As ruínas do Mosteiro de São Bento são testemunhas de nossa colonização
   Mozart  Luna  │     4 de julho de 2016   │     23:55  │  0

 

 

IMG_6087

As ruínas do antigo Mosteiro e São Bento, localizado em Maragogi, Litoral Norte de Alagoas são relíquias do que sobrou de um belo prédio erguido no inicio do século 17, com muito esforço pelos fiéis devotos do padroeiro daquela localidade.  A construção do mosteiro, segundo os primeiro registros datam de 1634. O prédio servia de pouso para religiosos, que se deslocavam entre a cidade de Olinda e Porto Calvo.

Segundo historiadores, o Mosteiro de São Bento tinha também uma finalidade estratégica de proteção contra invasão de piratas, principalmente franceses e holandeses. Há quem afirme que da torre do tempo de São Bento, se enviam sinais com espelhos, para a torre da igreja matriz de Porto Calvo. O alerta era dado para o forte que havia na Terra de Calabar, que se preparava para enfrentar os corsários.

Hoje sobraram apenas ruínas desse testemunho do inicio da colonização do território alagoano. Alguns poucos paredões ainda se mantém de pé, como a gritar por ajuda para continuar ali, como testemunha da história.  A área foi sinalizada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Arquitetônico Nacional (Iphan), mas pouquíssimas ações foram realizadas objetivando salvar esse patrimônio histórico.

 

Ossos e imagens

Ao caminhar pelo local encontramos por toda parte fragmentos de ossos de corpo humano, que foram sepultados nas paredes do tempo. Muitos dessas tumbas foram violadas por caçadores de tesouros. O local também foi visitado por estrangeiros, que usaram detectores de metais, em busca de moedas e instrumentos de metal. Segundo relatos de moradores que residem próximo as ruínas.

As imagens em tamanho natural de madeira, vindas de Portugal  foram guardas na pequenina capelinha no distrito de São Bento, depois que o Mosteiro começou a desabar na década de 60. Sobraram apenas as imagens de São Bento, Arcanjo Miguel, Jesus morto e Nossa Senhora das Dores. Está última foi levada para ser restaurada. Entretanto a mais valiosa era a pequenina imagem de São Bento, que foi roubada na década de 80.

O local pode ser visitado por turistas e faz parte do roteiro de passeios de Maragogi. Entretanto muito pouco foi feito para preservar o local, que continua sofrendo com o abandono. Uma placa informa que o Iphan está realizando trabalhos, mas foram paralisados, já que os recursos (R$ 180 mil) destinados para isso não foram liberados.

O empresário Márcio Vasconcelos, diretor do Grupo Salinas, lamentou o abandono das ruínas do Mosteiro de São Bento. Segundo ele em entrevista ao Programa Conexão Municípios da TV Mar, o local deveria estar sendo preservado pelas autoridades.

O empresário fez por iniciativa própria e autorização da arquidiocese, a restauração de uma das imagens de São Bento, que estava praticamente sendo destruída. Segundo ele se nada for feito imediatamente, Alagoas corre o risco de perde do que sobrou de uma das construções da época do povoamento do Litoral Norte e assim perderemos um pouco de nossa história.

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *