Monthly Archives: novembro 2016

Passeio de bike abre rotas do Sertão de Alagoas
   Mozart  Luna  │     30 de novembro de 2016   │     19:28  │  0

IMG_9164

Os amantes do “pedal” crescem em número a cada ano demonstrando que a prática saudável de andar de bicicleta, seja para trabalhar, passear ou competir se transformou em um hobby que trás saúde, forma amigos e ganha defensores da natureza. Em Alagoas os praticantes do mountain bike tem levado alguns a participar de eventos esportivos, que reúne os mais experientes atletas do mundo, como o realizado este ano no Sul da Bahia, que levou 500 participantes a percorrer 600 quilometros em sete dias, chamado de o Desafio das Américas, na Costa do Descobrimento.

IMG_9165

Entre os participantes desse desafio estava o executivo Leandro Lourenço, que é adepto do mountain bike em Arapiraca, onde todos os dias percorrer mais de 50 quilômetros, logo cedo antes de ir trabalhar. Isto lhe deu um condicionamento físico igual a qualquer atleta desse esporte e também disposição para enfrentar o estresse do dia a dia. E não foi à toa que Leandro Lourenço chegou em 57º lugar entre os 500 participantes lhe conferindo uma boa colocação no ranking internacional.

Leandro disse que nos finais de semana o percurso dos passeios é ainda maior e pode chegar a 150 quilômetros. Um dos preferido dele é entre Arapiraca no Agreste até Piranhas no Sertão, passando por estradas vicinais e percorrendo um trecho seguindo o rio São Francisco. “É incrível as belezas naturais que vemos neste trajeto. O rio São Francisco é maravilhoso”, relata ele. Leandro ressalta que tudo é realizado com muito cuidado e um carro de apoio sempre os acompanha nos passeios.

IMG_9159

Desafio das Américas

Foi Sul  da Bahia que aconteceu o maior desafio de mountain bike das Américas! Os bikers percorreram a região litorânea, mais conhecida como Costa do Descobrimento, local onde os primeiros portugueses aportaram no Brasil, em 1500, seguindo em direção ao interior, percorrendo as montanhas que dividem os estados da Bahia e Minas Gerais, e depois voltando ao litoral para receberem a desejada bandeira de finisher. Serão sete dias em um cenário perfeito para a maior experiência de suas vidas!

A estrutura, comparada apenas às maiores ultra maratonas do mundo, fornecerá aos competidores tudo o que é necessário – água, comida, alojamento, suporte técnico, enquanto eles se preocupam somente com o que mais gostam de fazer, pedalar. Cada dia de prova terá em média 80 a 100 quilômetros do mais puro mountain bike.

IMG_9162

O verdadeiro desafio desta prova não está só em vencer, mas no autoconhecimento, viver o esporte, superar os limites e chegar o mais próximo da natureza que se pode estar. Lado a lado, os amantes do esporte e as estrelas do MTB nacional e mundial realizaram a jornada pelo coração do Brasil. Na trilha, na mesa do jantar, no acampamento, a confraternização e troca de experiência entre os atletas será um dos pilares do evento.
 

>Link  

Turismo científico no Sertão de Alagoas
   Mozart  Luna  │     28 de novembro de 2016   │     11:04  │  0

 

Dezembro começa o período de férias e surge a oportunidade de fazer o turismo cientíIMG_8349fico de pesquisa e visitar lugares interessantes em Alagoas, que são poucos divulgados como alguns museus que existem nos municípios, como por exemplo em Maravilha. Lá funciona o único museu paleontológico de Alagoas, que foi criado em 20 de maio de 2007 pela prefeitura.instalação do museu contou com a ajuda do do professor Jorge Luiz do Museu de História Natural da Universidade Federal de Alagoas (Ufal).

O Museu de Paleontologia da Maravilha é hoje referência para pesquisadores de várias Universidades do Brasil e do Mundo.  A falta de divulgação tem sido um dos grandes problemas, que o museu enfrenta para continuar aberto, já que depende da ajuda financeira da prefeitura que se encontra em dificuldades financeiras.

O Museu chegou a ficar fechado por três anos, por falta de recursos. Atualmente a instituição precisa de apoio para continuar aberto. A solução, segundo os representantes da prefeitura, seria o patrocínio de empresas privadas.

IMG_8352

Preguiça gigante e tigre dente de sabre

 

O Museu possui fósseis de animais que viveram naquela região há cerca de 10 mil anos. Um dos primeiro e principais achados foram os fósseis da preguiça gigantes (denissaras) que surgiram no período Oligocénico. A descoberta foi realizada em 1977, por acaso por agricultores do sito Ovo da Ema, em Maravilha, que acharam o formato das “pedras” diferentes das outras.

 

Por coincidência se encontrava na região, pesquisando a existências de cavernas, o professor Jorge Luiz da UFAL, que foi informado sobe o achado. De imediato ele confirmou se tratar de fósseis de animais da era Pleistocênica, com idade aproximada de 10  mil anos.IMG_8350

As pesquisas começaram meses depois graças a um convênio com o  Centro de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Cnpq). O primeiro passo foi a sinalização do local e o seu isolamento para iniciar as escavações. Surgiram então outros achados, como fósseis do tigre dente de sabre (similodon), que era um animal carnívoro, com presas enormes e uma abertura de mandíbula muito maior que as de sua espécie atualmente.  Com o decorrer dos trabalhos de pesquisa foram encontrados fósseis de diversos animais, que vieram na época pleistocênica, que hoje enriquecem o acervo do museu.

IMG_6941IMG_6949

Lamentavelmente os trabalhos estão paralisados e os locais, onde foram encontrados os fósseis estão sofrendo com a invasão de curiosos e até de colecionadores.

Atração Turística

Objetivando desenvolver o turismo a prefeitura investiu na colocação de réplicas dos animais em tamanho natural nas praças públicas da cidade. Uma delas á a preguiça gigante, que assusta as crianças e chama a atenção pelo seu tamanho, que chega a cerca de 8 metros de altura, exibindo suas garras afiadas.

Outra réplica que também chama a atenção dos visitantes é o tigre dente de sabre, que foi colocado logo na entrada do museu.  Seu ar feroz e suas cores dão medo, mas que logo vira atrativo para fotos. Dentro do museu existem os fósseis de todos esses animais, que viveram na região há mais de 8 mil anos.IMG_6773

O programa Conheça Alagoas da TV Mar, canal 25 da net e também transmitido pelo site gazetaweb.com exibe no próximo sábado, às 19 horas, com reprise no domingo sobre essa reportagem.

Como chegar

O acesso a Maravilha se faz através da BR 316 e o museu funciona de terça-feira a domingo das 8 às 14 horas . A entrada é gratuita. A cidade não possui pousadas para turistas e para refeições as opções são poucos e muito simples, sem estrutura para receber grupos acima de 20 pessoas. O recomendado é que os visitantes procurem o município vizinho de Santana do Ipanema, que fica a pouco mais de 20 quilômetros e oferece restaurantes e hospedagens mais confortáveis.

>Link  

Pinturas em locais públicos atrai turistas para fotografias em Arapiraca
   Mozart  Luna  │     23 de novembro de 2016   │     9:53  │  0

FABRICA DE SONHOS 1

Numa ação bastante criativa o município de Arapiraca em parceria com o projeto “Fábrica de Sonhos” e a prefeitura viabilizaram a realização de pinturas em locais públicos com o objetivo de proporcionar aos visitantes da cidade e também aos seus moradores a oportunidade de tirar fotos inusitadas, destinadas principalmente para redes socais.

FABRICA DE SONHOS 9

Já imaginou estampar uma obra sua em uma exposição? Falando assim, parece algo um tanto longe do nosso cotidiano. Mas, diariamente e até sem perceber, fazemos Arte. E ela está em todos os nossos movimentos cotidianos em que teimamos em registrar, expressar o que somos e sentimos.

À palma da mão, estão gadgets e aparelhos telefônicos capazes de captar o “momento certo”. E isso, esse congelamento do presente, se dá através da fotografia. Nesta perspectiva, a Prefeitura de Arapiraca, por meio da Fábrica de Sonhos, viabilizou a possibilidade para que todos possam aflorar sua inspiração com seus olhares para a cidade.

FABRICA DE SONHOS 8

Concurso de fotografias

Há várias intervenções culturais instaladas e também pintadas à tinta fresca pelo centro comercial do município, obras realizadas por artistas plásticos e artesãos da terra. É desses momentos que o certame vem tratar. Instantes decisivos para mostrar amor a alguém ou à própria Arapiraca. Para tanto, é preciso tirar uma foto nesses ou desses locais e postar nas redes sociais com a hashtag #FábricaDeSonhos.

Com inscrições gratuitas, as 20 imagens com mais curtidas no
Instagram estarão em uma exposição no hall do Arapiraca Garden Shopping, do dia 21 a 24 de dezembro, véspera de Natal. A curadoria ainda usará algumas delas para estamparem as redes sociais oficiais da Prefeitura e outdoors pela cidade, mostrando as belezas perenes que Arapiraca tem.
CELIA ROCHA

Energia e internet grátis

Assim, a Prefeitura de Arapiraca a Estação Celular Solar, inaugurou na Praça Luiz Pereira Lima, no bairro do Centro, dando ainda mais ânimo àquele local público. Esta inovadora obra escultural, assinada pelo artista Albério Carvalho em parceria com a Fábrica de Sonhos, terá entradas para carregadores e gadgets e, ainda, uma rede Wi-Fi gratuita.

 

Para completar, fones podem ser acoplados para se ouvir artistas da terra como Nelsinho, Gato Negro, César Soares, Jéclysson Taboca, Divina Supernova, Mopho, Casa da Mata, Janu, Elaine Kundera, Ítallo França e Quiçaça.

Com um design arrojado, tudo isso ficará funcionando a partir de uma placa solar, isto é, um equipamento turístico com nenhuma despesa de energia, sendo um piloto para outros projetos sustentáveis que possam surgir depois.

Assim, o local poderá se tornar ponto de encontro entre milhares estudantes e transeuntes que passam por ali todos os dias, com a tecnologia a serviço do convívio urbano.

 

>Link  

Prefeitos tentam jogar “bomba relógio” dos lixões para os futuros gestores
   Mozart  Luna  │     21 de novembro de 2016   │     23:23  │  0

lixão-2

Os prefeitos eleitos pretendem entrar com ações contra os atuais prefeitos, para se resguardar da responsabilidade do não cumprimento do prazo do encerramento dos lixões, determinado pelo decreto presidencial 7.404/10 e o decreto lei 12.304/10, que previa o fim dos lixões no dia 15 de agosto de 2015.  Os atuais prefeitos se utilizaram do artificio da elaboração de um adendo a uma MP, para prorrogar o prazo do funcionamento dos lixões, buscando jogar para os futuros prefeitos uma responsabilidade que é deles.

Essa tentativa não logrou êxito já que a MP foi vetada pela Presidência da Republica e assim o prazo para o fim dos lixões terminou ano passado, mas até agora os órgãos de fiscalização por desconhecimento da legislação ou simplesmente omissão não aplicar o rigor da lei, aos prefeitos infratores.

Um dos defensores da ação contra os atuais prefeitos é Marcelo Lima (PMDB), prefeito eleito em Quebrangulo. Segundo perigo que paira sobre os novos é sério e a “jogada” feita pretende colocar nas mãos dos novos gestores uma bomba chiando que não é deles. “Vou aproveitar a reunião da AMA e orientar aos colegas quer foram eleitos comigo para representarmos os atuais gestores pelo não cumprimento do prazo determinado pela lei”, disse Marcelo Lima.

A Associação dos Municípios Alagoanos (AMA) realiza hoje uma reunião, a partir das 9 horas na sede da entidade, destinadas aos prefeitos eleitos e um dos temas de pauta é sobre os lixões. No convite enviado aos futuros gestores a entidade diz que vai apresentar algumas “alternativas” para resolver o problema, como se ele fosse dos prefeitos eleitos. Entretanto os gestores eu assume em janeiro vão responsabilizar os atuais prefeitos perante a justiça por não terem cumprido o prazo determinado pela lei e não ele que assumem as prefeituras em janeiro de 2017

Segundo Marcelo Lima os atuais prefeitos foram empurrando o problema com a barriga. Para ele a saída para o fim dos lixões é a instalação de aterros sanitários através da formação de consórcios integrados. Enquanto isso quem deve responder por crime ambiental são os atuais prefeitos.

Linha dura

IMG_8718

O promotor linha dura, Luiz Tenório deverá intimar aos prefeitos dos municípios associados do Consórcio Intermunicipal de Gerenciamento de Resíduos Sólidos (Cigres) que estão sem levar o lixo para aterro sanitário, administrados pela instituição e notificar os que estão sem pagar a contribuição para manutenção dele.

Atualmente dos 19 associados ao Cigres apenas três municípios estão encaminhando o lixo para o aterro sanitário e somente um paga em dia a contribuição. A empresa contratada para operacionalizar o aterro vem sofrendo grandes dificuldades para manter o funcionamento do aterro e em outubro ameaçou paralisar o trabalho por falta de pagamento.

Os maiores lixões da região são de São José da Tapera que fica a 15 quilômetros do aterro sanitário, Santana do Ipanema que fica a 12 quilômetros, seguidos de Pão de Açúcar, Major Isidoro, Senador Rui Palmeira, Poço das Trincheiras, Cacimbinhas, Batalha, Jacaré dos Homens e Maravilha. Nenhum desses municípios, segundo a administração do Cigres, está levando o lixo para o local determinado pelo Ministério Público.

O descumprimento da lei entre os associados do Cigres é antigo e mesmo com a visita do coordenador do MP no Agreste, Geraldo Magela Pirauá, ao local quando determinou um prazo de 30 dias, para que todos encaminhasse o lixo par ao aterro foi cumprida, numa atitude de afronta à autoridade constituída e total certeza  da impunidade.

>Link  

Uma viagem à Serra Sagrada de Zumbi dos Palmares
   Mozart  Luna  │     19 de novembro de 2016   │     9:43  │  1


IMG_9080

Alagoas é realmente uma terra abençoada por Deus e ainda o berço da liberdade no Brasil, já que foi aqui que ocorreu o maior levante armado contra a escravidão em toda América. Cerca de 30 mil negros se uniram, na Serra da Barriga, em União dos Palmares, sobe o comando de Zumbi do Palmares e Ganga Zumba para enfrentar o perverso sistema escravagista implantado pela civilização européia.

O Brasil foi uma das colônias para onde foram enviados milhões de africanos trazidos à força pelos comerciantes de seres humanos, sendo também o último a decretar o fim desse sistema de exploração do trabalho humano.

IMG_9085

A saga da luta dos guerreiros na Serra da Barriga é hoje objeto de pesquisa e busca do resgate da importância desse fato histórico, não só para a comunidade negra brasileira, mas mundial. A Serra Sagrada é solo santo que merece ser reverenciado por todos, pois é um símbolo de resistência da liberdade.  Diante da importância histórica e antropológica a Serra da Barriga ainda não conta com a verdadeira infraestrutura e divulgação para fazer chegar mais longe o grito de liberdade de Zumbi dos Palmares e Ganga Zumba.

Alagoas tem essa pérola histórica e até hoje os sucessivos governos não souberam dotar o local de uma infraestrutura para receber os visitantes. A Serra da Barriga possui um grande apelo turístico que precisa de mais empenho e atenção das autoridades para sua divulgação e consolidação como destino turístico internacional.

IMG_9084

Algumas empresas de turismo em Alagoas realizam todas as quartas-feiras uma excursão à Serra da Barriga, saindo de Maceió com um roteiro bem definido pela manhã com destino a cidade de União dos Palmares a 92 quilômetros da capital alagoana. Os visitantes são orientados a não pegar nada do solo da Serra, já que o local é tombado pelo patrimônio nacional.

A Serra possui 500 metros de altitude e o acesso é realizado por uma estrada de terra batida, sendo uma parte pavimentada. A subida é feita a pé, ou em carro de pequeno porte, até certa distancia.  No local foram erguidas tendas temáticas respeitando a originalidade da cultura afro.

O roteiro inclui também visitas a comunidade negra do Muquém onde se possível apreciar o artesanato produzido em argila, uma tradição passadas pelos descendentes dos guerreiros e guerreiras que ocupavam a Serra Sagrada. Hoje o Muquém uma as comunidades negras mais bem organizadas e que mantém as tradições familiares dos Quilombos.

IMG_9086

Parque Memorial Zumbi dos Palmares

O Parque Memorial Quilombo dos Palmares é primeiro equipamento do gênero no País e reconstitui o cenário de uma das mais importantes histórias de resistência à escravidão ocorrida no mundo: a história do Quilombo dos Palmares – o maior, mais duradouro e mais organizado refúgio de negros escravizados das Américas. Fruto de uma luta de mais de 25 anos do Movimento Negro brasileiro, o Memorial foi implantado em 2007 pelo Ministério da Cultura, por meio da Fundação Cultural Palmares, no território original da longa e sangrenta batalha – a Serra da Barriga, onde milhares de negros rebelados fugiram durante o período da história colonial, sendo o maior símbolo de luta pela liberdade, localizado em um platô (área plana) do alto da Serra da Barriga, o local, tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em 1985, recria o ambiente da República dos Palmares.

IMG_9087

Nesta espécie de maquete viva, em tamanho natural, foram reconstituídas algumas das mais significativas edificações do Quilombo dos Palmares, com paredes de pau-a-pique, cobertura vegetal e inscrições em banto e yorubá, avista-se o Onjó de farinha (Casa de farinha), Onjó Cruzambê (Casa do Campo Santo), Oxilé das ervas (Terreiro das ervas), Ocas indígenas e Muxima de Palmares (Coração de Palmares).

Além das construções que referenciam o modo de vida daquela comunidade quilombola, o Memorial dispõe de pontos de áudio com música e textos em quatro idiomas (Português, Inglês, Espanhol e Italiano) que narram aspectos do cotidiano do Quilombo e da cultura negra. São os espaços Acotirene, Quilombo, Ganga-Zumba, Caá-Puêra, Zumbi e Aqualtune. No primeiro e único parque temático sobre a cultura negra do País, destacam-se, ainda, os mirantes, de onde se avistam paisagens magníficas da Serra da Barriga. São as atalaias de Acaiene, Acaiuba, e Toculo. Complet

ando o ciclo das edificações simbólicas, o restaurante Kúuku-Wáana (Banquete familiar), que oferece pratos da culinária afro-brasileira, e o Batucajé (palco de manifestações artístico-culturais)

 

>Link