Decreto do encerramento dos lixões não é cumprindo em Alagoas
   Mozart  Luna  │     30 de julho de 2017   │     21:43  │  1

 

O cumprimento do decreto presidencial 12.305/10 que determina o encerramento dos famigerados lixões está em vigor, mas estranhamente até agora cerca de 60% dos municípios alagoanos ainda continuam mantendo esses locais abertos, mesmo já tendo em Alagoas aterros sanitários certificados para a destinação adequada dos resíduos produzidos pelas cidades. Os órgãos ambientais estão simplesmente os fiscais da lei deveria tomar uma posição firme para que a lei fosse cumprida.

O decreto que determina o encerramento dos lixões é de 2010 e quando foi publicado deu ainda um prazo de quatro longos anos para os gestores buscarem a solução mais adequada para o cumprimento da lei federal. Entretanto as lideranças municipalistas preferiram emburrar o problema com a barriga na época já, buscando artifícios para prorrogar o prazo, mas esbarram no veto presidencial.

Agora a lei está em vigor e alguns prefeitos, já foram flagrando por crime ambiental e respondem na justiça processo onde poderá ser condenado a seis anos de prisão e ter seus bens penhorados para pagamento das pesadas multas, além de perderem seus direitos políticos. A grande expectativa é que neste mês de agosto os Ministérios Públicos Federais e Estaduais realizem uma grande operação em Alagoas, para encerrar os lixões dos municípios, já que existem no estado quatro aterros sanitários em funcionamento.

Não cabe mais nenhuma desculpa para a protelação do cumprimento da lei federal, afinal de contas a lei é para ser cumprida ou não?

>Link  

COMENTÁRIOS
1

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Nelson

    No Brasil, lixo é confundido pelos governantes e população, como luxo. É deplorável a situação do lixo no Brasil.

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *