita. A cidade não possui pousadas para turistas e para refeições as opções são poucos e muito simples, sem estrutura para receber grupos acima de 20 pessoas. O recomendado é que os visitantes procurem o município vizinho de Santana do Ipanema, que fica a pouco mais de 20 quilômetros e oferece restaurantes e hospedagens mais confortáveis.

>Link  

COMENTÁRIOS
1

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Barbosa

    Já fui duas vezes. A cidade é pequenina porém seu povo é muito receptivo e acolhedor. Realmente, nós chegamos pela manhã, visitamos o museu que é bem pequenino mas muito organizado e fomos visitar a fazenda onde foram encontrados alguns fósseis. Saímos por volta das 11:30, almoçamos em Santana do Ipanema, que por sinal tem ótimos restaurantes, inclusive japonês, depois conhecemos outras cidades como:Poço das Trincheiras, Olho Dagua das Flores e S.J. da Tapera. Em olho Dagua das Flores existe um verdadeiro Oasis no sertão, um restaurante com comidas típicas e piscina para as crianças, cujo nome é SUPIMPA. Se alguém for para o sertão não deixe de dá uma passadinha por lá, é muito bom!

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *