Visita ao Castelo Templário de Tomar e a busca pelo Santo Graal
   Mozart  Luna  │     2 de abril de 2017   │     11:19  │  1

IMG_1970

IMG_1969 A busca pelo Santo Graal na idade média foi uma idéia obcecada dos lideres da Igreja Católica e principalmente da realeza européia. Todos acreditavam que quem tivesse o Santo Graal não morreria e que teriam todas as graças que desejasse. Mas o que seria o Santo Graal na verdade? O cálice em que Jesus tomou vinho na última ceia, junto com seus 12 apóstolos. Essa relíquia, segundo pesquisadores portugueses teria sido levada para Portugal e talvez para cidade de Tomar.  E foi para lá que nos dirigimos em busca também do Santo Graal. A cidade de Tomar está localizada no coração de Portugal e foi escolhida para construção de um templo religioso de iniciação, que hoje é a Igreja de Nossa Senhora do Olival.

IMG_1977

Entretanto antes iniciaremos uma pequena viagem na história para nos situar melhor. Começando pela explicação de que os templários foi uma Ordem religiosa de cavaleiros criada em 1119, para defesa dos lugares tidos com santos na Palestina, onde Jesus viveu. O criador da Ordem foi Hugo de Payens e mais oito cavaleiros companheiros do Godofredo de Bulhões. Os templários foram reconhecidos pelo Papa. O primeiro grupo foi direto para Jerusalém onde foram acolhidos pelo rei Balduino II, que os abrigou no antigo templo de Salomão.

IMG_1990

Depois disso os Templários passaram a ser os cavaleiros mais temidos e respeitados da Europa e Oriente Médio. A guarda e busca pelas relíquias sagradas que pertenceram a Jesus passaram a ser o objetivo dos integrantes dessa ordem religiosa. Mas com o passar do tempo criou a sua maneira própria de “servir ao Senhor”, embasando sua doutrina no evangelho de João Batista e também reconhecendo Maria Madalena como uma das principais pessoas da vida de Jesus, e para os templários o apostolo mais importante do grupo que acompanhava o Mestre.

IMG_1994

Os templários sofreram uma metamorfose política e religiosa durante os anos que se passavam e iniciaram uma aproximação dos mulçumanos e judeus, buscando uma convivência pacifica entre todos, ao mesmo tempo, que ser fortaleciam financeiramente com essa aliança. Tanto assim que despertaram a cobiça da nobreza européia que passou a conspirar contra a Ordem dos Templários, que foi banida da Igreja Católica e perseguida, tendo que mudar de nome como em Portugal passando a ser monges da Ordem de Cristo, onde ergueram em Tomar o Convento de Cristo, um suntuoso Castelo que guarda muitas histórias e mistérios. Entre eles a de que o Santo Graal teria sido guardado em Tomar, no Castelo Templário.

Construção do Castelo

IMG_1976

Tudo começou em 1160 com a construção do Castelo, que hoje é o Convento de Cristo e da igreja de Tomar por Gualdim Pais. Um templário da alta cúpula da Ordem, ocupando o cargo de 6º Mestre da Ordem Templário portuguesa. A construção dos templos não segue a arquitetura da região e têm formas octogonais – 8 um número infinito na sua forma – um símbolo templário.

IMG_1978

Os templários tinham quatro classes: os cavaleiros, os escudeiros, os irmãos leigos, e os capelães e sacerdotes (chefes militares, sargentos, soldados, clérigos) Juravam consagrar a vida a Deus e defender a fé cristã e os lugares sagrados. Faziam votos de pobreza, obediência e castidade. Suas vestimentas era a armadura de combate, não ficam na ociosidade passando o dia treinando para o combate, fazendo conserto no armamento, ou realizando atos de caridade com os pobres. Toda a vida esta dedicada a servir a sua fé.

IMG_1968

O antigo castelo teve que ganhar formas de um convento de religiosos para enganar os perseguidores dos templários. Entretanto dentro guardava toda estrutura de uma fortificação militar estrategicamente construída. Ao longo do tempo o antigo castelo templário foi recebendo novos cômodos e também ornamentos como a janela manuelina, única em toda Europa, rica em seus adornos e características da época das grandes descobertas marítimas.

Nossa busca pelo Santo Graal continua dentro do castelo templário. A cada passagem por uma porta, se abre um novo espaço. O corredor onde fica as celas dos monges, a cozinha, e local onde guardavam as pipas de azeite.

IMG_1986

Dos lugares comuns do antigo castelo, o refeitório nos chama a atenção pelo tamanho. Lá estão pratos e utensílios domésticos utilizados na época. Castelo é visitado por muitos turistas e também por alunos de escolas da região que aprendem muito da história sobre os templários.

O coração do Castelo

 

IMG_1996

Nossa busca pelo Santo Graal continua e finalmente chegamos a Charola, onde ficava o altar mor da capela do Castelo. O lugar é diferente de tudo que existe no Castelo, no formato circular com oito colunas tendo destaque o Cristo Crucificado tendo ao lado João Batista e outros apóstolos dentro da nave, onde estava instalado o alto mor que foi retirado.

IMG_1995

Do lado externo do altar mor se pode observar toda beleza da construção, com pinturas que registram passagens bíblicas. O teto pinturas lembra a capela sistina de Roma. A chamada Charola do Castelo Templário de Tomar em Portugal é de uma beleza impar. O local realmente é diferente de todo restante do Castelo, o que comprova que esta seria a parte mais antiga dessa edificação.

IMG_1974

O local indica que os cavaleiros realizavam seu rito religioso, passando em volta do altar mor montados a cavalo e com suas armaduras para serem abençoados antes de irem para batalha. Com isso acreditava-se que com o poder o Graal seriam vitoriosos como foram em todas as batalhas realizadas.

IMG_1967

Então estaria aqui guardado em um local secreto, uma das relíquias pertencentes a Jesus? O Santo Graal? Esta dúvida vai permanecer porque nossa busca continua na próxima reportagem, ainda em Tomar, pois tivermos a informação que existe na cidade uma edificação realizada pelos templários, mais antiga que o Castelo de Cristo, a igreja de Nossa Senhora do Olival, construída no lugar de um antigo templo romano, em outra parte da cidade, onde na próxima reportagem mostraremos.

 

 

ASSISTA A REPORTAGEM EM VÍDEO-

https://drive.google.com/file/d/0B74ZgwD1fhUJbThBWDF1ekNSN00/view

>Link  

COMENTÁRIOS
1

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Nelson

    A Historia do mundo é marcada por acontecimentos sangrentos ! Desde que eu entrei para o mundo dos adultos que ouço historias, vêjo filmes e documentarios sobre as historias que se passaram ao longo dos seculos e das geraçôes, para chegarmos aos dias atuais. Talves eu esteja errado, mas estou sempre me perguntando….serà que se nâo houvesse as religiôes, o mundo não seria melhor ?
    Tudo que é religião leva a humanidade as guerras…. é a historia dos Cavaleiros Templarios, foi as Cruzadas, Santa Iquizição. Documentarios dizem que o terceiro Reich do Furer Adolf Hitler foi todo bancado pela Igreja Romana, pois Hitler tinha apresentado ao Papa um plano para eleminar até o ultimo Judeu na Terra. Vemos nos dias de hoje as Guerras Santas no Oriente medio, onde fanaticos religiosos matam em nome de Deus, de Alá, de Maomé etc e etc. São Historias interesantes de ler, mas todas movidas a muito sangue derramado. Que me perdoem, mas por isso procuro viver minha vida bem longe de Religiões, pois dela só vi brotar o odio e a violencia.

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *