Monthly Archives: julho 2016

Voo direto leva alagoanos para réveillon na Europa
   Mozart  Luna  │     30 de julho de 2016   │     11:21  │  2

revillon roma
IMG_7562

 

Os alagoanos têm todos os anos uma grande oportunidade de passar o réveillon no Velho Mundo, graças a um voo charter (fretado) direto, saindo do aeroporto Zumbi dos Palmares em Maceió para Lisboa em Portugal. O pacote é realizado há 11 anos pela Transamérica Turismo, uma das empresas mais conceituadas de Alagoas, com 35 anos atuando no mercado de turismo nacional e internacional.

Os roteiros a serem escolhidos a partir de Lisboa são os mais variados como Veneza, Roma, Madri, Santiago de Compostela, Paris, Londres e muito mais. São sete dias na Europa incluindo hotel, transporte e guia falando idioma em português.

Segundo Marcel Filho, diretor executivo da Transamérica, o voo será realizado em uma aeronave especial, um air bus 340 da companhia hifly, com tripulação portuguesa. A viagem até Lisboa tem a duração de sete horas.

Durante o vôo é oferecido jantar, café da manhã na ida e almoço com lanches na volta, além de bebidas como champanhe e vinho a bordo. O avião sai no dia 26 de dezembro à noite chegando na manhã do dia 27 em Lisboa. A recepção é feita por guias portugueses que iniciam city tour pela capital portuguesa. Nessa época (dezembro,) a temperatura em Lisboa é bastante agradável, ficando entre 18 e 20 graus pelo dia e a noite cai um pouco para 15 graus.

No roteiro está prevista uma visita ao mosteiro dos Jerônimos, Torre de Belém e o monumento das descobertas. Bem ao lado existem fábricas dos deliciosos pastéis de Belém Tudo isso às margens do rio Tejo.

Ao meio dia todos são acomodados no hotel e à noite existe o passeio opcional para assistir a uma belíssima apresentação de cantores de fado e danças folclóricas. Tudo regado a um bom vinho português com um delicioso jantar, onde não pode faltar o tradicional bacalhau. Assim é a primeira noite em Lisboa, com fado e vinho. No dia seguinte é hora daqueles que escolheram outros destinos viajarem, seja de ônibus, trem ou avião, para Paris, Veneza, Londres e Madri e outros.

IMG_4108

IMG_5856

 

Réveillon em Lisboa

Para quem fica em Lisboa, a vantagem está em não ter mais a maratona diária de arrumar e desarrumar malas. A cidade oferece muitas opções de lazer e passeios, além disso, o pacote é mais econômico e não se terá problemas de comunicação, já que todos falam o idioma português.

Os portugueses recebem muito bem os turistas “verdes e amarelos”. São atenciosos e sempre querem saber como está o Brasil, demonstrando também preocupação com o “continental” como chamam em Lisboa.

Muitos brasileiros vivem em Lisboa e vários restaurantes pertencem a paulistas, cariocas e gaúchos, principalmente os localizados na parte mais nova da cidade conhecida como Parque das Nações, às margens do rio Tejo, onde estão localizados o Cassino e o maravilhoso Oceanário, além do shopping Vasco da Gama.

Passeios

Para mim é difícil falar de Lisboa, porque simplesmente me apaixonei pela cidade, depois de Maceió é claro. Vão aqui algumas dicas de passeios, começando pelo Santuário de Fátima, que fica a duas horas de Lisboa, no mesmo roteiro estão a cidade litorânea de Nazaré, onde o mar oferece um espetáculo batendo nas pedras, com ondas gigantescas.

Em Sintra existe o parque dos palácios, edificações seculares lindíssimas, que representam todo glamour e requinte dos nobres da época. O pequeno vilarejo é um charme com ruas estreitas e casarios muitos bonitos, que foram transformados em pequenos cafés e restaurantes.

Entretanto, existe um Palácio que está diretamente ligado a história do Brasil. Trata-se do Palácio de Queluz, onde o nosso primeiro imperador e proclamador da independência, D. Pedro I nasceu e morreu. Queluz possui muitas pinturas da família real brasileira, principalmente de D. Pedro I, quando crianças e da família.

IMG_5828

Os jardins de Queluz é algo surpreendente. Não se pode ir a Portugal e não visitar essa maravilha da Europa. Bem ao lado, está a real Escola Portuguesa de Equitação. Que pretende no próximo ano abrir inscrições para cavaleiros brasileiros. O curso é de uma semana e dá direito a certificado, (pacote que a transamérica também está preparando para 2017).

Virada de ano

PRAÇA DO COMERCIIO LISBOA

O réveillon em Lisboa acontece na Praça do Comércio, para onde milhares de pessoas vão para assistir aos shows com bandas de rock, fado e muito mais, além da queima de fogos. A festa vai até tarde. Vários restaurantes, localizados às margens do rio Tejo, no Parque das Nações, também  organizam a festa de réveillon. Alguns bares e restaurante são de brasileiros e então a música e a alegria não poderia não ser outra, se não verde e amarela. Toca de tudo, desde axé até forró. O mais incrível é que os portugueses adoram a música popular brasileira.

Os valores cobrados pela festa de réveillon são os mais variados entre R$ 400,00 e R$ 600,00, por pessoa e inclui alguns tipos de bebidas, petiscos e o jantar. Na cidade do Porto a festa de virada de ano ocorre na Praça dos Aliados e é diferente de Lisboa, já que a agitação é maior,  e mais indicado para quem está disposto a amanhecer o dia.

Réveillon na cidade eterna: Roma

Outro roteiro muito procurado para quem vai embarcar para o velho continente no réveillon é Veneza e Roma. Uma viagem romântica, com toque religioso e cultural.  São dois dias com acompanhamento de guia que faz um city tour à pé pelos principais pontos históricos. Por isso a necessidade de calçados confortáveis. Nos horários livres, se deve aproveitar para conhecer a região de San Marco e também passear nas famosas gôndolas pelos canais.

IMG_3600

De Veneza se chega a Roma em um luxuoso trem. Ao chegar à cidade eterna, um guia conduz o grupo por um passeio que mostra toda beleza de Roma, com seus monumentos históricos como: Coliseu, Fóruns Imperiais, Piazza, Venezia e Vaticano.   No dia seguinte (31), o dia é livre que pode ser aproveitado para visitar o Museu do Vaticano, capela sistina, Praças Navona e Spagna.

A festa pública de réveillon em Roma ocorre em frente ao Coliseu, na Via dei Fori Imperiali, onde a prefeitura organiza com apresentações de cantores italianos, bem ali ao lado de dois restaurantes, que oferecem um pacote com ceia e boate. A Via dei Fori Imperali  fica lotada com pessoas do mundo, mas tudo dentro da perfeita ordem e tranqüilidade.

Para quem deseja um local mais reservado e tranquilo, longe das multidões a recomendação é Royal Art Café e Hostaria al Gladiadore que proporciona um réveillon  maravilhoso com uma ceia será da melhor qualidade, também chamada pelos italianos  de cenone di capodanno, ou cena. A localização é excelente de onde se poderá assistir a queima de fotos que acontece todos os anos bem atrás do Coliseu de camarote. O Royal Café tem uma discoteca para quem quiser dançar a noite toda.

Os preços cobrados estão bem razoáveis para nossa realidade e variam desde R$ 300,00 a R$ 600,00 por pessoa, incluindo jantar, vinho, água mineral e champanhe.

IMG_3588IMG_3619IMG_3616

Berna, Suiza

Berna, Suiza

 

No dia seguinte volta a Lisboa e preparativos para embarcar de volta a Maceió no vôo direto.

INFORMAÇÕES 

TRANSAMÉRICA TURISMO 2121-7373

A agência está com um valor promocional com valor do câmbio congelado e dividindo no cartão ou cheque.

Pacote a partir de 6 X R $ 799,00

Inclui: vôo direto Maceió/Lisboa/Maceió, hotel com café da manhã e city tour.

 

>Link  

Paula Fernandes anima Festival de Inverno em Mar Vermelho
   Mozart  Luna  │     27 de julho de 2016   │     22:42  │  0

IMG_7542

IMG_7546

O Festival de Inverno de Mar Vermelho desse ano trouxe como principal atração a cantora sertaneja Paula Fernandes que canta no dia 13 de agosto encerrando o evento, juntamente com o cantor poeta Petrúcio Amorim e a banda Time Machine. O Festival será aberto pelo cantor missionário Davidson Silva no dia 12. Uma noite de louvor e agradecimentos.

IMG_7543

A cidade de Mar Vermelho está localizada na zona da mata de Alagoas a mais de 600 metros de altitude e é conhecida como a “Suíça Alagoana”, já que possui um clima de serra com muitas fontes de águas minerais. Esse ano a temperatura já foi  registrada a temperatura de  12 graus e a noite pode chegar a 10 graus. O nome da cidade se deu graças a grande presença de gravatás, uma espécie de arvora da região, que na época da floração deixar cair no chama flores vermelhas, formando o “mar vermelho”.

 

 

Flores vermelhas

 

A o município possui um  clima serrano, e, por ser frio e seco, é aconselhado pelos especialistas para auxiliar no tratamento das doenças do aparelho respiratório. Um dos pontos turísticos da cidade é, a Lagoa Vermelha, abençoada pelo Cristo Redentor no alto da cidade.

 

As festividades também atraem muitos visitantes, destacando-se: o carnaval, as festas religiosas – incluindo-se a da padroeira, Nossa Senhora da Conceição (8 de dezembro) – e o Festival de Inverno, um grande evento que que já está inserido no roteiro cultural alagoano.

 

Os primeiros festivais ficaram na histórica quando trouxe atrações como Elba Ramalho, Alceu Valença e Fagner. Fizeram parte ainda desse show, cantores regionais e shows católicos, além das apresentações culturais do município e da região.

 

A edição de 2016 do Festival de Inverno que será realizada nos dias 12 e 13 de agosto já está fechada para receber marvermelhensese turistas neste que se transformou em dos maiores eventos culturais de Alagoas.O público vai mergulhar em um universo cultural, composto de grandes shows musicais e tendo como pano de fundo, o deslumbrante cenário das serras alagoanas.

IMG_7544

As atrações do dia 12, atrações culturais e o missionário Davidson Silva e no dia 13, Paula Fernandes, Petrúcio Amorim, Time Machine. Estima-se que o evento reunirá cerca de vinte mil pessoas e mostrará suas potencialidades prometendo agitar o inverno na região com muita cultura, arte e diversão.

 

Pelo horário programado para a festa, às 16h00, o Festival tem a proposta de festa familiar, atraindo pessoas de todas as faixas etárias.

 

O Festival de Inverno é um evento de grande importância para fomentar a economia local e gerar emprego e renda não só para a população marvermelhense, mas também para população circunvizinha, contribuindo para o desenvolvimento da zona da mata de Alagoas.

 

Todo o evento é realizado com muito carinho para receber os turistas, com segurança, banheiros e praça de alimentação com os “foodtrucks” de comidas e bebidas.

 

 

Informações

 

Como chegar:

 

Mar Vermelho fica a cerca de 120 quilômetros de Maceió,  ou seja, duas horas de viagem pela rodovia AL 110. Passando por Atalaia, Capela, Cajueiro e Viçosa.

 

Onde comer e dormir

 

A cidade possui poucas pousadas, que são utilizadas para pessoas a trabalho e também poucos restaurantes, mas durante o Festival de Inverno casas estão sendo alugadas e haverá foodtrucks durante o evento.

 

Recomendações:

 

Levar agasalho e se for voltar para Maceió ou cidades vizinhas após os shows se deve ter muito cuidado com a pista com neblina. Lembrando também que a cidade fica a 600 metros de altitude e, portanto muito cuidado ao descer a serra.  IMG_7546IMG_7543

>Link  

Uma trilha no “Parque dos Dinossauros”
   Mozart  Luna  │     24 de julho de 2016   │     0:26  │  1

IMG_7408

 

IMG_7402

IMG_7398

O Sertão de Alagoas possui uma diversidade muito grande de roteiros turísticos, como trilhas ecológicas no meio da caatinga, que nos leva a lugares exóticos. Uma delas nos leva ao “Parque dos Dinossauros”.

Nossa aventura começa percorrendo uma trilha em uma das poucas reservas ecológicas do Sertão de Alagoas, conhecida como reserva Ecológica do Castanho. O local vem sendo preservado há 80 anos pela família do ambientalista e empresário de ecoturismo Elizeu Gomes, conhecido como Leleu. A reserva está localizada no município de Delmiro Gouveia, cidade que fica a 300 quilômetros de Maceió.

 

IMG_7396

Já no caminho, encontramos alguns resquícios do homem pré-histórico. São pedras polidas pelo homem que serviam de ferramentas para o dia a dia dele. São fragmentos da era Paleolítica. Peças cortantes que serviam como faca.

IMG_7325IMG_7328

Espuma, sapos e esqueletos de cobra gigante

No caminho, entre a caatinga, encontramos alguns riachos temporários que acumularam água neste período de inverno e neles ocorre um fenômeno da reprodução da vida na caatinga. Sapos se acasalam nas poças de água e deixam a prova disso. São as chamadas “espumas de sapos”. Na verdade trata-se de pequenos óvulos fecundados, que se transformaram em girinos.

Também encontramos restos de animais mortos durante o período de seca. Observamos um enorme esqueleto de uma cobra, provavelmente de uma jiboia gigante. Segundo Leleu, nosso guia, a cobra deveria ter mais de dois metros de cumprimento.

Entretanto, ao chegar a um local cercado de paredões e uma enorme laje que serve de piso, denominado de “Parque dos Dinossauros”, encontramos no alto um painel, que se destaca pelas pinturas rupestres existentes. As formas são bastante diferentes de outras que encontramos na região e  já catalogadas pelo Ministério da Cultura, através do Instituto do Patrimônio Histórico (IPHAN).

 

IMG_7336IMG_7337IMG_7400

 

Descoberta de pinturas

 

Estas pinturas rupestres encontradas por nós ainda não foram descobertos pelo IPHAN. Elas são formadas por desenhos esféricos com traços em sua volta, cercado de seres humanos e animais, além de sinais que talvez representem as observações dos habitantes da época, sobre o que viam no céu. Os desenhos provavelmente fazem parte de uma sequência de outras pinturas, que o tempo apagou.

Esta área chama atenção também pela existência de enormes buracos com formas arredondadas, cravadas no meio do lajedo, como se fossem pegadas de dinossauros. Por isso o local foi batizado como “parque dos dinossauros”.

FullSizeRender (3)

Será ovos de dinossauros ?

Outra surpresa que nossa equipe teve foi encontrar dois ovos gigantes, dentro de uma gruta. Nossa imaginação foi longe: “Será que são de dinossauros?”. Claro que não. Nosso guia disse que pode ser de aves de rapina, e arrisca dizer que pertence a águias chilenas dos Andes, que nesta época chegam aos Canions do São Francisco para procriar, fugindo do rigor do inverno das Cordilheiras, no Chile. No mesmo local, encontramos também uma massa gelatinosa que exala um terrível mau cheiro, provavelmente fezes de morcegos, que também habitam o local.

Deixamos para trás os ovos gigantes, mas nossa imaginação continua acesa: Será que não são de dinossauros? Afinal de contas, estamos no Parque dos Dinossauros  do Sertão de Alagoas.

 IMG_7350IMG_7348

Canoa enche de água

Chegada a hora de retornar. Para isso, embarcamos em uma canoa a remo, descendo o Rio São Francisco, com destino ao restaurante ecológico do Castanho. No meio do caminho, uma forte chuva caiu inundando nossa canoa e colocando todos em risco. Rapidamente tivemos que improvisar, cortando as garrafas pet que levamos com água para tomar e que, agora, foram transformadas em caneco para retirar a água de chuva do fundo da canoa. Depois de remar uma hora de meia, chegamos a salvo ao restaurante O Castanho, onde pudemos saborear uma deliciosa peixada e petiscar um bode assado.

 

 

IMG_7353

A aventura teve momentos de surpresa, alegria e tensão, mas valeu apenas com a descoberta que realizamos. Quem desejar também fazer a trilha é só ligar para o Castanho e agendar para ver um lugar muito diferente, que registra a presença do homem pré-histórico. Garantimos que será um momento incrível, mas requer alguns cuidados como levar água, lanches, sacos para colocar lixo. Outro cuidado é com a vestimenta. Sempre usar roupas leves, mas não dispensar calça comprida e calçados adequados, como botas. O acesso à trilha só é permitido com um guia devidamente treinado e com autorização da administração da reserva ecológica, já que o local é propriedade privada.

Informações

A Reserva Ecológica do Castanho fica localizada em Delmiro Gouveia, a 300 quilômetros de Maceió. O acesso é por meio da AL-220. Existem placas de sinalização nas margens da rodovia.

TELEFONE – 98855-1290/ 98114-7070

Você também pode conhecer mais o local clicando no banner do Castanho

 

>Link  

Prefeitos começam a enviar resíduos para o aterro sanitário no Sertão
   Mozart  Luna  │     19 de julho de 2016   │     11:10  │  0

ELMO MEDEIROSIMG_7160

Os prefeitos dos municípios associados ao Consórcio Intermunicipal de Gestão de Resíduos Sólidos (Cigres) se preparam para encerrar os lixões de seus municípios e iniciar a operação de transporte do lixo para o aterro sanitário, instalado entre os municípios de Olho D´Água das Flores e Olivença. O presidente do Cigres, o prefeito de Monteiropólis Elmo Medeiros, destacou o esforço que os gestores estão realizando, para o mais rápido, atender a lei federal 12.3014/10, que determina o fim dos lixões em todo país. O aterro sanitário administrado pelo Cigres está pronto e funcionando, recebendo os resíduos das cidades de Olho Monteiropólis, Olho D´Água das Flores e Olivença.

A expectativa é que nos próximos dias, o número de município depositando resíduos no aterro sanitário, aumente gradativamente e que os lixões sejam encerrados. Os municípios que estão com dificuldades para operacionalizar o transporte do lixo, pretendem pedir ao Ministério Público, um prazo para encerrar os lixões e adquirir veículos adequados para transportar os resíduos até o aterro sanitário.

O presidente do Cigres, Elmo Medeiros disse ainda que as prefeituras passam por uma grande crise financeira, assim como todo País. “Estivemos reunidos ontem com os associados para debater os problemas operacionais, para encerrar os lixões e transportar os resíduos para o aterro sanitário”, disse ele. “O objetivo é cumprir o mais rápido possível o que determina a lei e para isso estaremos também recebendo os representantes do Ministério Público Estadual, no inicio de agosto, para uma visita ao aterro sanitário”, informou ele.

O objetivo, segundo ainda o presidente do Cigres, Elmo Medeiros é ser o mais transparente possível, para mostrar as autoridades, que vamos cumprir a legislação ambiental. “Estamos com dificuldades financeiras e isso tem atrasado operacionalizar do transporte dos resíduos para o aterro sanitário”, declarou ele.

O aterro sanitário administrado pelo Cigres tem capacidade de receber 200 toneladas por dia de lixo e uma vida útil de 30 anos.  Os estudos de viabilidade ambiental foram realizadas empresa Opas, que atua em ações ambientais há mais de 6 anos, com experiência nesta atividade. O aterro sanitário foi construído com recursos do governo federal, através da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba (Codevasf). O empreendimento possui todas as exigências da legislação ambiental e licenças necessárias para operar na região e assim receber os resíduos sólidos de todos os municípios associados ao Cigres, que é o primeiro Consórcio Intermunicipal criado com essa finalidade.

>Link  

Casarão do colonizador do Sertão está prestes a desabar e precisa da ajuda do governo
   Mozart  Luna  │     16 de julho de 2016   │     10:30  │  1

 

Um dos casarões históricos de Água Branca, que pertenceu ao lendário coronel Ulisses Luna, considerado colonizador do SertãoIMG_7177IMG_7176 está prestes a desabar, se alguma ação de governo não for realizada. Localizado na zona rural de Água Branca, no engenho Cobra, o imóvel data do início do século 20 e marca um período importante da  histórica de Alagoas, quando chegou a região o pioneiro Delmiro da Cruz Gouveia,que construiu a Fábrica da Pedra e a primeira hidrelétrica do Nordeste, Angiquinho.

O casarão do coronel Ulisses Luna era usado para reuniões políticas daquela região e também foi um dos redutos, que o cangaceiro Lampião nunca tentou tomar ou saquear, pois temia o velho líder político. O casarão, segundo Maria Aparecida Sandes, neta do coronel Ulisses Luna, era uma dos mais belos do Sertão de Alagoas.  Possuía um lindo jardim com muitas rosas e arvores. Ao lado uma capela erguida para as celebrações religiosas da família, principalmente no Natal, quando todos se reuniam. A Capela ainda resiste ao tempo junto com o casarão.

A estrada que frente ao Engenho Cobra era passagem obrigatória dos colonos da época, que tinha o costume de sempre reverenciar o velho líder político. Os homens tiravam o chapéu e as mulheres se inclinavam um pouco, em respeito ao “coroné”, que era o protetor de todos na região. Engenho produzia cana e havia também a criação de gado e cabras e ovelhas.

IMG_7179

Sem terras

Atualmente o antigo Engenho Cobra pertence aos assentados do Movimento Sem Terra. São doze famílias que foram beneficiadas com a propriedade do local que havia sido abandonada pela família do Coronel Ulisses Luna. O imóvel possuía um mobiliário raro do século 19 e inicio do século 20. Peças lindíssimas foram retiradas pela família e levadas, que segundo relatos dos moradores atuais, para o estado do Rio de Janeiro.

Atualmente o velho casarão se encontra em precárias condições, já que é de todo de sapé e possui um sobrado, que pesa sobre a estrutura, precisando urgentemente de reparos. Os lideres do MST, que são hoje os proprietários das terras, utilizavam até pouco tempo atrás, o casarão para o funcionamento de uma escola de crianças, mas diante do perigo de desabamento, as atividades foram suspensas. O local também foi utilizado nos últimos meses como cenário para gravação de cenas da telenovela Velho Chico, da Rede Globo.

Os assentados querem transformar o local em um museu rural, onde os turistas possam visitar e comprar os produtos artesanais e doces regionais. Para isso pedem a ajuda da prefeitura e do governo do estado.

>Link